9 de julho de 2012

CAOS

(Florian Imgrund)


                                                                                        
                               Não me olhe com medo,
                               Nem se afaste de mim,
                               Com asco,
                               Minhas roupas usadas
                               E meu ar maltrapilho
                               Não abraçam maldade,
                               São sinais da necessidade
                               De uma fonte de renda,
                               De um lugar pra dormir,
                               Do alimento que falta.


                               Ainda vou conseguir
                               Um pouquinho de afeto
                               E uma fresta de luz,
                               Sair do anonimato
                               E ser, de fato,
                               Um cidadão.
                               Pode me dar a mão,
                               Sem receios,
                               Tenho as minhas bem limpas!


                               Eu também fico atento
                               Quando alguém por mim passa,
                               Seja qual for o traje
                               Que usa,
                               Mesmo que logo saiba
                               De onde vem ou quem é,
                               Pois não conto, sequer,
                               Com os que têm como meta
                               Distribuir segurança


                               Sou apenas mais um,
                               Entre os pobres artífices
                               Da ilusão,
                               Mas mantenho, bem aberto,
                               Meu coração,
                               Nesse caos !


                                                              (Marilene)

46 comentários:

  1. Marilene,
    belíssima reflexão.
    Triste que o sentimento da falta material, geralmente venha acompanhado do sentimento da falta existencial, da partilha com outros, do companheirismo; em detrimento a solidão e o isolamento.
    Que mundo esse em que "a gente vale o que pesa"? ($)
    Muito inteligente, querida!

    Beijos e ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. Manter pelo menos o coração aberto nesse caos ,é bom!!!Linda poesia,profunda!!beijos,chica e ótima semana!

    ResponderExcluir
  3. Que linda poesia, nossa. Olha, quando ligamos o coração as efemeridades, podemos ver a alma das pessoas né1 abraços

    ResponderExcluir
  4. Bom dia,Marilene!!!

    Viver num mundo de aparências é complicado.A maioria só vê o exterior e esquecem que o que faz uma pessoa é sua essência,é o que ela carrega dentro de si!Uma pessoa com roupas elegantes e imaculadas pode esconder um coração perverso...assim como um pobre maltrapinho pode ter um coração generoso.
    Belíssima poesia!!!!Rendeu muitas reflexões.
    Beijos,minha querida!
    ótima semana!

    ResponderExcluir
  5. Ilusão que por muitas vezes nos consome,,,nos acalenta e nos derruba,,,,beijos de boa semana pra ti amiga.

    ResponderExcluir
  6. Marilene, saudades de vir te ler.
    Que possamos ter pelo menos esse nosso "sofrido" coração, aberto a novas emoções, mesmo em meio ao caos.

    Lindo minha querida.

    Beijos com carinho e o desejo de uma semana de muita paz.

    (Hoje meu filho está aí na sua cidade, adotando-a como "pátria".)

    ResponderExcluir
  7. "São sinais da necessidade de uma fonte de renda, de um lugar para dormir, de um alimento que falta". Isso está prestes a acontecer comigo.rs

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. OLÁ MANA,

    É desolador quando o ser humano se mostra individualista e vive no egoísmo. Os que já sofrem pelas necessidades materiais ainda são humilhados por se sentirem invisíveis diante dos olhos de seus semelhantes e, pior ainda,
    diante do olhar daqueles a quem cabe o dever de conceder o mínimo de dignidade a esses sobreviventes.

    LINDO POEMA!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Bom dia, Marilene. Triste demais ver a situação dos menos favorecidos, os que não têm oportunidade na vida, e vivem abaixo da linha da pobreza.
    A sociedade em sua maioria é cruel, não ajudam, tratam com desdém, um preconceito arraigado sem colocar-se na situação vivida pelo homem sem oportunidade.
    Não vemos que tudo na vida muda, e a pessoa que desdenha pode muito bem mudar de vida pelas mãos do destino sofrendo as consequências do mal que fez.
    Autoridades devem proteger, não bater, espancar e matar.
    Abuso de autoridade é o que vemos direto, até porque não acontecerá nada de punitivo na maioria das vezes.
    O governo deve dar as oportunidades para uma vida melhor, uma condição humana digna, a fim de que a sociedade seja mais justa.
    O cidadão não deve esquecer que os trapos são o que a pessoa tem para vestir, e que comida quase não tem, tampouco um teto para morar.
    CADÊ A SENSIBILIDADE DE NÓS SERES HUMANOS?
    nÃO GOSTO NEM DE ME IMAGINAR EM UMA SITUAÇÃO TÃO AMARGA COMO ESSA, TÃO DORIDA.
    Uns podem dizer que foi escolha, eu vou mais além. Talvez não. Quem sabe eles não lutaram, lutaram e as portas se fecharam e eles não tiveram o que fazer?
    O acesso à essas pessoas é tão escasso quanto a água no Planeta.
    Parabéns, e um beijo na alma!
    Justiça, uma palavra linda, que eu amo de paixão, mas que não vejo quase nunca ser colocada em prática, infelizmente.

    ResponderExcluir
  10. O que eu andei
    O que eu passei
    O tanto que percorri
    Para te encontrar
    Assim
    De mãos estendidas
    E limpas
    De coração aberto

    Já somos dois
    Outros nos seguirão, depois

    ResponderExcluir
  11. Bonito final le otorgas a tu inspiración.
    Saludos
    David

    ResponderExcluir
  12. Oi Marilene!
    Um olhar sensível para esta dura realidade. Lindos e reflexivos versos.Abrir o coração já é um grande passo.
    Beijinhos e uma alegre semana!

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Marilene...quer-lhe dar os meus parabens por ter um blog muito bonito com fotos excelentes e com poemas fantasticos...
    Quem le este aqui..tem que refletir no que se esta a passar a volta do Mundo
    O tal Mundo que podia ser o paraiso..mas defacto é so para alguns e nao mais que isso...
    Hoje somos rotelados com o olhar de uns e outros...hoje somos julgados pela nossa aparencia...mas que aparencia podem ter pessoas desempregadas.. com fome.. e sem esperanca de vida...

    Cada dia a mais sem abrigos... e quem olha para eles com ternura com amor e com carinho,,que tem coragem de perguntar o porque da Vida ser para eles tao madrasta... poucos perdem tempo com isso... é um desenrasquese quem poder ..mas poucos o vao conseguir...As cimeiras dos G-20 G-8..so dá para os politicos comerem bem e disserem que ,,,,QUE... que.. e que
    vamos avancar ..que e que vamos conseguir.. e nada mais....

    Cada dia a mais desigualdades e sao essas que vao fazendo que exista cada dia mais roubos..cada dia mais pobres e cada dia ate mais odio daqueles que nao tem nada e olham para aqueles que tem alguma coisa..ou vao tendo ainda porque tiveram mais sorte e até gostariam que todos tivessem tambem bem...
    Ninguem pode cuspir para o ar pois pode cair em cima de nos....#
    Mais solidariedade ..mais amor..e mais justica para todos ..

    um obrigada pela sua visita... fique bem
    boa semana um abraco
    Rui

    ResponderExcluir
  14. Mitos passam necessidade porque grande parte da sociedade vive em torno de si mesma e não consegue enxergar com os olhos do coração.
    Tenha um boa semana.
    Beijos,
    Élys.

    ResponderExcluir
  15. Precisamos mesmo ter o coração aberto, neste caos que nos devora a todos...
    Magnífico poema, gostei imenso.
    Marilene, querida amiga, desejo que tenhas uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  16. A necessidade de outrem é a oportunidade que tens para transformar em realidade teus sonhos de fraternidade e justiça. Vais desperdiçá-la?

    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Manter aberto o coração apesar do caos, demonstra um sentimento de esperança e fé. Muito bom, Marilene! Bjs

    ResponderExcluir
  18. Linda reflexão Marilene.
    Sempre tenho cuidado para quando olho para alguém não me deter nunca na aparência.
    Um beijo em seu coração.

    ResponderExcluir
  19. "artífice da ilusão" - haverá definição mais perfeita para o ser humano?

    beijinho, querida amiga!

    ResponderExcluir
  20. Marilene, meu comentário acima foi apenas um pensamento - uma máxima - que me ocorreu ao ler teu belo poema. Por favor, coloque-lhe as aspas e perdoe-me se inadvertidamente "dei carona" a qualquer outra interpretação.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Depois do caos é difícil manter o coração aberto. Precisa muita coragem...
    Também devemos nunca julgar as aparências...

    Beijão

    ResponderExcluir
  22. Marilene
    Quando li esse poema me lembrei do seu outro blog; Visão Feminina, onde você escreveu diversos textos sobre este assunto, e aqui também já li alguns poemas sobre esta realidade que nos entristece muito. Podemos ajudar, mas o problema é tão grande que não depende somente de nós, vamos continuar fazendo nossa parte. Sua indignação já está registrada através dos seus versos. Um forte abraço, tudo de bom!

    ResponderExcluir
  23. Oi Marilene,

    Primeiro quero agradecer pelas palavras la no blog do Rui, obrigada de coração, gosto muito do teu blog também.

    Seu poema é bonito, inteligente e muito reflexivo.
    Muito triste ver pessoas nesse mundo de abandono, e ver tantos que podia ajudar , mas egoímo fala mais alto, e não fazem nada.É muito triste a falta de alimento um teto pra dormir, por isso essas pessoas se droga e se vicia tantos nas ruas, deve ser pra esquecer a dura realidade que vivem.A desigualdade é terrivel, mais é a realidade que vivemos.
    Os corações precisam estar bem aberto com certeza.

    Beijos !

    ResponderExcluir
  24. Boa noite, Marilene.
    Infelizmente, existem pessoas que julgam a si mesmas as demais pelos pertences pessoais e não pelos atos; paradoxalmente, estas são as pessoas mais pobres que existem.
    Curiosamente, hoje vi na tv uma reportagem sobre um morador de rua que encontrou mais de vinte mil reais em um saco na rua e o entregou à polícia (o dinheiro era de um restaurante que havia sido assaltado).
    Parece que existem pessoas que, quanto menos tem, mais possuem.
    Abraço, Marilene.

    ResponderExcluir
  25. Oi, Marilene. Mais uma profunda "cutucada" na nossa sensiblidade com sua fina poesia sobre o doce e também o amargo da vida.

    O abandono e a indiferença humanas são como torturas físicas tamanha dor que causa e tamanho o estrago na alma.

    Lindo, lindo!

    Abraço grande. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  26. Lindos os corações que albergam sonhos e ilusões.

    Para refletir... muito bom!

    beijos
    cvb

    ResponderExcluir
  27. Um belo dia pra ti minha amiga querida...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  28. O amor e a ilusão caminham juntos em busca de um coração que esteja aberto.Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Bom dia minha amada amiga das letras !
    A sociedade nos ensina que devemos ser cegos e mudos
    diante do sentimento maior.Por isso que digo que felizes são os loucos que perderam a noção do ridículo e nem por isso são menos queridos...
    Tens sempre s sabedoria na hora de criar um poema...
    bjsssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  30. Um poema para refletir sobre a vida em que vivemos. Não devemos olhar as aparências,mas o ser humano.

    Parabéns!!

    Bj

    ResponderExcluir
  31. Não precisamos enxergar distante, infelizmente, para doarmos do muito que temos! Pq temos muito mais do que precisamos... Ontem mesmo fiquei encantada com o que ocorreu com os moradores de rua em São Paulo...lição de honestidade para os habitam conforto em seus lares. Valeu demais esse poetar reflexivo...e que gere ação nossa de cada dia.
    Beijuuss n.a.

    ResponderExcluir
  32. Olá Marilene, e que tudo permaneça bem contigo!

    Talvez um dia, o ser humano valorize o que realmente tenha valor, a vida, o conteúdo interno de cada ser, ao invés de valorizar imagens e aparências padronizadas por seres sem qualquer pudor ou amor ao próximo!

    Belo escrito postado, e gostei também da imagem, parabéns!

    Grato por tuas visitas e amizade eu deixo meu desejo que você e todos tenham um viver deveras feliz e intenso, abraços e até mais

    ResponderExcluir
  33. Que lindo, Marilene! Muitas vezes a discriminação exclui o outro e esquece que todos somos seres humanos e merecemos atenção e compaixão. Roupas bonitas não refletem uma alma bonita. Um abraço!

    ResponderExcluir
  34. Belíssimo !!
    somos mais que roupas e aparência.
    beijo grande ****

    ResponderExcluir
  35. não porque o cidadão abandonado
    perder a esperança
    pois resta alguém
    sempre no mundo
    que lhe estenda a mão considerada

    Obrigado pela vista e comentário :)
    prazer em conhecê-la

    ResponderExcluir
  36. É Marilene,uma pessoa como vc descreveu é logo associada a maldade,mas não podemos generalizar,afinal os maiores ladrões andam de terno e gravata,concorda?Gostei de teu post!Beijos!

    ResponderExcluir
  37. Amiga como você eu nunca vou esquecer porque esse tipo de amiga
    o lugar dela é no coração e tudo que está no coração para mim é eterno, inesquecível!

    Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos,
    não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos.
    Miguel Unamuno;
    Tive que ficar ausente por 3 Dias recuperando
    das fortes dores que ando sentindo.
    Agora aos poucos tentarei visitar todas minhas lindas amizades.
    Ficarei feliz e tremendamente agradecida se puder adquirir um livro meu
    talves nunca saberá o quanto você estará me ajudando.
    Mais certamente verá o quanto ,Deus vai te abençoar.
    Em breve vou postar a data da Bienal no meu blog será uma alegria imensa receber você
    em SP.
    Creia a vida é breve demais para deixarmos para amanhã aquilo ,
    que imaginamos não poder fazer hoje.
    Obrigada de todo coração por
    me amar da forma que sou,
    Beijos no coração e na sua alma,Evanir.

    ResponderExcluir
  38. Dilatar o coração faz tão bem né Mari?! Você tem o dom de encantar pessoas, assim como a Verinha, tua mana... Deve ser de família rs!

    beijo

    :)

    *qdo puder passa no Coluna que tem novidade legalzinha por lá.*
    Obrigada

    ResponderExcluir
  39. Sensacional, Marilene.
    Obrigado pelo comentário no meu blog e volte sempre!

    ResponderExcluir
  40. Todo coração precisa de um tempo depois de dias ruins, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  41. Uma sociedade que vive em constante caos, o melhor é ter este coração aberto.
    Um grito,uma reflexão para este cotidiano,feita com muita clareza.
    Carinhoso abraço amiga.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  42. As desigualdades, infelizmente, são sementeira fértil.
    Quem está por "cima", sente-se "maior" e esmaga a fragilidade do desfavorecido.
    Uma bela tese. Um grande grito.

    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  43. Marilene
    Um poema de grande sabedoria falando da desigualdade, que cada vez
    aumenta.
    Boa noite.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  44. Oi Mari,

    Boa noite! Vou tentar vir em suas publicações anteriores porque me encontrei em seus traços divididos, mas não estranhos para mim.

    O caos é sempre a desordem ou pela teoria a presença em tudo que nos cerca. Diria que é preciso a desordem para a ordem.Assim, uma pequena coisa é responsável pelo big bang. Mas só a sequencia do evento é o nosso efeito borboleta para o fim do casulo.

    Beijos e obrigada pelo carinho.

    Lu

    ResponderExcluir
  45. Oi, Marilene!
    Belo poema no seu todo, mas tocaram-me mais ainda os versos:
    "Não conto, sequer, / com os que têm como meta / distribuir segurança!" - Que lição de autonomia, apesar de tanto sofrimento!

    Beijo!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...