22 de setembro de 2011

O VENTO


                                                             

                            Sou folha arrancada, que o vento levou
                            A caminhos desconhecidos
                            Que não procurei
                            E lá me deixou, seguindo seu curso.
                            Mas não retornei
                            Vi portas abertas
                            Onde não quis entrar
                            E outras fechadas
                            Que me pus a romper,
                            Essa foi a opção do meu viver
                           
                            Ele me trouxe  arrepios,
                            Eu os senti, com  desprazer,
                            Mas levou também as folhas já secas
                            Pra que outras pudessem nascer


(foto pessoal)
   
                            Chegou audacioso
                            Com força
                            Com ameaças
                            Mas de que adiantava o medo?
                            Aprendi que ele sempre passa


                           Se destrói, reconstruimos,
                           Fazemos muro de arrimo
                           E do tombo que nos dá
                           Das cicatrizes que deixa
                           Fica a coragem, sem queixa,
                           Que pode e logo o convence
                           De que,  mesmo com  astúcia,
                           Não nos vence


                                                          


                            Ele é só um desafio
                            Dos muitos que a vida traz
                            Dos tantos que já enfrentamos
                            Em tempos de luta ou paz
                            Não rompe raízes fortes
                            Limita-se aos galhos secos
                            Que o tempo já desgastou,
                            Os ciscos que aos olhos joga
                            As lágrimas logo limpam
                            Em tempo de ver, de novo,
                            O sol que ousou esconder,

                            Momentaneamente !
                                  
                           
                                                                  (Marilene)

                                                                        
Imagens tiradas da internet . Se, inadvetidamente, estiver ferindo direitos, gentileza comunicar, para imediata correção.

35 comentários:

  1. Marilene
    O poema que bem podia designar-se de VIDAS PERENES. Encantado, o meu pensamento baseia-se neste verso: "Ele me trouxe arrepios,
    Eu os senti, com desprazer,
    Mas levou também as folhas já secas
    Pra que outras pudessem nascer".
    Mais um poema a revelar a tua arte poética!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nenhuma ventania pode derrubar o que esta profundo em nosso coração, abraços

    ResponderExcluir
  3. Os vendavais por vezes são fortes mas se a raiz for forte sobrevive e dias de camaria virão.

    Lindo poema minha amiga.
    beijinhos
    oa.s

    ResponderExcluir
  4. Querida Marilene...

    Lendo seu poema me veio a mente a figura de um BAMBU..

    Seus calhos se curvam..mas dificilmente se quebram!!

    Um beijo...

    ResponderExcluir
  5. Bom dia,Marilene!!

    Que bela inspiração o vento de trouxe!!!!
    Uma analogia perfeita, para tantos momentos de passamos na vida!!Adorei!!
    Beijos pra ti!!!Tenha uma linda quinta!!

    ResponderExcluir
  6. **Desculpa o erro...rsrsr

    ...o vento lhe trouxe!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  7. Bom dia,Marilene.Certo é que muitas vezes o vento faz grandes estragos na nossa vida, nos deixa cegos temporariamente, só vemos a poeira que toma conta do nosso corpo com uma força incrível, mas lutamos para que o vendaval passe logo, e consigamos enxergar com nitidez, os caminhos que devemos seguir para sermos mais felizes.
    Um beijo grande, e fique com Deus!
    Obrigada pelo carinho, e tudo de bom!

    OBS:Quanto ao poema que o Daniel Costa irá fazer para você, parabéns.És talentosa e merecedora de tal!Beijinhos, e excelente quinta para você!

    ResponderExcluir
  8. O vento...hã o vento...que leva e que traz!!!

    Não me canso de elogiar você!! Amo suas poesias!!!
    P.S: Amei as imagens, muito bem escolhidas!!

    Tenha um Dia com bons e necessários ventos!!!
    Muita Luz!!!

    ResponderExcluir
  9. Muy bonitas tus letras y las imagenes.
    un abrazo.

    ResponderExcluir
  10. Mari querida, e o vento só nos traz o que conseguimos aguentar. Bom ou ruim é o que nos fará ser exatamente quem somos.
    :)

    Amiga, desejo que a sua primavera seja florida e repleta de coisas boas, bjokitas com carinho imenso!!!

    ResponderExcluir
  11. Mari, tua poesia (a parte final) me fez pensar no meu momento atual. As vezes um cisco em nossos olhos nos impedem a visão, nos incomodam, nos atormentam... e ele não sai até que mantenhamos a calma: quanto mais agitados mais ele fere. Mas sempre sai!

    Voltando ao TODO do texto... adorei a poesia... que assim como uma folha levada pelo vento (como descreveu) vem até nós e nos toca. segue se rumo - sem destino - simplesmente vai.

    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Amiga Marilene, bonito poema. É isso ai, retiremos as lições que o vento proporciona e as apliquemos em nossas vidas.
    Um grande abraço. Tenhas uma linda tarde.

    ResponderExcluir
  13. boa tarde amiga linda!
    Como me delicio nas tuas escritas...sejamos iguais o bambu,que nas fortes tempestades entortam ,mais não quebram...
    bjsssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  14. Hola mi buena amiga, pasé por aquí por tú hermoso espacio para saludarte y también agradecerte tus bonitos comentarios que siempre me dejas cuando me visitas. Bonito post, hermoso y mágico todo lo que escribes, tenemos que ser tan fuertes como la caña de Bambú que aguantan a grandes ventanales y tempestades, gracias por compartir esta preciosa poesía. Que pases un feliz fin de semana lleno de sensaciones positivas. Un beso desde la distancia de un amigo.

    ResponderExcluir
  15. Uma analogia perfeita das diversas etapas da nossa vida! Encantador!
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Ma....amei seu carinhoso comentário.

    Obrigada pelo carinho de sempre!!!

    bj

    ResponderExcluir
  17. Ótimo poema! Belíssimas imagens!

    Um abraço, Marilene!

    ResponderExcluir
  18. Vento que vem de longe e que vai pra longe, levando e trazendo sentimentos,,,amores,,,desejos, sonhos e saudades...obrigado pelo carinho de sua visita...volta sempre que desejar...grande beijo de boa noite pra ti.

    ResponderExcluir
  19. Eu nao encontrei o quadrinho de seguidores...

    ResponderExcluir
  20. O sol esconde-se momentaneamente, depois volta!Bjs

    ResponderExcluir
  21. Marilene, que lindeza amada.
    Amei teu poema a palavra aqui é poesia e poesia.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  22. Marilene o prazer é todo meu em te receber e sou grata pela visita, amo esta "reação em Cadeia" e a Emiliana é genial, estimula a criatividade nossa , ao mesmo tempo que retoma o verdadeiro sentido da blogosfera: a partilha , o conhecimento, quer coisa melhor? Abraços.

    ResponderExcluir
  23. Voltei para concluir: amei sua forma de fazer poesia.

    ResponderExcluir
  24. Olá mana,
    Poema encantador e que traduz a força com a qual
    devemos enfrentar as tempestades que assolam temporariamente as nossas vidas.
    Esse vento forte é mesmo um desafio "que não rompe raízes fortes", conforme você lindamente colocou.
    Uma primavera perfumada para você.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  25. Marilene

    Simplesmente, filosofia do positivismo, em poema.
    Beleza poética, demais. Li e revi por este prima de que gosto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Lindo querida!Sensibilidade pura e poética. Que nesta primavera que se inicia os ventos sejam brisas serenas e te dê dias encantados, enflorados e inspirados.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  27. É uma delicia ler-te... Tuas palavras são brisas suaves acariciando o rosto!


    Beijos,
    AL

    ResponderExcluir
  28. Que o mesmo vento que traz alegrias e tristezas, possa levar para trás as tristezas e trazer todos os aromas das flores para encantar o teu dia, todos os dias... beijos no coração

    ResponderExcluir
  29. Bom dia,Marilene!!

    Vim desejar uma ótima sexta e um bom início de primavera!!!Que seja bem inspiradora!
    beijos!

    ResponderExcluir
  30. Um belo final de semana pra ti minha amiga, repleto de flores e poemas...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  31. Nice Share , By the way .. I Already Follow , I wait Your Follow back .. Page Rank 4 Blog from indonesia

    ResponderExcluir
  32. Oi amiga, andamos todos ventando por aí rsss quantos poemas sobre ventos tenho visto, inclusive os meus, a natureza sempre inspirando lindos versos.
    Adorei o poema e as imagens, beijos e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  33. ah, o verso que corre de vento em poupa!

    beijo em ti.

    ResponderExcluir
  34. Muito bom Marilene!

    Na vida tudo passa e nós, passageiros dos ventos do destino. Descobrimos a hora de ceder, a hora de avançar... Belos versos.

    Um abração e um fim de semana com bons ventos.

    ResponderExcluir
  35. Querida amiga,

    Esses ventos feitos versos são um verdadeiro hino de otimismo e renovação.
    E no sol de cada dia a certeza de que há sempre a chance de se recomeçar...

    Um beijo carinhoso em seu coração e que você tenha um final de semana de alma perfumada

    Deus seja contigo

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...