19 de julho de 2012

QUANDO CHEGA A VELHICE

(imagem internet)
                                                
                        

                                             
                         Na cadeira de balanço
                         O vai e vem do descanso,
                         Olhos fechados
                         Música suave
                         Pensamentos em voo leve
                         Para receber as lembranças,
                         Que nessa hora
                         Dançam

                         Corrido foi o tempo,
                         E insuficiente,
                         Marcas e saudade
                         Presentes,
                         Vida escrita e guardada
                         Em algum espaço da memória,
                         Que não mais a sustenta

                         Ela trouxe ausências
                         Fora e dentro,
                         E também contentamentos
                         Que a razão não mais define,
                         Passado e presente
                         Misturados,
                         E loucamente acorrentados


                                                          (Marilene)

53 comentários:

  1. Por isso, penso eu, ser tão importante vivermos o nosso hoje intensamente.
    Ao chegarmos a velhice, não sabemos o que nos espera.

    Tão linda e ao mesmo tempo tão triste essa sua poesia.

    Beijos querida Marilene.

    ResponderExcluir
  2. Na velhice, a companhia da cadeira de balanço, que traz num vai e vem compassado as memorias duma vida, as grandes companheiras do caminho fugaz.

    Magnifico como sempre Marilene.
    beijinho
    cvb

    ResponderExcluir
  3. Marilene

    Quando chega a idade, reflecte-se - passando, presente e futuro. Porque na idade ainda se pode e deve aprender e gostar de ser moderno.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Pela lei natural da vida um dia todos nós sentaremos nessa cadeira de balanço, o que valerá são as lembranças que sentarão conosco nela, Muito bonito amiga! Bjoooooss

    ResponderExcluir
  5. já sinto a morte ir tomando conta do meu corpo, compenso com intensidade de vida mental, rindo de bobagens, escrevendo, sentindo e lendo poemas, imaginando amores que já não posso mais viver... a gente não pode parar e esperar, enquanto se vive é-se obrigado a viver. A pior velhice é aquela de uma vida que não se viveu, se a vida foi bem vivida, não há do que se lamentar. Faz lembrar esta lindíssima canção do chico buarque:
    O velho


    O velho sem conselhos
    De joelhos
    De partida
    Carrega com certeza
    Todo o peso
    Da sua vida
    Então eu lhe pergunto pelo amor
    A vida iteira, diz que se guardou
    Do carnaval, da brincadeira
    Que ele não brincou
    Me diga agora
    O que é que eu digo ao povo
    O que é que tem de novo
    Pra deixar
    Nada
    Só a caminhada
    Longa, pra nenhum lugar

    O velho de partida
    Deixa a vida
    Sem saudades
    Sem dívida, sem saldo
    Sem rival
    Ou amizade
    Então eu lhe pergunto pelo amor
    Ele me diz que sempre se escondeu
    Não se comprometeu
    Nem nunca se entregou
    E diga agora
    O que é que eu digo ao povo
    O que é que tem de novo
    Pra deixar
    Nada
    E eu vejo a triste estrada
    Onde um dia eu vou parar

    O velho vai-se agora
    Vai-se embora
    Sem bagagem
    Não sabe pra que veio
    Foi passeio
    Foi passagem
    Então eu lhe pergunto pelo amor
    Ele me é franco
    Mostra um verso manco
    De um caderno em branco
    Que já fechou
    Me diga agora
    O que é que eu digo ao povo
    O que é que tem de novo
    Pra deixar
    Não
    Foi tudo escrito em vão
    E eu lhe peço perdão
    Mas não vou lastimar

    Beijos
    Benno

    ResponderExcluir
  6. A velhice é um momento pleno,,,,de histórias vividas,,,sentimentos sentidos...paz,,,vitórias,,,um presente de Deus....beijos amiga e um belo dia pra ti.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia,Marilene!

    Bah!Poetisa!Tens a sensibilidade tão plena e aflorada,que encanta!
    Tão intenso e sentidos versos!!!
    O tempo passa cada vez mais rápido, e se faz sentir na pele, no rosto.Mas espero conservar comigo o eterno encantamento de quem está começando,de quem busca aprender sempre.E que isso torne minha alma sem idade.
    És incrível minha amiga.Uma observadora de almas,pois consegue captar a essência de cada etapa da vida.
    Beijos e meu respeito e admiração sempre!

    ResponderExcluir
  8. Ciclo da vida, amiga querida. Impportante é galgarmos degrau por degrau em simpatia, amizade, sabedoria, para poder olhar para trás e ver o que de bom semeou. Parabéns. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Simplesmente adorei!! A velhice é o auge da nossa vida e não fim. É a certeza do amadurecimento e a oportunidade de passarmos adiante tudo o que aprendemos da vida!
    jorge-menteaberta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. A velhice deveria ser encarada como apenas mais uma fase da vida, mas não é, nem todos conseguimos vê-la assim. Talvez pela forma exagerada com que as pessoas e a mídia exaltam a juventude, que se tornou quase uma obsessão nestes dias em que vivemos. Adorei seu poema!

    ResponderExcluir
  11. Bom dia minha querida !!!!!!
    Quero agradecer pelo carinho que sempre expressas nos comentários dos amigos,quando faço parte;como as das imagens que se encontra nos posts do nosso escritor e poeta Daniel.No blog da Evanir e da Anne.Sempre te leio quando deixas cair um alento de carinho sobre meu EU.
    Falando do seu poetar de hoje,me fez recordar que por esses dias eu postei um relato do qual se falava da velhice.Aproveito e trago um pequeno trecho desta postagem,que foi tão dignificante que me rendeu 77 comentários.
    A velhice,
    "Vive o século das mudanças,onde encontramos à liberdade para o amor.
    Amar é viver plenamente,já que cada maneira de amar vale a pena.
    Hoje temos liberdade de expressão e escolha.
    Amamos quem queremos,independente de idade,sexualidade e credos.
    Já que o amor é universal,ninguém é mais considerado velho para amar."

    Bjs para aquecer teu dia !

    ResponderExcluir
  12. O seu poema é muito bonito...
    Cada fase da vida deve ser vivida sem preocupações pela idade e sim deixar, mente e o corpo irem se adaptando. Assim todas as fases serão fáceis de serem vividas, pois conforme o tempo passa a experiência vai nos proporcionando meios para sermos bastante felizes.
    Beijos,
    Élys.

    ResponderExcluir
  13. O teu Poema é oportuno e belo.
    Mas, o meu reparo é a não diferenciação entre o conceito de idoso e velho.
    O velho, representa-se como o quase inválido e impotente para uma vida digna; o idoso, alguém com bastante idade e lúcida sabedoria.
    Ambos bem poderão ser, fisicamente, totalmente dependentes, mas os seus espíritos de vida são opostos. Um, vive; outro, vegeta.
    Perdoa esta separação.
    O valor do texto nem é afectado, crê.


    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  14. Sempre penso como será a velhice...
    Lindo querida amiga.
    Um grande bj

    ResponderExcluir
  15. Hola, tu pagina es relamente hermosa, te felicito y te doy las gracias por visitarme y seguirme!!!! Yo tambien te sigo!!!!

    Muchos cariños. Laura.

    ResponderExcluir
  16. Pondre un link de tu pagina en mi blog!!!! Saludos!!!

    ResponderExcluir
  17. Que possamos viver cada fase da nossa vida com dignidade. Bjs

    ResponderExcluir
  18. Um momento em que a memória é como um baú, vai ficando lotado, cheio de lembranças e saudades... e no balanço da cadeira, parece que tudo se mistura, e não como não ter uma sensação de nostalgia. _ Abraços Marilene, um lindo fim de semana pra ti. bjks.

    ResponderExcluir
  19. Querida, teu poema tem a delicadeza e o preciosismo impresso nos sentimentos de quem muito viveu e descansa em suas saudades.Belo!
    Gostei do novo visual do Blog, pois tem a suavidade poética, tal qual teus lindos versos.
    Lindos dias.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  20. Eloah, lindos versos, mas estou em lágrimas já antecipando a nostalgia de um dia estar bem velhinha e não me lembrar de nada, ou quem sabe me lembrarei de tudo?! Quem sabe?!
    Espero poder me lembrar, principalmente de você, desse lindo poema!
    Abraços e obrigada pela amável visita e comentario la no meu espaço.
    Ivone

    ResponderExcluir
  21. Olá MANA,

    Na verdade, a velhice é um ciclo natural da vida. Infelizmente, nem todos
    envelhecem de uma maneira confortável. Quando se chega nessa fase com lucidez, pode-se ainda descansar na cadeira de balanço, alimentando-se das recordações dos bons momentos vividos e transmitindo vivências e experiências aos que convivem ao redor. Triste é quando lá se chega sem memória, perdidos no tempo e no espaço.
    Afinal, não podemos prever como estaremos quando lá chegarmos, então,
    vivamos intensamente e com sabedoria, cuidando de nosso corpo e do nosso
    espírito para que possamos atravessar esta estação com dignidade.

    Há muita sensibilidade e beleza em seu poema.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  22. No meio da terra lavrada
    Se sentou na cadeira
    Na memória terá guardada
    Lembranças da brincadeira!

    Do tempo que foi corrido
    Recordações do passado
    De nada se terá esquecido
    Onde as terá guardado!

    Corre o tempo sem parar
    E gente sempre a correr
    Enquanto a vida durar
    Que a saiba bem viver!

    Ausências ela trouxe
    Onde as teria encontrado
    Escondidas ninguém soube
    Onde as tinha guardado!

    Era tanta a paixão
    Que ficaram loucamente acorrentados!

    Boa noite de quinta-feira para você,
    amiga Marilene.
    Um beijo
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  23. Mari,

    Boa noite! Tudo bem? Lembrei da crônica de autoria de Cissa Romeu sobre a trilogia passado, presente e futuro. Mas não para promover um atestado a velhice ou promover o delivery das doenças. Não há como fugir ou elaborar um plano de perseguição a juventude.

    Talvez, coexistir pacificamente com as limitações físicas tendo com um trunfo a sabedoria do estado de espírito. Um dia li uma frase que falava que velhice é compulsória, mas amadurecimento é opcional. Todavia penso que amadurecer é obrigatório, pois não é tolerável a velhice rabugenta, mas sim ordinária, senhora do tempo, sem o ar de matéria estragada e alma desnutrida.

    Para uma relação tranquila e prazerosa com a passagem dos anos,penso que cultivar relacionamentos, boas leituras, espiritualidade esperança, sempre são trilhas do caminho.

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  24. Oi querida Marilene, o sorriso mais lindo do Brasil!

    Velhice é tema tão vasto e complexo!
    Os anciãos guardam em si tantos ensinamentos, mas, também acumulam reumático, (me desculpe, mas essa associação surgiu logo, logo na minha mente).
    Eu não me importaria de ser velha, mas com qualidade de vida, e sendo útil à sociedade.
    Lido mal com a ideia de um dia ser idosa. Gosto de beleza, sensualidade e de um certo capricho, que depois já não terei. Eu não me imagino a não poder dançar, como o faço, agora, por exemplo.

    A esperança de vida na mulher é já de 85 anos. A do homem, é menor.
    Vamos pensar que inventarão o elixir da juventude. Amaria.

    Beijos carinhosos da Luz.

    ResponderExcluir
  25. Marilene, querida!
    Tudo bem?
    Impossível não me emocionar com este teu poema, no próximo dia 26, minha mãe fará 81 anos. E junto com isso, impossível não fazer essa reflexão sobre o tempo, o nosso tempo, e, coincidentemente você postou este poema lindo!
    Pois temos coisas, e sempre teremos, acorrentadas do passado em nós, e ao mesmo tempo coisas que nos libertarão no futuro, penso que na velhice será o mesmo, mas de forma ainda mais intensa, como no livro de Josué Guimarães: 'enquanto a noite não chega'.

    Lindo, Marilene, no mínimo, lindo!
    Beijos e ótima sexta-feira!

    ResponderExcluir
  26. OI, Marilene. È para emocionar e refletir. Não deixa de ser melancólico, más realidade. SEremos sempre acorrentados ao passado que está em nós e não há volta. O tempo é impracável! Temos sempre procurar viver com sbedoria pois é esse o ciclo da vida. Obrigada pela linda partilha! Beijos flor.

    ResponderExcluir
  27. Mary, tudo bem?
    Sabe menina, eu acho a velhice uma época triste da vida. Não sei porquê, mas acho! Vejo muitos velhinhos tristes e largados por aí... Isso é ruim!

    Não sei porque, mas acho que não chegarei a essa fase da vida. Minha esposa não pode nem escutar eu falando isso que quase me bate, hahahahahahaha.

    Mas seu poema mais uma vez ficou muito lindo e delicado!
    Parabens!

    ResponderExcluir
  28. Um belo final de semana pra ti minha amiga....beijos.

    ResponderExcluir
  29. em cada olhar para trás, tantos e tão diversos os mundos com que reescrevemos o nome.

    beijinho, marilene!

    ResponderExcluir
  30. Feliz dia do amigo e obrigada por fazer parte da minha história nessa linda caminhada que me faz tão feliz aqui no blogger. Que você seja feliz hoje e sempre!


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  31. Boa tarde, Marilene. A velhice é uma dádiva de Deus, pois se chegamos até mais essa fase da vida é porque Deus permitiu, e devemos usufruir dessa permissão o mais intensamente que pudermos!
    As limitações físicais e mentais, a memória que já não é tão boa para o presente, mas sabe-se muito do passado, é um presente para quem escuta os conselhos dos velhos sábios.
    Que haja vigor em cada olhar muitas vezes cansado, que haja vida nos passos lentos, que haja felicidade no coração e espírito grato, nada reclamão!
    Que a sabedoria os acompanhe, e que nós que ainda estamos longe de chegar a esse estágio ou não, possamos ter o bom humor que muitos nessa fase tem.
    Beijos na alma, e feliz dia do amigo para você, que seja cercada de bons e verdadeiros amigos, sempre!

    ResponderExcluir
  32. Oi Mari, boa tarde!

    Velhice é o caminho para a utopia, onde caminha-se e nunca se chega no horizonte. Talvez depois da velhice, onde seremos castos e flutuantes, chegaremos ao horizonte e assim descobriremos o que eram (realmente), as utopias.

    Grande Mari, você comove (sempre) com teus escritos. E eu leio e (re)leio a fim de enfiar-me nestes meandros, quase imperceptíveis, para enfim saborear tuas palavras.
    super beijo

    Lu

    ResponderExcluir
  33. Boa tarde!
    Hoje deixo um Ctrl-C,
    mas rico em sinceridade.
    Pois, são muitos os amigos
    que irei visitar nesse dia
    da Amizade!
    "Um abraço de Amigo, dado com
    sinceridade, dura por uma Eternidade!"
    Feliz dia da Amizade!"
    Bjinhos meus...com carinho!

    ResponderExcluir
  34. Oi, Marilene. É por isso que penso muito no quanto a vida é preciosa e no quanto ela precisa ser vivida intensamente. Para que na velhice se olhe para trás com alegria e serenidade, e se possa aceitar nosso destino inevitável. Um abraço!

    ResponderExcluir
  35. Marilene
    Talentosa poetisa
    Mesmo acorrentados com os dias vividos será que vamos chegar lá com serenidade?
    Seu poema e a foto inspira muita ternura.

    Um bom dia dos amigos.
    Bjs

    ResponderExcluir
  36. OI FLOR
    FELIZ DIA DO AMIGO!!

    Dia feliz,escolhido por Deus.
    Inspirado na gradeza do coração.
    A cada dia, O amigo conquista o coração.

    Diante das lutas da vida ele está presente.
    O " amigo" é " presença constante " mesmo "ausente".

    A mizade é riqueza em nossa vida.
    Mais força, mais beleza, mais amor.
    Incentivando o bem com seu "calor humano".
    Gerando mais "força" mais "vigor", mais ardor.
    O " amigo" é um "tesouro", agradecemos ao criador.

    DEUS ABENÇÕE NOSSA AMIZADE!

    ResponderExcluir
  37. Meu carinho especial a você Marilena, doce amiga, neste Dia dedicado aos amigos. Com tua presença, teu incentivo e generosidade, vens ocupando um espaço de ternura no meu coração e fazendo da minha caminhada suave passos, doce cadencia e um mundo de esperanças.
    Grandes voos e obrigada pela amizade. Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  38. Oi querida Marilene,

    Hoje, se comemora o "DIA DO AMIGO(a)". Somos. Nem vou questionar. PARABÉNS. Queremos continuação.

    Criei, ontem à noite, por volta das 2h da madrugada, portanto, em Portugal, dia 20, meu 2º Blog: LUZES E LUARES.
    Gostaria de sua criteriosa opinião, se possível. OBRIGADA!

    Beijos da LUZ, com luzes e luares.

    PS: não tem painel de seguidores e os comentários não estão sob aprovação.

    ResponderExcluir
  39. Amiga que luxo!Muito lindo,eu adoro te ler e fazer cards mande mais viu? rs beijos!

    ResponderExcluir
  40. Uma velhice digna é o mínimo que um ser humano merece, e vemos tão pouco esse merecimento!!! Lindo poema, um grande abraço pelo Dia do Amigo, bjs

    ResponderExcluir
  41. Oi Marilene
    Que bela homenagem aos idosos vc fez em forma de poema! Penso que eles devem ser mais valorizados, pois tem muito a nos ensinar, e devemos refletir e aproveitarmos mais os momentos presentes, porque depois só ficam as lembranças e as histórias para contar.
    Bjão. Feliz dia do amigo!

    ResponderExcluir
  42. Boa noite amiga querida !
    Sabia que na bilheteria da vida os ingressos para comprar um amigo se encontra nos atos e atitudes e dai nos humanizamos .Por isso que te fiz de minha amiga.
    F*E*L*I*Z***D*I*A***D*O***A*M*I*G*O***!!!

    ResponderExcluir
  43. Marilene siempre con tus buenas inspiraciones.
    Saludos
    David

    ResponderExcluir
  44. Poesia linda! Todos nós iremos nos embalar nesta cadeira um dia....Obrigada pelo carinho e pelo comentário gentil!
    No início de minha postagem há um selo pelo dia do amigo!
    Por favor aceite-o! É de coração!
    Feliz Dia do Amigo (meio atrasadinho)!
    Um abençoado e feliz final de semana!
    Abraço carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  45. Um belo sábado pra ti minha amiga,,,repleto de flores e versos...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  46. É preciso cuidar na juventude para se ter uma velhice de boa qualidade!
    Nem sempre é assim. Abusamos de nossa mente e de nosso corpo e a conta vem na velhice!!!

    Beijão e um ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  47. Importante pensar e agir a respeito!
    Feliz dia do amigo ontem, hoje e sempre!!!
    bj Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  48. Essa cadeirinha é o descansar da lida. Descansa nesse tempo a memória também. E o interessante é que passa o presente e vem à tona o passado e toda a alegria que se viveu. Espero chegar ao meu tempo outonal com lembranças boas, sorriso de alegria e uma boa dose de sabedoria para poder ser amada pelos que estão à volta e não apenas tolerada como acontece muito por ai... Uma triste realidade.
    Poema lindo Marilene.
    Beijokas doces

    ResponderExcluir
  49. Oi Marilene!
    É, o tempo voa e no final ficam só as doces lembranças. Lindo o seu poetar e a sensibilidade para traduzir em versos estes momentos tão particulares.
    Parabéns pelo dia do escritor!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  50. Na realidade somos mesmo este acumulo de lembranças,que lentamente involuntariamente vamos acumulando.Em cada fase da vida vivemos estas lembranças e temos que nos adapatar e preparar para cada uma delas.Uma construção perfeita de um tema, que tem movimentado as mentes na busca de um conforto de muitos que se perdem nesta fase.Parabens amiga, voce fli feliz na construção.
    Meu abraço de paz e luz.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  51. Olá, Marilene.
    Creio que aquilo que somos muda a cada instante, e sempre nos aprimoramos a cada momento, então, teoricamente, se agirmos sempre corretamente, teremos uma velhice plena e digna de ser vivida.
    Abraço, Marilene.

    ResponderExcluir

  52. Marilene: essa foto diz tantas coisas, dá para ler o pensamento! Onde se vê uma cadeira de balanço, e nessa situação, alguém olhando o infinito... Há fotos que por si só nos mostram muito. Porém ela completa seu belo texto. Há dias que estou para comentá -lo, vendo no quadro dos '10 mais'. Não diria que a velhice é o caos, mas também não é aquela maravilha.

    Enquanto estiver existindo lucidez, existirá o instinto de conservação, o apego à vida. Saudade e esperança.
    Não penso que os velhos não possam perceber o ponto final, porém não com resignação, mesmo acreditando que possa existir outra vida. Essa foto parece falar...
    Ver e sentir tal dor de perto e achá-la natural não existe, o que existe é um conformismo. Acredito nisso. E surgem as perguntas, mas nenhuma resposta que satisfaça. Embora tentamos nos enganar.
    O que resta, quando muito velhos, é viver de recordações, talvez amenize um pouco.

    Beijo grande, amiga.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...