4 de outubro de 2011

INSATISFAÇÃO HUMANA



                                                                
                                     Sou a bêbada borboleta, disse ela,
                                     Que voa sem ter destino
                                     Pousando a esmo nas flores
                                     Para aplacar suas dores.
                                     Tenho cores e beleza
                                     Corro em toda a natureza
                                     Mas me falta seu perfume
                                     Razão do meu grande queixume
                                     Nesse louco borboletear


                                                           
                                      Sou a curva das estradas,
                                      Onde ninguém quer parar
                                      Mesmo que existam mil flores
                                      A me circundar
                                      Mostro horizontes belos
                                      Que os olhos não querem ver
                                      Com receio do perigo
                                      Que lhes possa oferecer


                                                   
                                      Sou o  canto desiludido
                                      Da partitura fugidio
                                      Que as notas não observa
                                      Porque ninguém quer  ouvir.
                                      A harmonia da música
                                      Se recusam a sentir
                                      Por medo dos sentimentos
                                      Que lhes possam traduzir


                                                    
                                      Sou aquele ser perdido
                                      Que a vê mas não quer  guarida
                                      Por sentir nela a prisão
                                      E prefere viver a esmo, sem destino
                                      E sem noção,
                                      A entregar seu coração...


                                      E vive insatisfeita
                                      Em tudo encontra um senão
                                      Porque acima das flores, dos amores,
                                      Deixou a sua razão
                                      E se mantém arredia, temerosa,
                                      Com medo da desilusão


                                                                             (Marilene)






NÃO RESISTI E TROUXE PARA O EXTERIOR O QUE FOI COLOCADO DENTRO , NOS COMENTÁRIOS, PELA BELEZA, PELA CRIATIVIDADE, PELO TALENTO... E PELA EMOÇÃO QUE O PRESENTE ME CAUSOU.

R. R. Barcellos deixou um novo comentário sobre a sua postagem "INSATISFAÇÃO HUMANA":

Pousa na minha lapela, borboleta, e escuta:
Não andes descalça sobre espinhos de cactos,
Mas na pétala macia e morna da flor
Caminha com pés nus.

E tu, linda estrada sinuosa,
Não queiras ser auto-estrada, longa e reta,
Para a qual os poetas não fazem versos
E os menestréis não os cantam.
(Lembras "As curvas da Estrada de Santos"?)

Vem, cantiga dolente e sussurrada...
Diz-me em suave murmúrio,
Ao pé do ouvido,
Que tu me amas;
E eu rabiscarei na pauta de tua partitura uma pausa semibreve
Para que ouças no teu silêncio o pulsar de meu coração.
(E ouvirás também o teu.)

Achei-te, ser perdido!
E ao encontrar-te me perdi também.
E perdidos nesse doce labirinto,
Caminharemos juntos, sem destino,
Sem nunca encontrar nossas pegadas,
Sem o medo de encontrarmos a saída...


Poemas belos inspiram belos poemas.

                   


OBRIGADA!!!!!!!  Seu lindo poema ficará aqui, junto ao meu post, para ser lido, frequentemente.




Imagens tiradas da internet. Se, inadvertidamente, estiver ferindo direitos, gentileza comunicar, para imediata correção.

51 comentários:

  1. Oi Marilene!
    Tem muita gente assim, não se entrega aos sentimentos por medo.
    http://zilanicelia.blogspot.com/
    Abrçs

    ResponderExcluir
  2. Mari, minha amiga sorridente :)
    Viver em função do medo só nos traz malefícios. E às vezes conservamos o medo dentro de nós sem percebemos que ele nos corrói. A vida tem tanto a nos dar, a nos oferecer é só a gente mandar esse danado passear.

    bjokitas pra ti recheadas de carinho!!!

    ResponderExcluir
  3. É Mari, somos feitos de medo e sonhos.

    Mas como saber o que encontrar no fim da estrada senão ousarmos por nela os pés?

    As vezes é tão difícil não? Mesmo que queiramos recomeçar ou simplesmente começar, há sempre algo que nos faz repensar ou mesmo temer.

    Bjs querida, enfim o blog ta funcionando... Fiquei muito feliz e tranquila.

    ResponderExcluir
  4. Que encanto, suas palavras penetram em todos os cantos. Você é como um pássaro a voar, leva sua nostalgia ou alegria por onde passar. O medo está sempre nos espreitando diante de nossa fragilidade humana, mas também o vemos passar, dando lugar a segurança e também a esperança. Bjim. Amooooooo seus escritos sempre.

    ResponderExcluir
  5. a insatisfação é um sentimento que muitas vezes entristece nossa alma.

    ResponderExcluir
  6. Falta coragem de ser feliz.
    Um grande bj

    ResponderExcluir
  7. Mais uma vez aqui, neste jardim encantado, cujas flores são palavras... Beijos, querida.

    ResponderExcluir
  8. Perfeito! Ah, to suspirando...suave e verdadeiro, mas quem sabe um dia ela se entrega a paixão? Bjin

    ResponderExcluir
  9. Olá, Marilene. Obrigada sempre pelo seu carinho. Temos realmente medo. Gisa disse muito bem: Falta coragem para ser feliz. Más é preciso arriscar, mesmo que hája dor. Vale tudo por amor!! Lindo amiga!! Bjos no seu coração.

    ResponderExcluir
  10. O medo muitas vezes nos impede de ser feliz...
    Sensível e profundo!

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  11. Olá MANA,
    A insatisfação humana ofusca e impede o encontro da felicidade. Por mais que a vida nos ofereça
    instrumentos para a satisfação do nosso SER, relutamos e buscamos sempre um porém em tudo.
    Queixamos de tudo. Pouco valorizamos.
    A razão se sobrepõe ao sentir e nossa alma
    sofre com nossa ausência de percepção.
    Seu poema está encantador!
    Amo ler e refletir sobre a motivação de seus versos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Marilene,
    Você coloca tanta realidade e reflexão nesses teus versos que eu so posso aplaudir. O ser humano é constituido de sonhos e medos com certeza. E muitas vezes os sonhos nao se concretizam pq não deixamos o medo ir embora.
    beijokas doces e uma quarta-feira de paz.

    ResponderExcluir
  13. Marilene, gostei da bêbeda borboleta.

    De borboleta, vai um poema meu, para você:

    A BORBOLETA
    (Nome do poema foi modificado para BORBOLETA)



    Desejos fulminantes despertaram,
    na hora em que o jardim se pôs.
    Borboletear a sina,
    beijar, sugando amáveis bordas,
    sugar profundos cálices,
    hímens delorar.
    Bela, bela...
    Não há feio quando é fim.

    Aqui estais... Aqui o prazo
    de duas vidas contínuas:
    - Último vôo entre espinho
    e flor!

    Dormir, não acordar,
    antegozando a dor da noite funda.

    Mais uma vez uma esperança morre.

    Francisco Miguel de Moura

    Beijos de borboleta, até amanhã
    francisco miguel de moura

    ResponderExcluir
  14. Marilene,

    Vai lá no meu blog e veja no post "More of me" que tem uma missão para você. Beijokas doces!

    ResponderExcluir
  15. Olá Marilene!!

    A insatisfação humana, medo só trás a falta da ousadia e a não realização!

    Lindo Poema!!
    Beijinhos Querida!
    Muita Luz!!

    ResponderExcluir
  16. poema muito imaginativo e belo, acentuado de interessantes ilustrações, Marilene.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. I can't find the right words Marilene

    It's really....BEAUTIFUL....AMAZING.... FANTASTIC

    my compliments for you..

    Greetings, Joop

    ResponderExcluir
  18. Chegar aqui é sentir cheiro de prosa.
    A poesia nos abraça tão apertadinho.
    E o poema é nota suave de uma melodia de amor.

    Intenso, profundo e lindamente poético.
    Beijo amada

    ResponderExcluir
  19. Bom dia,Marilene!!

    Linda poesia!!!E tem épocas da vida que são bem assim...a insatisfação nos incomoda,temos medo de se decepcionar, de sofrer...mas como tudo passa...
    E voltamos a viver com esperança e coragem!!
    Beijos pra ti!!!!

    ResponderExcluir
  20. Muitas vezes nos sentimos assim, envoltos em medos, em indefinições de caminhos,,,mas logo essa fase passa e tudo se clareia em sol...beijos de bom dia pra ti.

    ResponderExcluir
  21. Pousa na minha lapela, borboleta, e escuta:
    Não andes descalça sobre espinhos de cactos,
    Mas na pétala macia e morna da flor
    Caminha com pés nus.

    E tu, linda estrada sinuosa,
    Não queiras ser auto-estrada, longa e reta,
    Para a qual os poetas não fazem versos
    E os menestréis não os cantam.
    (Lembras "As curvas da Estrada de Santos"?)

    Vem, cantiga dolente e sussurrada...
    Diz-me em suave murmúrio,
    Ao pé do ouvido,
    Que tu me amas;
    E eu rabiscarei na pauta de tua partitura uma pausa semibreve
    Para que ouças no teu silêncio o pulsar de meu coração.
    (E ouvirás também o teu.)

    Achei-te, ser perdido!
    E ao encontrar-te me perdi também.
    E perdidos nesse doce labirinto,
    Caminharemos juntos, sem destino,
    Sem nunca encontrar nossas pegadas,
    Sem o medo de encontrarmos a saída...


    Poemas belos inspiram belos poemas.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Marilene, quase que senti o bater das asas…Bjs

    ResponderExcluir
  23. Entre aparições e esconderijos
    vamos tateando pelos fatos,
    espreitando muitos atos,
    desconfiando e acreditando.
    Mas, que remédio tomar
    se nessa seara conhecida
    estamos á mercê,
    do inesperado da vida?
    E assim seguimos nós,
    tontas borboletas coloridas.(Eu)

    Cedi ao impulso de sonhar nas asas da tua linda e cautelosa borboleta.
    Passeei contigo nos versos, nas imagens, nos sentimentos.
    Bjos furta-cor.
    Calu

    ResponderExcluir
  24. Marilene tudo bem?? lindo poema...se entregar ao medo de viver..a insatisfação constante no viver é oque mais vemos hoje em dia..
    É bom dar azinhas a esperança e a Fé...
    Que bonito poema que lhe foi retribuido..
    beijos
    titi

    ResponderExcluir
  25. Lindo, os doois! Amei !
    Talento solto por aqui *-*
    Beijo!

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde, Marilene. Perfeito, perfeito e perfeito!
    Como você conseguiu traduzir um sentimento humano tão bem em forma de poema? Você é extremamente talentosa, e eu fico a cada dia abismada com esse seu dom.
    Ao outro poeta, deixo os meus parabéns, por tanta beleza, sensibilidade e verdade num poema só. Excelente!
    Eu não o conhecia, porém você fez bem demais ao deixá-lo junto a ti.
    Vir aqui é extremamente MARAVILHOSO!!!!!!!!!
    BEIJO AOS DOIS, TEMOS MUITO O QUE APRENDER, OU APENAS SENTIR COM OS DEUSES DA POESIA!
    FIQUEM COM DEUS, E TUDO DE BOM!

    ResponderExcluir
  27. Como dizia-se no Raul Gil...tiro o chapéu para os dois poemas, o teu um desabafo,o dele...nem tenho palavras, lindo!!!
    Por isso amo a poesia, nos encanta, nos faz pensar, voar, crescer, amar, compreender e nos extasiar.
    Parabéns aos dois, gostei demais!
    beijos

    ResponderExcluir
  28. Oi Ma.. acabei de vir do Blog do Rodolfo!

    me encantei por la!!

    Bela dupla de queridos voces fazem. Queridos amigos e talentosos!!
    amo os dois!!!

    bj

    ResponderExcluir
  29. Lindo o poema da borboleta e lindo também o poema dedicado e bem merecido.
    Bjs

    ResponderExcluir
  30. Marilene, eu também não resisti. Quando um poema inspira outro, a onda cresce como um tsunami... e mesmo o epicentro estando aqui, provocou marolas lá no Sete Ramos.
    Obrigado por destacar meu comentário, e obrigado, principalmente, por inspirar-me. E com o risco de passar por pedante, permita-me citar uma frase minha:
    "A beleza exterior do verso vem da pena do poeta; a emoção vem de quem o inspirou".
    Beijos, inspiradora minha.

    ResponderExcluir
  31. Marilene,
    que lindo!
    Imagine só... ainda estou trabalhando, dei uma pausinha e vim aqui e li este poema maravilhoso, me lembrei da música da Rosana Arbello, não sei se você conhece: "mejor vivir sin miedo".

    Mas que comentário do R.R., fiquei pasma! Maravilhada mesmo!
    Prabéns para ti e a ele, pela sensibilidade e carinho!

    ResponderExcluir
  32. Passando pra desejar uma linda noite e um dia radiante amanha beijos meus :*

    ResponderExcluir
  33. Marilene , lindo, os dois. O medo as vezes atrapalha a nossa felicidade.Deixo um abraço e uma ótima continuação da semana. Beijo grande!
    Smareis

    ResponderExcluir
  34. Minha querida, vim conhecer aquela que, sem querer, tornou-se a "parceira" do meu amigo Rodolfo Barcellos nesta linda composição poética, e dar os parabéns pelo encanto de seu poema!!
    Na verdade, seu poema foi o estopim para que aquele furacão, aquele "vulcão dos versos" pudesse explodir os dele...igualmente belos!
    Se quiser, veja também meu comentário lá no RR.
    Um beijo, vocês arrasaram!!
    Graça Lacerda

    ResponderExcluir
  35. Olá... Passando pra conhecer teu blog, amei e vou voltar sempre. Já te seguindo também, claro! Beijo grande e ótima noite

    ResponderExcluir
  36. Marilene, se você achar que eu, de alguma maneira, prejudiquei com minha postagem o seu "blog", me avise. Eu retirarei (com muita pena) a matéria. E fique à vontade para usar qualquer conteúdo do Sete Ramos dentro dos seus critérios de ética.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  37. "Sou a curva das estradas,

    Onde ninguém quer parar

    Mesmo que existam mil flores a

    me circundar..."

    Lindo texto, adorei. Boa noite, bjo

    ResponderExcluir
  38. Muy bonitos los poemas, la insatisfacción
    no es buena consejera.
    que tengas una buena semana.
    un abrazo.

    ResponderExcluir
  39. Bom dia preciosa!
    Agora são dois belos poemas expostos, para nosso deleite.
    Marilene, aqui encontro o ar puro da poesia.

    Beijinho linda

    ResponderExcluir
  40. Marilene, tenho certeza que esta linda borboleta vai encontrar a beleza que vive ao seu redor e voltará a ficar satisfeita.bjs

    ResponderExcluir
  41. Um dia repleto de carinho e poesia pra ti minha amiga querida....beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  42. Bom dia,Marilene!!

    Que lindo a poesia do seu amigo!!!Um complementa o outro!!Belíssima inspiração!!Fizeste bem em colocar no post!!Beijos!!

    ResponderExcluir
  43. Olá Marilene !!

    Nossa, vim aqui lhe visitar e fiquei encantada com esta postagem ! Lindo seu poema e o complemento do do seu amigo, é realmente maravilhoso e emocionante, as duas poesias se completam e nos envolvem num mar de sensações deliciosas e reflexões sobre a natureza humana, este nosso instinto de sobrevivência que às vezes nos deixa temerosos, mas cada um é único e especial até mesmo nestes momentos :)
    Amei a postagem !!

    Um beijão e bom restinho de semana !!

    ResponderExcluir
  44. Marilene, como sempre está de parabéns. Um poema duma sensibilidade enorme, em perfeita harmonia e em complemento com as palavras de R. R.Barcellos, adorei...para ler e sentir...

    um abraço a ambos.
    oa.s

    ResponderExcluir
  45. Nossa minha querida...fiquei aqui encantada com os dois poemas... que coisas mais lindas, mais profundas, de uma sensibilidade que toca...
    Parabéns aos dois...beijinhos
    Valéria

    ResponderExcluir
  46. Lindo lindo !!
    Parabéns Marilene, você tem nas palavras a sua identidade.
    Amei esse borboletear dos dois, ele completou o show!
    Um presente encantador, como voce que nos encanta!
    Biejokass

    ResponderExcluir
  47. Tenho algo pra você!...
    claro que nada comparado a tua graciosidade poética que admiro, mas tento fazer o melhor.
    Retira lá, tá?
    No mesmo local: Presentes- cartões para amigos
    Obrigada pelo seu carinho nos coments.

    Beijos

    ResponderExcluir
  48. OI MANA,
    Fui lá no Barcellos deixar registrado o meu encantamento pela parceria que se formou, embora não planejada, mas da qual aconteceu um magnífico resultado.
    Aos dois, a minha admiração.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  49. ELIETE

    Não consigo responder você, o endereço não aparece. Se entrar aqui, por favor, deixe-o. Obrigada.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  50. o estado de incompletude é o motor do homem. o desejo de querer ser grande, de ser maior, é o vinho-veneno que incita a não desistir.
    o teu texto explora de modo perfeito a dicotomia entre o que se é e o que se persegue.
    um abraço em inquietação, marilene!

    ResponderExcluir
  51. Querida Marilene, estou vindo do blog de Rodolfo, onde aplaudi este maravilhoso e feliz encontro de dois menestréis da poesia. Vim aplaudir aqui tb, pois nunca é demais, quando a leitura nos satisfaz tanto assim. Um ótimo fds, beijos carinhosos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...