26 de julho de 2012

CAMINHO ESTREITO

(vladimir Kush )




                                


                             As chaves a seguiam,
                             Insistentemente,
                             Poderiam abrir-lhe as portas
                             Da vida e da mente,
                             Tilintavam, enquanto observavam
                             Seu caminhar assombrado,
                             Seus desvarios,
                             Seu medo,
                             O nublado de seus olhos
                             A ocultar as  saídas,
                             No estreito da desigualdade


                             Bastava secar as lágrimas
                             Girar a cabeça
                             Mudar o foco
                             E o mundo lhe poderia sorrir,
                             As chaves já quase gritavam,
                             Em seu chamado, 
                             Mas a cor da inutilidade
                             Com que decidira se vestir
                             Impedia uma lúcida visão,
                             E a induzia  ao descrédito
                             Na existência da luz, tão perto,
                             Provocando aqueles passos 
                             Irregulares e obscuros,
                             Nas sombras da desilusão

                                                                  (Marilene)

46 comentários:

  1. Marilene,querida!
    Tudo bem?
    Este poema é repleto de significados, assim como deve ser a literatura, pois ele assim o é.
    Penso que essas chaves podem abrir e fechar portas para caminhos estreitos ou largos, depende do momento, das opções: o arriscar-se para sofrer ou não a desilusão. Afinal, nem todos os caminhos são estreitos e só saberemos usando as chaves.

    Bem amplo, Mari, eu fiz no mínimo mais umas duas leituras diferentes rsrs, mas aqui escrevi a que primeiro me veio à mente.

    Obrigada pelo comentário gentil em razão do aniversário de minha mãe!

    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia! Perfeito amiga!! È pra ler e reler. Belissimoooooooooooo! Parabéns pelo dia do escritor! Vc é divina. Seja sempre abençoada por nos proporcionar versos maravilhosos flor!!! Beijinhos. Obrigada pelo carinho!!

    ResponderExcluir
  3. Os caminhos estão ali, basta usar as chaves e tentar ser feliz.Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Apesar do meu silêncio adoro visitar o seu espaço e perder-me...
    saboriar cada palavra escrita...parabens
    Obrigada pelo carinho...bjs

    ResponderExcluir
  5. A inutilidade ganha força, mas chega o momento em que precisamos girar a chave e sair p a chuva!

    ResponderExcluir
  6. Marcante seu poema Marilene.
    Força de espirito, auto-confiança, é o que muitas vezes se precisa para rodar a chave no caminho certo.

    Beijos
    cvb

    ResponderExcluir
  7. Muitas vezes o mais difícil nessa vida é secar as lágrimas e reencontrar o caminho....beijos de bom dia pra ti amiga...

    ResponderExcluir
  8. Oi Marilene
    Mais um poema maravilhoso, uma metáfora na qual eu li e reli para ver se entendi kkkkk, não liga não esse é meu jeito de comentar. Mas eu sempre amo seu jeito de escrever.
    Quero te convidar a dar uma passadinha lá no Histórias, pois fiz uma homenagem ontem aos blogs amigos e o seu está incluído, espero que goste.
    Bjos. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  9. Lindo, e muito profundo... às vezes, temos as chaves, mas as usamos nas fechaduras erradas.

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Marilene querida


    Lindo poema...
    As vezes fechamos os olhos para o que é tão claro e não percebemos que estamos deixando o brilho da vida ofuscar nosso olhar, muitas vezes por medo.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  11. Querida Mari, amiga de leituras e escritas, eis-me aqui, passando correndinho pra te ver e ler(claro). Ando meio enroladinha por aqui, mas sempre acho um jeito de ver os amigos.

    Seu poema é intenso e muito verdadeiro no tocante às clausuras do ser humano.
    Nas entrelinhas, a chave significa a liberdade, a luz e o entendimento/crescimento interior. Foi assim que interpretei.

    Gosto imenso de tua escrita, vc sabe!
    beijo terno da amiga
    LU C.
    boa quinta pra ti!
    :)

    ResponderExcluir
  12. Lindo como sempre, mas temos que ler algumas vezes para entender as entrelinhas, maravilhoso Marilene...beijinhos querida e doce amiga.

    ResponderExcluir
  13. Bela poesia.
    Bastaria mudar o foco...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Olá MANA,

    Muito lindo o poema.
    Às vezes as chaves estão em mãos, mas faltam força e equilíbrio
    para colocá-las na fechadura da porta que trará a luz, o discernimento e novas oportunidades.
    Secar as lágrimas é o caminho para uma visão clara das escolhas. Acreditar
    é força que impele a mudanças e renovação.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. A mesma chave que prende
    É também a que liberta;
    Basta, para quem entende,
    Girar na direção certa.
    Se insistirmos na errada
    Por certo será fechada
    A porta que estava aberta.


    Beijos, Marilene.

    PS: O rastreamento de sua encomenda pode ser feito em "http://websro.correios.com.br/sro_bin/txect01$.Inexistente?P_LINGUA=001&P_TIPO=002&P_COD_LIS=RQ882270834BR".

    ResponderExcluir
  16. Oi Marilene!
    Que versos perfeitos e reflexivos!
    Chaves que carregamos e temos a oportunidade de abrir e fechar portas que nos façam ver ou não a luz. Que saibamos escolher a chave correta.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  17. Se as chaves a seguiam
    Seria para a porta abrir
    Caminhava a sorrir
    E as plantas floriam!

    Enquanto caminhava
    As ouvia tilintar
    As crianças a brincar
    De pensar não parava!

    Assim como eu
    Que não paro de escrever
    Mas não sei o que dizer
    De uma linda história que aconteceu!

    Boa quinta-feira para você,
    amiga Marilene,
    um beijo
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  18. Chaves sempre estão à nossa disposição, mas falta-nos às vezes discernimento para quando abrir ou quando fechar as portas.
    Eu as vezes coloco a chave em fechaduras erradas, abro quando devo fechar, fecho quando devo abrir... Mas a vida vai ensinando como usar as chaves de forma certa e com sabedoria.
    Seu poema é lindo e essa imagem perfeita!
    beijokas doces Marilene!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marilene,thanks por sua visita lá em luznopapel e pelo prestígio a esta dignissíma amiga acima rs...
      estou com problemas em meu perfil do blogger e não estou conseguindo seguir os novos amigos(se assim me permite)...espero em breve resolver o caso...
      bjs

      Excluir
  19. Aqui pela primeira vez e gostei:)!
    O problema não são as chaves:). É estarmos na porta certa na hora errada.

    ResponderExcluir
  20. Aqui pela primeira vez e gostei:)!
    O problema não são as chaves:). É estarmos na porta certa na hora errada.

    ResponderExcluir
  21. Sabe? Você é maravilhosa com tuas poesias.Passo aqui te leio e fico encantada.
    Beijão Marilene.

    ResponderExcluir
  22. Momento de angustia e indecisão,que leva a decepção e todo o desprazer da vida.Seu belo poema nos faz lembrar o personagem de Drummond com as chaves nas mãos, mas não havia porta.Abençoada inspiração Marilene com otima criação.
    Carinhoso abraço amiga e parabens pela passagem do Dia do Escritor.
    Aplausos amiga pela arte bela e prazerosa na leitura.
    Beijo de luz nos seus dias.

    ResponderExcluir
  23. Oi Marilene,

    Tudo bem? Boa noite! Posso lhe chamar de Mari? Quando vi o título por alguma razão pensei no caminho de Santiago, não que ele estreito, mas pela motivação da caminhada, visto que não é caminho que conta, mas o encontro com o que está já feito dentro de nós.

    Todavia, o que você descreve é próximo a sensação da separação do que é ficção e o que é realidade à medida que o caminho pode ser o mesmo, mas o ponto de parada é o que define se haverá ilusão ou sobrevivência apesar das adversidades. Existe um filme muito antigo, chamado No Caminho dos Elefantes com Elisabeth Taylor que demostra que independente do caminho estreito é necessário a adaptação, sempre.

    E o caminho poderá ser frio, solitário, sem bússola, GPS, estrelas, mas será nosso. E mesmo sem saber quando se vai atingir, as chaves poderão ser a razão de prosseguir e distrair a ilusão.

    Beijos e obrigada pelos comentário lá no blog.

    Lu

    ResponderExcluir
  24. Oi querida Marilene,

    Quando olhei a imagem, me pareceu um caminho estreito, naturalmente, mas tive a sensação de estar vendo uma ruela, num souk.
    De facto, essa questão de até termos a chave, nos dá possibilidade de agir, mas qual a porta certa?

    Beijos, com ternura, da Luz.

    PS: Caso agradeça, como sempre o faz, por favor deixe seu comentário no "Aferos". Todo o mundo quer visitar casa nova. É natural e compreensível.

    ResponderExcluir
  25. Marilene, querida!

    Pretendo retificar: AFETOS E CUMPLICIDADES.

    Obrigada.
    Beijos da Luz.

    ResponderExcluir
  26. Um belo final de semana pra ti minha amiga querida,,,muita paz e muita poesia pra alimentar a alma,,,beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  27. Bom dia,Marilene!

    Lindo,querida poetisa!!!
    Temos as chaves,mas nem sempre conseguimos usa-las...
    e ai complica um pouco...mas vamos aprendendo...né?!
    Beijos,minha amiga!!!Tudo de bom!

    *Mudei o dia de post novo.Agora será todas as sextas.

    ResponderExcluir
  28. Primeiro agardeço sua visita que muito enfeita minhas páginas...

    Um poema belo.
    Nas sombras das desilusões quase sempre crescemos, minha amiga!!!

    Devemos aproveitar essas escuridões para nos silenciarmos e voltar com garra total.

    Grande abraço!!!!

    ResponderExcluir
  29. Um portal inevitável. Um dia descobrimos que podemos atravessá-lo e ver que o outro lado é muito melhor.
    Belo, poetisa.
    Gde abraço, em divina amizade.
    Sonia Guzzi

    ResponderExcluir
  30. 彡✿✿⊱╮
    Quantas vezes precisamos mudar o foco e falta-nos coragem...
    Bom fim de semana!
    Beijinhos de Minas
    ✿彡¸.•°`♥✿⊱╮

    ResponderExcluir
  31. Eu me apaixono dia a dia cada vez mais pela tua poesia, ela é maravilhosa, encanta minha vida, digo isso de coração.
    Você fala de coisas tão sérias, de um jeito que penetra em meu ser de maneira leve e instigante...um beijo em seu coração...ah deixei um recadinho lá no meu blog em resposta ao seu doce comentário.

    ResponderExcluir
  32. o caminho não é muito longo, quando você ama o que você está indo visitar.

    beijos

    ResponderExcluir
  33. Bella poesia e bella anche la fotografia!! brava!! buona serata e felice fine settimana...ciao

    ResponderExcluir
  34. Oi, Marilene, maravilhosas palavras como sempre! A chave está o tempo todo nas nossas mãos, basta querer usá-la. Se render à desilusão é perder a chance de abrir a porta e espiar o que está do outro lado. Um abraço!

    ResponderExcluir
  35. Olá Marilene, e que tudo esteja bem contigo!

    Talvez, por vezes, o que para tantos parece ser uma rendição, possa ser uma estratégia da esperança, pra recomeçar com mais intensidade, quem sabe!

    Sensíveis e encantadoras palavras neste teu belo poema, sempre de expressivos sentimentos, parabéns!

    Gostei também das mudanças por cá, as imagens postadas e a da apresentação do blog também, são belíssimas e sempre reforçam o teu bom gosto e sensibilidade sempre tão intenso!

    E grato por tuas visitas, amizade e compartilhamento destes belos escritos eu deixo meu desejo que você e todos tenham uma viver de intensa felicidade, abraços e até mais!

    ResponderExcluir
  36. Um belo sábado pra ti minha amiga,,,paz e poesia sempre...beijos.

    ResponderExcluir
  37. Chaves que podem transformar, estreitos caminhos, em amplidão.
    Que imagem tão linda, Marilene, que poema tão belo! À cada vinda,
    nos momentos que aqui permaneço, o encantamento toma conta de mim...

    Meu abraço, bom domingo...

    ResponderExcluir
  38. Boa tarde, Marilene.
    Creio que as chaves sempre estarão conosco, independente de sabermos disso ou não.
    O que faz a diferença é sabermos usa-las.
    Abraço e bom fim de semana pra ti, Marilene.

    ResponderExcluir
  39. Lindo Marilene! Parabéns! Palavras sempre expressivas! De coração pra coração! O carinho dos amigos traz um bem e um conforto que nem imaginas! É um alimento para o coração! Terei uma postagem nova na segunda-feira, dia 30 de julho.
    Grande e carinhoso abraço!
    Sábado e domingo abençoados!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  40. Existe um lugar onde tudo é possivel.
    Onde o amor é verdadeiro.
    Onde se acorda em paz…
    Onde as flores tem um cheiro especial…
    E os abraços vem acompanhados de muito amor.
    Este lugar é meu coraçäo…
    É neste lugar que eu guardo as pessoas que amo .
    E que nunca as esqueço.
    Sou feliz por você morar no meu coração.
    Com carinho e saudades desejo um abençoado final de semana.
    Beijos carinhosos,Evanir.

    ResponderExcluir
  41. Marilene querida, voltando e me apaixonando pela nova imagem do teu cantinho, que lindeza!!!
    E esse "Caminho Estreito", li e reli...você consegue me envolver de uma forma inexplicável.
    Se me faltam palavras, é porque estou absorvendo o teor de cada verso.
    És uma poetisa linda, amo!

    Beijos com carinho e perdão pela ausência.

    ResponderExcluir
  42. Marilene

    Secar as lágrimas , mudar o foco, chaves que podem nos levar a várias direções.
    Teu poema encanta.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  43. Amiga Marilene.A veces la imaginación y fantasias del fotógrafo consigue hacer casi una pintura.
    Abrazos
    Juan

    ResponderExcluir
  44. Linda noite !!!!
    Com o friozinho do lugar que habitas...
    Estava ausente presente,rsrsrsrs
    O caminho é estreito mas me dar passagem sempre...lindo seu poema !!!!!
    bjs de boa noite !

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...