13 de maio de 2012

DESPERTAR

(Surreal Illustration by NekoKirara)


                                            
                            Ao ver sua sombra ajoelhada
                            Constatou que ultrapassara
                            Todos limites da dignidade humana,
                            Como chegara ao ponto
                            De ignorar os próprios pés?
                            Em nome do amor, abraçara
                            A ignorância, a incapacidade,
                            O desaprender ...
                            Pode alguém ser feliz
                            Sem se erguer?


                            Observou os tapetes
                            E nem se lembrou da maciez
                            Dos pelos que abrigaram
                            Brincadeiras,
                            Das quais se levantava
                            Para abraços e sorrisos
                            Sentiu-os como espinhos
                            A machucar
                            Seus joelhos de subserviência


                            Um clarão se impôs
                            Com o chamado da consciência 
                            Poderia capengar, tropeçar,
                            Mas voltaria a andar, ereta,
                            Ainda que carregasse
                            Por algum tempo
                            Sua pesada bagagem de solidão
                            E desamor


                                                           (Marilene)

35 comentários:

  1. É tão bom, poeta
    saber
    desse erguer

    Prezo a dignidade

    ResponderExcluir
  2. O amor, quando se baseia no dar tudo sem ter um compartilhamento se torna assim: indígno!
    Às vezes, ficar atrás de migalhas, torna a pessoa um mendigo de amor, de carinho, de atenção e acaba por rastejar para ganhar algum afeto. É necessário despertar para a condição de pedinte, e mesmo que carregue essa bagagem de solidão tem que aprender a si amar, pois a nossa dignidade se firma na amor próprio. Lindos versos. Parabéns!
    Beijokas doces Marilene e uma semana maravilhosa.

    ResponderExcluir
  3. Marilene, tenho tentado me erguer, permanecer ereta e suportar o peso dessa bagagem cheia de solidão e desamor, Deus sabe o quanto tenho tentado.
    Ao ler o comentário da Marly, me senti essa mendiga do amor, carinho, atenção.
    Me questiono, quando vou aprender a me amar em primeiro lugar?

    Minha amiga, como me encontro aqui nos seus Momentos Fragmentados!!

    Beijos cheios de carinho.

    ResponderExcluir
  4. Penso que amor belo é o amor correspondido... quando acontece o contrário, deve ser revisto! Acredito que todos já passamos por momentos assim...

    Depois de algumas semaninhas danadas de puxadas, estou voltando ao normal na blogosfera...

    Bjks

    ResponderExcluir
  5. Oi, Marilene. Boa noite amiga! Quantas verdades nesse poema. Levantar, se erguer é necessário. Suportar o peso não é fácil! Posso falar sôbre isso. Más vamos aprendendo que a base tudo é o compartilhar e não mendigar amor! Obrigada pela partilha e sabedoria. Bjos e bjos no seu coração! Linda semana.

    ResponderExcluir
  6. Um dia das mães iluminado, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  7. Adoro suas poesias pq são cheias de grandes pensamentos! Abraços

    ResponderExcluir
  8. Muitas vezes o amor nos cega...nos deixa sem ver mais nada a nossa volta...beijos de boa semana pra ti amiga.

    ResponderExcluir
  9. O amor e o amar, não pode nunca ser indigno, subjugado, nunca.
    Seja feliz sempre, amo seu poetar...um abraço carinhoso.

    ResponderExcluir
  10. Bom dia,Marilene!!

    Que poesia forte!Sentimentos dolorosos...já vi de perto uma alma que carrega o desamor...é bem complicado.Mas acredito que tudo nos ensina.Ficamos mais fortes.Mas temos que querer aprender...
    Beijos querida poetisa!Obrigada pelo carinho!
    Todos melhorando por aqui.

    ResponderExcluir
  11. " Ainda que carregasse
    Por algum tempo
    Sua pesada bagagem de solidão
    E desamor". Creio que isso serve para uma pessoa que conheço muito bem.

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Olá amiga Marilene, devemos aguentar todo peso das perdas, dores, consciências, erros, nos perdoar e seguir eretos com certeza Uma linda semana p vc amiga! bjooooss

    ResponderExcluir
  13. Se o caminho é largo, caminha de mãos dadas, lado a lado. Na senda estreita, um após o outro. Mas, só ou acompanhado, para caminhar é preciso estar sempre de pé.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Dignidade humana
    Essa palavra, pronunciada em vão
    Numa desconhecida esperança
    Que deixa triste o coração!

    Sem claridade
    A escuridão
    Sem liberdade
    A repressão!

    Boa segunda-feira, para você, amiga Marilene,
    um beijo
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  15. Boa tarde, Marilene.
    O amor só é algo positivo quando nos torna mais do que somos, quando nos diminui e inferioriza, aí não é amor, é outra coisa bem diferente.
    Abraço,Marilene.

    ResponderExcluir
  16. Uma poesia forte que se baseia bem em alguns casos reais.
    O amor as vezes nos deixa sem visão em nosso caminho. O importante é sempre estar de pé. Beijos e ótima semana.

    ResponderExcluir
  17. Marilene, entendo tão bem esses seus escritos....Frequentemente me faço essa pergunta, porque por amor acabo me colocando nessa posição subserviente, consigo me reerguer, mas não é o ideal, que se chegue à esse limite, tema inclusive que pretendo abordar em breve. Lindo e verdadeiro, um abraço!

    ResponderExcluir


  18. Es toda una motivación pasar a saludarte aunque no nos veamos. Solamente se encuentran y dialogan fluidamente los textos de nuestros sentimientos.

    Lo que nos une día a día sin tener en cuenta el tiempo ni la distancia que nos puedan separar, sin causarnos alejamiento alguno. Siendo una inmensa satisfacción saber que tú estas ahí y que escuchas el susurro de las palabras haciendo que sea aun más bello y poético el aliento de nuestra amistad.

    Un beso hecho suspiro

    Y un abrazo hecho zafiro

    Con mi afecto para ti

    María del Carmen


    ResponderExcluir
  19. Olá MANA,

    o amor em demasia cega aqueles que não se sentem seguros com a recíproca.
    Auto estima é condição indispensável para que prevaleça o respeito nas
    relações.

    LINDO O POEMA!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  20. Existe coisa melhor que o amor?
    Então porque virou cafona falar sobre ele?
    Ainda bem que pessoas assim iguais a você não ligam e falam sobre ele lindamente!

    Parabens!

    ResponderExcluir
  21. Querida amiga

    Se o amor
    nos congela a vida,
    então deixemos
    que este amor
    derreta e se perca
    de nós...


    Que sempre haja amor,
    para alimentar de sentidos
    sua vida.

    ResponderExcluir
  22. Boa noite querida Marilene,

    Mais um belo e inteligente poema seu.
    De facto, todos nós temos direito à dignidade, que perdemos, ou vamos perdendo, sem dar conta.
    Mas chega, sempre, o dia, em que é preciso levantar a cabeça, olhar em frente, sentindo o mundo, e, erectamente, nos redescobrirmos e nos amarmos, de novo.

    Marcas, ficarão, talvez, para sempre, mas a força de vontade e o desejo de apagar essa página triste da história de qualquer um de nós, irá, por certo, sobrepor-se.

    Beijos de muito apreço e luz.

    ResponderExcluir
  23. Marilene, tudo bem?
    O poema carrega a melancolia do desamor, mas também a esperança de uma renovação. Creio que somente um novo amor pode curar uma vida inteira de solidão.
    Beijos!
    Espero que o dia das mães tenha sido ótimo para a tua família :)

    ResponderExcluir
  24. Interessante,porque o desamor faz a gente se perder e desacreditar de muita coisa.Nem sempre é fácil manter a fé no amor verdadeiro,mas pra todos os dias,fé!!!!
    Uma linda semana Marilene,abraço,=)

    ResponderExcluir
  25. Uma excelente terça feira pra ti minha amiga, poesias, flores e muito carinho...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  26. Olá querida amiga, Marilene!
    Por pior que seja o momento, devemos sempre está com a cabeça erguida e caminhar pra frente. Desculpa-me a ausência, mas estou de volta firme e forte. rsrs. Beijos

    ResponderExcluir
  27. Por vezes não nos reconhecemos no que fomos ou naquilo em que acreditamos. Há momentos melancolicos, amores e desamores, fazem parte da nossa vida. Mas há também um horizonte imenso, se o quisermos observar. Há que nos levantarmos depois de cair e seguir...

    Muito lindo Marilene
    Beijinho
    cvb

    ResponderExcluir
  28. Mari querida,
    esse despertar tbm liberta. Podemos capengar no início, mas logo conseguimos fazer passos nessa dança que pensávamos não mais conseguir.

    beijos de luz e carinho na bochecha.

    ResponderExcluir
  29. Oi minha linda !!!!!!
    É sempre nos alargando os pensamentos quando lemos seu poetar...nos faz acreditar sempre que já estás pronta...quero ver o livro pronto,kkkkkkkkk
    bjs meu anjo !!!!!!!

    ResponderExcluir
  30. É necessário saber a diferença entre orgulho e dignidade. Orgulho foi toma com honestidade interna e externa. Dignidade é um valor de respeito com vocé mesmo...

    beijos e ótima semana

    ResponderExcluir
  31. Profunda mensagem de força interior e superação em seus versos Marilene, gostei muito!
    Beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir
  32. Correndpo o risco de me repetir tenho que lhe dizer que embora eu não tenha jeito para comentar poemas os seus me agradam muito.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  33. Um dia repleto de bons acontecimentos, carinhos e poesias pra ti minha amiga,,,beijos e flores...

    ResponderExcluir
  34. "Pode alguém ser feliz
    Sem se erguer?"

    há perguntas que trazem na boca as palavras da linguagem da vida.

    beijinho!

    ResponderExcluir
  35. Lindo Marilene

    Que o amor logo volte

    Bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...