12 de outubro de 2011

DESILUSÃO



                                                                   


                                        Agoniza o sonho
                                        No nascer da aurora,
                                        Noite insone e fria
                                        Sem a companhia
                                        Do que era esperado,
                                        Cai a chuva fina
                                        Chora a alma em rimas


                                        O jarro sem flores
                                        Conta suas dores
                                        E a beleza ausente,
                                        Até ele sente
                                        Que ficou vazio
                                        Sem a excelência
                                        Das rosas vermelhas
                                        Das velas acesas
                                        Que por sobre a mesa
                                        Eram luz e vida 



                                                    
                                        As paredes guardam
                                        O som dos sorrisos


                                        E a foto do abraço
                                        Que tanto encantava
                                        Ora está rasgada
                                        E jogada ao chão


                                                      
                                        Todo o ambiente
                                        Foi contaminado
                                        Com a forte tristeza
                                        Da desilusão


                                                                         (Marilene)


Imagens tiradas da internet.  Se, inadvertidamente, estiver ferindo direitos, gentileza avisar, para imediata correção.

37 comentários:

  1. Marilene, tudo bem?
    Lindo poema, garota!
    Sentimentos, sensações nas entrelinhas, o vazio, a vontade de preencher, o golpe duro como um soco no estômago que é a desilusão, e apenas isso, um passar para outra página sem termos mais o livro.

    Muito obrigada pela presença por lá, sempre muito inteligente!
    Beijinhos e ótimos dias :)

    ResponderExcluir
  2. Quando o ambiente está assim quarentena nele!:))Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  3. Nossa Marilene, quanta intensidade!
    Em meio ao vaso quebrado
    E a tristeza sem fim
    Os cacos ainda não cicatrizados
    Ainda doem em mim...

    Beijo, tenha uma boa noite!

    ResponderExcluir
  4. Uma beleza de poesia. Forte, inspirada e bem escrita!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Olá amiga. È simplesmente belo post! Muito intenso e profundo e retrata claramente um sentimento de desilusão, decepção, mágoa. Bjos e bjos. Obrigada sempre!

    ResponderExcluir
  6. Nossa, MANA, que lindo!
    Você é mesmo formidável na arte de poetizar.
    De tão intensos os versos, esta desilusão ficou ainda mais dolorida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Isso é a desilusão: algo que foi e deixou de ser, algo que tivemos/amámos e deixamos de ter/amar!
    Muito bonito, parabéns
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi Marilene, mas que lindo, amei, abraço, JF.

    ResponderExcluir
  9. Intensos e lindos teus versos! beijos,ótimo dia e tudo de bom!chica

    ResponderExcluir
  10. Vaso solitário, esperando flores felizes, seja forte, não há coração sem amor, abraços

    ResponderExcluir
  11. Com essas desilusões vamos nos fazendo fortes pra seguir caminhos e conseguirmos nos reerguer...beijos de bom dia pra ti querida.

    ResponderExcluir
  12. Métrica perfeita - lindas redondilhas menores - embrulhando para presente sentimentos fortes. Parabéns, Marilene.

    ResponderExcluir
  13. Mari, caiu perfeitamente comigo essa poesia! Desilusão tem sido uma palavra latente...

    bjs querida, e obrigada pelo carinho lá no meu blog... adoro entrar e ver que vc esteve lá!

    somos mesmo esse jarro, essa parede, esse ambiente sentindo a falta de algo, de alguem. reclamando os vultos que um dia estiveram ali, as pegadas que um dia pisaram ali, os som que um dia quebraram o silencio que hoje grita.

    perfeito

    luiza
    www.barracodevidro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Olá,Marilene!!

    E como é forte e intensa a dor da desilusão!!!
    Lindos versos poetiza, que cortam o coração!
    Beijos pra ti!
    Lindo dia!!
    *Ontem fiquei com problemas na net...só consegui fazer algumas visitas, depois trancou tudo!!

    ResponderExcluir
  15. Lindamente tristes seus versos...retratou com perfeição toda a dor que causa a desilusão...
    Minha querida, tenha um feliz dia, agora uma doce tarde...beijos...
    Valéria

    ResponderExcluir
  16. Oi, Marilene!
    Seu poema é taciturno em consequência do tema, mas a poesia requer dor profunda seja física, seja espiritual para ser transformada em obra de arte como bem fez aqui.
    A desilusão nos esvazia a vida; murcha nossa alma, mas nos ensina muito.

    Parabéns pelo alumbramento.

    Esse poema é uma obra-prima!

    Abraços do amigo de sempre!

    ResponderExcluir
  17. Que tema...Duro e ainda assim muito presente em alguns momentos...
    Poema profundamente tocante.
    Bjs linda. Em divina amizade.
    Sonia Guzzi

    ResponderExcluir
  18. Mari querida, nossa doeu em mim suas palavras!!! Vc tem um poder de nos fazer sentir cada verso, cada palavra amiga.
    Belas palavras tristes.
    bjokitas com afeto imenso pra ti.

    ResponderExcluir
  19. wow! maravilhosa, parabéns.

    Meu beijo para você

    ResponderExcluir
  20. detenho-me, hoje, no título, querida amiga: desilusão. a força dos prefixos anula o aparente vigor da significação, levando-nos a crer que no léxico, como nas relações, o que vinga não é, muitas das vezes, a essência. afinal, a desilusão constrói-se sobre a ilusão.
    beijinho!

    ResponderExcluir
  21. Um lindo final de semana pra ti minha querida amiga, muita paz, carinho e poesia sempre...beijos e beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  22. Poeticamente triste...mas LINDO!!

    Tenha um Belo Fim de Semana!!
    Paz e Luz!!

    ResponderExcluir
  23. E como as desilusões nos ensinam, aprendo tanto com elas que já estou curtida rsss o jeito é não mais nessas malhas cair e hoje rosas vermelhas quero em meu coração deixar surgir.
    Lindos versos, beijos e bom fim de semana pra ti!

    ResponderExcluir
  24. Belíssimo e intenso. Parabéns Marilena! Bjs e lindo finds para vc! A.

    ResponderExcluir
  25. A desilução é uma dor lancinante.

    O seu poema é soberbo.
    um abraço
    bom fim de semana
    oa.s

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Oi,Marilene, vc está escrevendo cada vez melhor. Gostando de ver! Beijão,
    Milu Duarte

    ResponderExcluir
  28. Nem preciso dizer que está lindo.
    Mas não posso calar-me, está MARAVILHOSO!

    Que desilusão mais brilho de sol Marilene.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  29. Belíssima produção, querida. Bj inquieto e carinhoso na alma da qual ele brotou... Bjs, Marilene!!!

    ResponderExcluir
  30. Olá Marilene! Vigilante o Olho de Hórus protege esse vazio, essa incompletude de amor……Bjs

    ResponderExcluir
  31. Marilene.....

    Consigo imaginar e sentir cada paragrafo do seu belo poema.
    Deus te deu o dom!! Conserva!!
    O poema pra ser belo tem que tocar o coracao...o seu toca..sempre...


    Obrigada pelas palavras carinhosas no meu blog.

    Admiro muito vc e sua inteligencia.

    Beijo...bom final de semana!!

    ResponderExcluir
  32. Marilene

    O poema é lindo, embora nos fale de desilusão. A ausência de beleza reflete.
    Beijos

    ResponderExcluir
  33. Aqui eu treino a minha emoção, saio sempre com o coração batendo mais forte...Beijos, Marilene.

    ResponderExcluir
  34. Às vezes vem esta incompletude e deixa na alma este vazio de jarros de porcelana chinesa sem flores.Lindissimo e cantate poema Marilene.Gosto desta sonoridade intriseca.Voce inspira com muita elegancia em seus textos.Meus aplausos por mais este belo trabalho para nosso deleite.
    Um abraço terno de paz e luz.
    Bju.

    ResponderExcluir
  35. tri...gostei..interessante...vamos ver..
    DESILUSÃO
    Pequeno engano na leitura,
    visão distorcida dos fatos,
    realidade mal compreendida,
    sentimentos mal resolvidos,
    sonos interrompidos,
    por desejos mal vividos,
    e o turbilhão de prazeres,
    prazeres insanos..que viram
    coisas outras...mas, que não
    são prazeres e sim um ledo engano..AZ

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...