5 de maio de 2012

VAZIOS

(  Creative Photo Manipulation by Norvz Austria )

                                                           
                 No silêncio das ruas
                 Nuas de amparo
                 Pra quem as habita
                 Sem teto
                 Vagueiam seres humanos
                 Entre insetos
                 Na luta contra a fome
                 E a falta de afeto

                 No silêncio das casas
                 Nuas de harmonia
                 Entre quem lá convive
                 Sem tolerância e amor
                 Vagueiam almas sem luz
                 Na luta contra a solidão
                 Eis que a existência do teto,
                 Não fornece , também, o afeto

                 No silêncio das vidas
                 Nuas de sentimento
                 E de solidariedade
                 Abraçadas à ambição
                 E à vaidade
                 Não entra o sol de cada dia
                 Ou um sorriso de alegria,
                 Apenas tormento

                 Entre virgulas, reticências,
                 Interrogações ...
                 Entre olhares, murmúrios,
                 Insatisfações ...
                 A solução não se apresenta
                 Pois depende de uma especial essência
                 Já perdida por muitos corações
               

                                        (Marilene)


39 comentários:

  1. Quem assim escreve, é poeta, nasceu poeta, tem o dom da palavra.

    Bonitas palavras.

    Por mais que a gente viva, há sempre um vazio (que não sabemos entender) dentro de nós. Talvez seja passageiro mas há.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Marilene, querida!

    Na realidade, assim é. Nem na rua, nem na casa e nem na própria vida, as pessoas encontram o seu "teto" de amor.
    Desabou, e com esse desabamento, se foi o essencial, a essência de nós mesmos.
    Tenhamos esperança em melhores dias e que nosssa auto-estima consiga se sobrepor a essas situações.

    Bom final de semana.
    Beijos de muito carinho e luz.

    ResponderExcluir
  3. Há sempre vazios deixados el saudade ou tristezas de amor. Linda inspiração! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  4. Caramba Marilene! Muito real e triste esse poema.
    Infelizmente esses vazios estão cada vez mais existindo nas pessoas do mundo, com teto ou não!

    Parabens!

    ResponderExcluir
  5. Um poema profundo, inteligente e real.Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Vazios momentos de sentimentos, de amor, de sonhos perdidos,,,de paz consumida pela alma distante...beijos de bom sábado pra ti amiga.

    ResponderExcluir
  7. Triste, mas verdadeiro. Cada vez mais vazio e frio o coração humano.
    Um beijinho

    ResponderExcluir
  8. Silêncios de prazer
    Que dão lugar a folia
    Nas ruas do amparo, ver
    No rosto das pessoas alegria.

    Na luta contra a fome
    Silêncios não podem haver
    Quem menos faz tudo come
    E que mais faz fica a ver.

    Entre virgulas e reticências,
    Muito se pode escrever
    É por causa das obediências
    Que com a crise vamos sofrer!

    Entre milhares e milhões
    A diferença muita ser
    Fazem sofrer corações
    Quando não há verdadeiro prazer!

    Bom fim de semana,
    um beijo
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  9. Olá MANA,

    Seu poema retrata uma profunda realidade.

    Muitos corações estão fechados para a luz e precisam reencontrar-se, pois
    depende de cada um a busca pela sua paz interior através de ações de amor e
    solidariedade.

    Parabéns pelo belo poema!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. As pessoas se tornaram egoísta e seus corações tristes...
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  11. É verdade amiga,amor anda se esfriando pelos corações!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde, Marilene. Você sempre me emociona com os seus poemas cada vez mais diferenciados. Eu amo vir nos seus espaços, nem sempre posso devido a lentidão do computador ajudada pela net.
    Enfim, estou tendo certa dificuldade de comentar como gosto, mas o que eu senti aqui foi um desgaste emocional muito grande entre pessoas que habitam um mesmo espaço físico, mas em si não possuem amor.
    A tolerância é um dos requisitos necessários para uma boa convivência, e sem ela não tem como haver afeição, respeito, e todos os sentimentos que ajudam a fortalecer o amor sem o desgaste fatal!
    Um beijo grande na alma, e fique na paz de um fim de semana abençoado!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Marilene, o mundo está mesmo carente de amor. Com ele muitas lacunas seriam preenchidas, evitando uma série de desgastes e problemas. Um abraço!

    ResponderExcluir
  14. Mari,
    toda rudeza desta realidade aqui versada e posta, destaca o vazio que tomou conta dos corações e das mentes.Em poema ardente vc, levantou o véu de aflições mudas.
    Parabéns!
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
  15. Oi Marilene!Como você descreveu bem os dias de hoje,falta amor e solidariedade no mundo!Um beijão e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  16. Esta parte perdida por muitos corações é que mais falta faz minha amiga.Seu texto é uma obra prima neste olhar sobre os que se perdem pela falta de afeto,pelos que se erram no mundo por falta de teto.E por fim crava com profunda reflexão a vida sem sentido pela falta de amor.Excelente sua inspiração numa poesia social.Minha terna admiração com meu abraço de paz e luz em seus dias.Bjo.

    ResponderExcluir
  17. Oi Amiga, "No silencio das casas nuas de harmonia", amigaaa que forte, é uma pena que tantas casas por esse mundo a fora estejam assim nuas de harmonia, o poema é singular, adorei!

    ResponderExcluir
  18. Nas ruas, nas casas, nas vidas
    De onde se expulsa o amor
    O vazio acha guaridas
    Para instalar a dor...

    Esse seu poema, menina, é o retrato do "mundo moderno", onde a solidão de um caminha no meio da multidão de muitos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Lindo teu poema, Marilene: com falta de amor, de solidariedade, rico em vaidades e consumos e pleno de verdades.

    Beijão, amiga.
    Tais

    ResponderExcluir
  20. Oi Marilene!
    Que lindo menina!
    O individualismo, a busca do ter, a correria do dia-a-dia estão tornando as pessoas vazias, perdidas, é triste presenciar estes desencontros.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  21. E quando não se tem solução a gente inventa uma!
    Belos versos querida Mari!

    bjos de luz e carinho na bochecha.

    ResponderExcluir
  22. Boa noite minha menina talentosa !
    Poema retratado dentro de uma realidade vivida em nossos dias atuais...
    Bjssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  23. Olá Marilene!

    Poetizaste muito bem, essa realidade vividas por muitos nos dias de hoje. O vazio anda tomando conta da humanidade.Falta mais sentimentos nos corações.

    Beijos e ótimo começo de semana.

    ResponderExcluir
  24. Uma realidade de abandono e solidão tõ bem transposta para a poesia...Obrigada, querida! Bj

    ResponderExcluir
  25. Um excelente domingo pra ti minha amiga e uma semana repleta de amor, poesias, flores e paz...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  26. Voltei! Que linda a foto nova do perfil!
    :)

    meu carinho.

    ResponderExcluir
  27. Um poema dque fala de solidão. Triste. Mas muito belo.
    Hoje aqui se festeja o dia das mães.
    Deixo um abraço e votos de boa semana

    ResponderExcluir
  28. Belo poema amiga! É sempre uma emoção passar por aqui e se deliciar com suas poesias!Bjs.

    ResponderExcluir
  29. Belo poema , em especial o último parágrafo, querida Marilene vc escreve muito bem!
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir
  30. Olá, amiga. Me conte esse segrêdo pra tanta inspiração! Não tem como não se envolver e emocionar com sua palavras. Belo! Perfeito sempre. Bjos e bjos carinhosos pra vc e uma semana iluminada. Obrigada pelo carinho!

    ResponderExcluir
  31. Olá Marilene
    Tão lindo esse poema! O mundo, as pessoas carecem de afeto, amor e solidariedade, e essa carência está nos becos, ruas, casebres e mansões, triste realidade que só pode ser mudada à partir das atitudes e palavras de cada ser humano. Um abraço e uma ótima noite, bjs

    ResponderExcluir
  32. Venho, d novo , para desejar uma semana feliz e agradecer tuas visitas. BJ

    ResponderExcluir
  33. Triste, porém lindo e verdadeiro.
    O ser humano, uma grande parte dele, está esquecendo do quanto o amor é precioso, o quanto a tolerância é necessária, para se viver em paz, mas que nada, estes seres nem conhecem isso.
    Sentir esse vazio é muito triste e penoso, espero em deus que a humanidade acorde e que não seja tão tarde.
    Beijinhos no coração

    ResponderExcluir
  34. Bom dia,Marilene!!!

    Nossa,poetisa...fizeste uma belíssima poesia, com um assunto extremanente doloroso e verdadeiro.Forte e linda!Plena de consciência social.
    Beijos,minha amiga!!!Boa semana!

    ResponderExcluir
  35. Uma excelente segunda feira pra ti minha amiga, muitas flores, paz e poesias...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  36. Há tanta gente infeliz e sem meios suficientes para fazer uma vida minimamente decente.
    Magnífico poema, goste imenso.
    Beijo, querida amiga.

    ResponderExcluir
  37. Olá, Marilene.
    Acho que em todo lugar em toda alma existe si um vazio; alguns o tem por falta de escolha e outros por apatia.
    O grande desafio de todos os dias é não deixar que ele tome conta daquilo que nos é mais caro.
    Abraço, Marilene.

    ResponderExcluir
  38. mãos e braços precisam-se para reverter o que os olhos denunciam. por mais difícil que a solução seja...

    beijinho!

    ResponderExcluir
  39. Marilene

    A mais linda realidade descreveste neste poema.
    Um vazio que as vezes invade a alma.

    Beijos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...