19 de agosto de 2011

SOU ASSIM ...






                             Posso demonstrar a força da leoa
                             E a astúcia da raposa
                             Posso pegar de cada animal
                             Aquilo que de mais belo tem
                             Pra me mostrar a alguém,
                             Mas sei que não valeria a pena
                             Seria apenas cena
                             Teatro para encantar
                             E até capaz de enganar


                            O que vejo no íntimo
                            É um gato com medo do cão
                            Que se mostra grande e forte
                            Mas que nem aprendeu a morder
                            Indefeso, na busca da força,
                            E só aparentando poder


                                                   

                            O que vejo no íntimo
                            É um ser que apenas caminha
                            Carregando temor e desejando amor
                            Frágil, sonhador,
                            Ora saltando como a lebre
                            Ora voando como o pássaro
                            Ora se pavoneando pra encantar
                            E pra se fazer gostar


                           O que vejo no íntimo
                           É uma grande necessidade de aprender
                           Pois  só o conhecimento nos tira esse tremer
                           E nos permite  deslizar nos montes
                           Sem medo de cair
                           Nas fontes nadar
                           Sem medo de se afogar


                                                          
                             Sou animal pequenino
                             Em fase de evolução
                             Que se assusta com facilidade
                             Enquanto busca a verdade,
                             A razão de seu existir


                             Sou assim, ora formiga, ora dragão.
                             Sofro com as pisadas
                             E assusto com urros loucos
                             Aqueles poucos que nem percebem
                             Que como todos, dependo do coração.


                                                
                             E que, a cada momento, mudo minhas cores
                             Como o camaleão,
                             Pra conseguir conviver
                             Para encontrar o saber
                             Pra superar o sofrer


                                                                (Marilene)


Imagens tiradas da internet . Se, inadvetidamente, estiver ferindo direitos, gentileza comunicar, para imediata correção.

50 comentários:

  1. Marilene...me rendo a seu talento!!
    Adorei Camaleoa!!

    Somos assim, as vezes demonstramos a força que não temos.. ou as vezes nos mostramos indefesas quando não somos..

    Muitas vezes só queremos ser compreendidas...

    Bj

    ResponderExcluir
  2. Olá Marilene. Esse seu poema diz tudo sobre nós, seres em evolução, aprendizes da vida, em sua constante dualidade. Estou de volta depois de um período de férias, por isso demorei em responder-lhe. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Somos todas Camaleoas e usamos da nossa força e da nossa fragilidade nos momentos em que se faz necessário...Lindo poema que a sua inspiração pintou...Bjs querida.

    ResponderExcluir
  4. E quem não é assim amiga poetisa? Somos todas de acordo com as circunstâncias.Ora leoas, ora formigas, mas sempre lutadoras.Lindo o teu poema! Um canto de luta, amor , espera,solidão, fé e esperança.Amei! Escreves lindamente.Ótimo sábado com muito amor, luz, flores e cores para enfeitar tua alma.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  5. Minha talentosa amiga !
    Vc sempre nos surpreendendo com seus poemas que nos engrandece intelectualmente e fico sempre desejando ler a próxima...
    Bjsssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  6. Somos assim amiga, de fases!

    Encantador seu poema!

    Beijos,linda!

    ResponderExcluir
  7. Depois de uma semana sem entrar no blog, vejo uma alegria impensa de me deparar com uma leitura maravilhosa. bom fds.

    ResponderExcluir
  8. Marilene, tudo bem?
    Primeiro, muito obrigada pela visita frequente ao meu blog! De coração!

    Que poema lindo, rico! Dos que li de ti, foi o que mais gostei, pois ele está muito amplo e pleno!
    As metáforas estão incríveis, e somos mesmo, comparados a animais, cada um à sua natureza, uma coisa ou outra, e os sentimenos preenchem isso!
    Parabéns!
    Beijos e ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  9. Que cousa mais bela estes teus versos. Eu amei, Mari. Beijos beijos. Au revoir.

    ResponderExcluir
  10. Marilene

    Interessante poema, quem bem pode ser lição de humildade, enquanto estudo para uma alma apaixonada, capaz das várias metamorfoses, para se fazer notada e amada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Beautiful work Marilene

    have a nice wwekend

    Bye, Joop

    ResponderExcluir
  12. Os camaleões são fantásticos. Somos um pouco como eles. Mudamos nossas emoções para nos conseguirmos adaptar ao meio envolvente... Curioso mas parece que cada vez aprendemos mais com a vida selvagem!

    Feliz final de semana *

    ResponderExcluir
  13. Espetacular descrição de ti!Somos mesmo um pouco de tudo e estamos sempre aprendendo! Um ótimo fds, beijos,chica

    ResponderExcluir
  14. Ninguém é o mesmo todo tempo.
    Lindo poema! Disse tudo. Podemos mudar de opinião, de conceitos, de atitudes. Estamos aqui pra aprender sempre, com tudo e com todos.
    Ainda bem que não estamos terminados.

    Lindo poema Marilene!
    Um dia lindo e um fim de semana feliz! :)
    Beijosss

    ResponderExcluir
  15. Hola mi buena amiga, pasé por aquí por tú hermoso espacio para saludarte y también agradecerte tus bonitos comentarios que siempre me dejas cuando me visitas. Bonito post, precioso y hermoso todo lo que escribes, somos un poco como los camaleones que vamos evolucionando en las constantes fases de la vida para adaptarnos a nuestro entorno en el día a día, gracias por compartir. Que pases un feliz fin de semana lleno de sensaciones positivas. Un beso desde la distancia de un amigo.

    ResponderExcluir
  16. Camaleoa sempre! Na dor ou não! Sempre mudando e ao mesmo tempo mantendo-se! Grande desafio: Mudar sem deixar de ser!

    Nem preciso dizer com amo suas poesias não é? Rsss

    Foi uma das melhores coisas que fiz: um blog. Não só pela minha paixão de escrever, mas de forma especial por encontrar lugares como estes. Ler sentimentos, vidas, emoções de outras pessoas e estar perto delas sem nem mesmo nunca te-las visto!

    Bjs no coração!

    ResponderExcluir
  17. OI MARILENE!!!
    OS MEUS SINCEROS AGRADECIMENTOS PELOS TEUS COMENTÁRIOS, NAS VISITAS EFECTUADAS AO MEU BLOG.
    LENDO E RELENDO TEU POEMA, MUDAMO-NOS SEMPRE DURANTE NOSSA VIDA. COMO QUALQUER SER HUMANO, MUDASTE NA TUA VIDA, MAS ÉS A MESMA MULHER, MAIS MADURA E, QUE SABES O QUE QUERES. ÉS TUDO O QUE DESCREVES E PRARAFRASEANDO-TE, "ÉS ASSIM NASCIDA, ASSIM CRESCIDA, ASSIM AMADA...". TEM UM ÓPTIMO FIM DE SEMANA E RECEBE BEIJOS DESTE LADO DO MAR...

    ResponderExcluir
  18. "Sou assim, ora formiga, ora dragão.
    Sofro com as pisadas
    E assusto com urros loucos"
    Como me identifiquei com esse trecho!
    Belíssimo,Mari!
    Como sempre seu encanto nas palavras é sempre grande :)
    Vim pedir desculpas por minha ausência,tive vários problemas por isso a ausência,mas estou voltando devagar ao blog agora,a saudade era demaaaais!
    Espero que tudo esteja bem por aí
    Um beeijo e um doce fim de semana!

    ResponderExcluir
  19. 'O que vejo no íntimo
    É um ser que apenas caminha
    Carregando temor e desejando amor
    Frágil, sonhador,
    Ora saltando como a lebre
    Ora voando como o pássaro
    Ora se pavoneando pra encantar
    E pra se fazer gostar'

    Senti tanto sentimento por aqui...tradução perfeita do meu olhar flutuante a um "barquinho" que navega no mar.

    Muito lindo!BJS QUERIDA E BOM FIM DE SEMANA!

    ResponderExcluir
  20. Mari, minha querida
    Olha, te juro,um dos poemos, ouso dizer, mais lindos que já tive o prazer de ler em toda a minha vida!
    Você simplesmente descreveu metaforicamente e analogamente como nos assemelhamos aos animais e nossos passos para a evolução, por meio de um contínuo amprendizado...
    Uma maravilha de leitura, de "tirar o chapéu" e de te reverenciar mesmo como essa linda pessoa que tem o dom de escrever esses textos incríveis. Parabéns, Mari, mais que querida, Bjkas com muito carinho!

    ResponderExcluir
  21. Lindo Marilene!
    "E que, a cada momento, mudo minhas cores
    Como o camaleão,
    Pra conseguir conviver"
    Perfeito! PARABÉÉÉÉNS!
    Isso é preciso, às vezes eu tento mudar...
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Todo o mundo é feito de mudança, tal como a vida!... Importante é saber vencer e mudar sempre na hora certa!

    Beijos,
    AL

    ResponderExcluir
  23. Que lindos versos Mari...no fundo tudo o que se quer é amor e tudo o que se parece ser,na maioria das vezes não é...
    Adorei o poema,lindíssimo
    Beijos e bom final de semana

    ResponderExcluir
  24. Delicia; fase por fase!

    Adorei; abração.

    ResponderExcluir
  25. Boa tarde, Marilene.Fiquei apaixonada por este teu poema, que para mim é praticamente perfeito, uma vez que a perfeição não exite, pois estamos, ou devemos estar sempre a procura da superação!
    É fato de que você escreve lindamente inspirada, com alma e uma garra imensa.
    Ficou muito claro isso na dualidade dos teus versos.
    Somos todos assim, com um pouco de tudo nesta vida.Não somos fracos ou fortes o tempo inteiro.
    Espetacular o teu poema, talentosos versos que descreves com maestria as mudanças ocorrentes no ser humano!
    Um grande beijo, e excelente fim de semana com muita paz e vida!
    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  26. Que bela forma de ser, com a multiplicidade comum aos que evoluem.

    Marilene,
    nem sei mais que adjetivos dar a seus poemas, fico encantada, emocionada, extasiada, ao te ler.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  27. Boa noite, todos somos camaleões, sempre se camuflando para poder entender o ser humano, mais para se defender do que como predador, pois somos sensiveis e a tudo nos escondemos para assim poder fortalecer...bjin e fique com DEUS!

    ResponderExcluir
  28. Marilene,
    Creio que todos somos portadores dessa dualidade.
    Às vezes, não só precisamos mudar para nos adaptar
    às circunstâncias, mas também como meio de defesa.
    Ora somos fortes, ora frágeis, mas estamos participando da vida e aprendendo sempre.
    Belíssimo poema.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Olá,Marilene!!

    É difícil não se identificar com sua poesia!!
    Quantas vezes na vida,nos deparamos com nossa dualidade?!Ora somos fortes, como rochas, ora sensíveis e frágeis como uma flor...
    O importante é que temos a oportunidade de aprender e evoluir!
    Parabéns por colocar tudo isso em versos!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  30. Sábias e encantadoras palavras! grande talento! saio aplaudibdo...
    Bjs

    ResponderExcluir
  31. Minha querida

    Um poema feito de linhas e entrelinhas, como a vida, muito profundo este sentir.

    Beijinho
    Rosa

    ResponderExcluir
  32. Carinhosamente desejo a você
    um feliz final de semana.
    Creia você é muito importante para mim
    e lembre sempre.
    Deus não é nada do que você
    possa imaginar,ele é tudo que
    você pode amar sem medo.
    Bjs no seu coração,Evanir.
    Levando um pouco de você.
    E deixando um poco de Mim.

    ResponderExcluir
  33. Mari querida, esse resto de semana foi meio corrido aqui e fiquei meio atrapalhada em visitar todos nos bloguitos, mas está tudo ótimo, graças a Deus :) que saudades de suas palavras que tanto me encantam!!!

    E todos somos assim temos momentos de ser ferozes e momentos de ser mansinhos.

    É de coraão que te digo iso e juro queria poder dizer olhando em seus olhinhos, amo vc!!
    bjokitas mil!!!

    ResponderExcluir
  34. A verdade é que somos assim mesmo, tal qual camaleão que muda de cores para se auto preservar. Somos seres pequenos, com medo de uma fera maior...
    Marilene tão verdadeiros teus versos que me encantam a alma.
    Beijokas doces

    ResponderExcluir
  35. Você é humana, como todos nós. Bom de ler. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  36. Bom dia,Marilene!!

    Tenha um ótimo domingo!
    A partir de hoje, és meu destaque da semana.
    Tem selo de destaque (é opcional).
    *Como seu blog não tem selo, usei sua foto de perfil,mas se quiser que eu mude, me avise?!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  37. Que talento! Que inspiração! Um ótimo domingo, Marilene.

    ResponderExcluir
  38. Sem palavras Marilene!.. Seus poemas sempre tem o dom de nos encantar!

    Beijo grande em seu coração...
    Verinha

    ResponderExcluir
  39. Mari, amiga, saudades de ti!
    Ando sumida, mas sempre venho por estas bandas, beber um pouco da sabedoria de seus lindos poemas, com os quais sempre me identifico muito.
    "Que como todos, dependo do coração." AMEI!!!
    Um ótimo domingo, recheadinho de coisas boas, muita luz, paz e amor sempre.
    Bjokassssssssssssss

    ResponderExcluir
  40. Mari,tem selinho pra vc lá na minha página "Selinhos novos" É o selo "Esse blog é um sonho" para seu bloguito que merece e muito esse título!

    ps.: amei te ver como destaque da semana lá na Vivian :) mas no meu core, vc é destaque todo dia! ó que supimpa! rsrs
    bjokitas.

    ResponderExcluir
  41. por assim ser, tem alturas que quando termina o dia se tem saudade de si próprio. pois para enfrentar, se tem de desdobrar em facetas que nada têm a ver com a nossa forma de estar.
    mas quando o crescimento do individuo é baseado na dignidade e humanismo, seus gestos são sempre recheados de bem querer.

    gostei muito de tua expressividade poética.



    kandandos... inté.

    ResponderExcluir
  42. Belíssimos versos! Fragilidade e força ao mesmo tempo.

    ResponderExcluir
  43. MUITO obrigado pelas palavras, querida. Um enorme beijinho *

    ResponderExcluir
  44. Um barco parado no cais de espera
    Amarras soltas do frio ferro
    Uma gaivota adormeceu sem penas
    Uma criança chora no meio do aterro

    Cheio de penas amarro a alma
    Uma saudade arrocha meu peito
    Sou um caçador de nuvens breves
    Um romântico sem ponta de jeito

    Um barco de papel perdido do norte
    Roseira plantada num campo de pedras nuas
    Uma casa perdida da sua cidade
    Um labirinto feito de mil e muitas ruas

    Doce beijo

    ResponderExcluir
  45. Oi querida amiga Marilene. Depois de tantos e tão belos comentários sobre a tua maravilhosa poesia o que dizer? ainda mais eu que não tenho o dom de lidar com as palavras. Mas lendo tantos poemas lindos assim um dia ainda me tornarei um escritor kkkk. Um grande beijo, uma ótima semana, FIQUE COM DEUS.

    ResponderExcluir
  46. Tem hora de ser tudo né, minha amiga,
    e você descreveu com maestria nossas confusões emocionais a cada uma delas.
    Adorei a entonacao que deu a cada transformação nossa. Somos todos borboletas, será?

    Lindo, Mari!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...