11 de julho de 2012

SANIDADE

(Ben Goossens) 


                                         
                                Havia um louco
                                Procurando o paraíso
                                E um outro louco
                                Afirmando lá morar.
                                Ambos sorriam
                                Sem nada lamentar,
                                Um tinha sonhos,
                                O outro, o seu lugar


                                Faz falta a sanidade
                                Em meio ao bem estar?

                                Havia um rico homem
                                Chorando suas aflições
                                E um outro, sem nada ter,
                                Cantando suas ilusões.
                                As lágrimas e a música
                                Não se misturavam


                                Faz falta o poder
                                Quando se sabe viver?


                               Havia um sábio indivíduo 
                               Que cultivava o silêncio
                               E vários outros que,
                               Em constante burburinho,
                               Não aprendiam a ouvir.
                               Um lia, se instruía,
                               E cada vez mais, crescia,
                               Os demais riam, sem perceber,
                               Que o futuro 
                               Deixavam para trás


                               De que vale o ego
                               Quando se vira as costas
                               À sabedoria?
                                
                               Melhor ser louco ...
                               Essa relativa sanidade
                               É um pacote de inverdades


                                                          (Marilene)



53 comentários:

  1. Minha querida amiga !!!
    Belo alvorecer pra ti !
    Felizes são os loucos que perderam a noção do ridículo e nem por isso são menos querido...
    Poema de um grande conteúdo...
    bjssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Relativa sanidade que disfarça a loucura latente e adormecida.... Poesia linda! Ótima para a reflexão... Uma quarta-feira iluminada!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Poesia molto bella!! buon mercoledi...ciao

    ResponderExcluir
  4. Um arraso,Guria!!Que maravilhosa poesia e profundos questionamentos. DEZ!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Bom dia ao sorriso mais bonito, que conheco!

    Olá querida Marilene,

    Hoje, filosofou, e de que maneira!
    Na realidade, por vezes, nos faz falta, aquela dose de loucura, na proporção certa.
    Tudo o que é muito ou diz ser muito certinho me assusta.
    Pessoas, que nunca erram, que se dizem, que se julgam quase perfeitas e insubstituíveis são, normalmente, as que menos valor têm.
    Bem, faz a Luz, dizendo o que lhe vai na alma, revelando e desejando aquilo que muitas calam.

    A FILOSOFIA E A PSICOLOGIA SÃO CIÊNCIAS, QUE SE COMPLETAM, E ONDE APRENDEMOS A ENTENDER E A CONHECER O MUNDO E O OUTRO.

    Para mim, pode ser um pacotão.

    Feliz dia, sem frio, no corpo e na alma.
    Beijos afetuosos da Luz.

    ResponderExcluir
  6. Interessante e com uma mensagem potente.
    Gostei de ler

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  7. Mary minha amiga! Tudo bem aí?

    Olha, que texto bom esse. As vezes que você fala do cotidiano você sempre acerta na mosca! Parabens minha amiga!

    ResponderExcluir
  8. A loucura é pouco aceita e mal-compreendida pelos 'sãos...' mas vale a pena.

    ResponderExcluir
  9. Como já foi comentado, vc filosofou, e muito bem!
    Eu ando cada vez mais insano.rs

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. A vida é a simplicidade do momento,,,do que se acredita ser,,,ter,,,estar,,,do que contém guardado na alma pra viver e sonhar...beijos de bom dia pra ti amiga.

    ResponderExcluir
  11. Oiii Marilene, eu tbém prefiro ser louca, em todos os sentidos rrsrs Adorei! Bjooooss
    Estou retornando e trazendo um sorteio mineirinho lá no blog, passa lá p participar! Bjooossss

    ResponderExcluir
  12. Nossa Ma...que lndo teu poema!!

    Entre todos temos um pouco de loucura e normalidade...
    Saber vagar entre estes dois extremos é sabedoria...
    Sabedoria tb é te visitar sabendo que sempre teremos aqui
    um lindo poema a ser lido!!

    bjinhos....

    ResponderExcluir
  13. Querida, entre a sanidade e a loucura planamos e vamos levando a vida.Belo e sábio poema.
    Você,como sempre surpreendendo com a beleza de teus poemas.
    Tenha lindos dias e belos sonhos.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  14. OI MARILENE!
    ACHO QUE PASSAMOS A VIDA TODA ENTRE INSANIDADES.
    MAS EM TEU TEXTO ENFATIZAS QUE, SE APRENDE OUVINDO E NÃO SÓ FALANDO...
    MUITO BONITO.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  15. Um morava no paraíso
    Outro tinha um lugar
    Qual teria mais juízo
    Dois loucos a falar!

    Havia um rico homem
    E havia um homem rico
    Há uns que tudo comem
    Outros que nem têm um penico!

    Em constante burburinho
    Cada um fazia o que queria
    Quando seguiam pelo caminho
    Se um falava o outro ouvia!

    Loucos não seriam
    Divertidos talvez sim
    Sábios que apanhariam
    As flores no jardim!

    Boa noite de quarta-feira para você,
    amiga Marilene. Obrigado pela sua
    amável visita,
    um beijo
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  16. Seu blog é realmente uma graça.Parabens bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi, Marilene. Mais vale um louco feliz do que um poderoso infeliz. É por isso que não me abstenho de um pouco de loucura...até porque esse é um conceito relativo. Loucura não seria deixar de aproveitar a vida? Um abraço!

    ResponderExcluir
  18. Belo demais Marilene.Para que serve a sanidade em certos momentos de visão?
    Não temos como fuigir à Balado do Louco."Se eles tem tres carros eu posso voar...Se eles rezam muito eu já estou no céu..."
    Parabens Marilene por esta linda inspiração onde o que vale é o ser.
    Apalusos amiga.
    Terno abraço de paz e luz.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  19. Temos os dois, sanidade e loucura que se misturam o tempo todo nos dando uma certa magia no ser...adorei sua poesia, como sempre.
    Loucura de quando em quando é um tempero e tanto...beijinhos
    (((Você me falou que não conseguia entra na minha primeira postagem, ontem a postei de novo...)))

    ResponderExcluir
  20. Oh...que texto lindo e tão cheio de verdades! Do início ao fim convida à reflexão...ainda mais no mundo e no tempo em que vivemos. Muito bom,
    Obrigada!
    Abraço, BShell

    ResponderExcluir
  21. Minha querida

    Quanta verdade neste belo poema...a vida deve também ter um pouco de loucura, devemos e tentar equilibrar os dois estados.
    Adorei como sempre ler-te.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  22. Olá mana,

    Também acho que o conceito de loucura é relativo. Creio que todos nós temos
    lá nossas loucuras. Na medida certa, tempera a vida. O importante é ser feliz.
    A sanidade absoluta chega a ser cruel com aquele que a detém.

    LINDO e convida à reflexão.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  23. À mão direita da normalidade fica a genialidade e à mão esquerda, a loucura. Quando as duas mãos se encontram acontece a prece, o aplauso,o abraço envolvente.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  24. Olá, Marilene. Lindo e sábio o texto. O conceito de loucura é relativo. Uma bela reflexção amiga! Vc é genial!! Bjo grande e todo carinho flor. Bons sonhos e lindo dia!

    ResponderExcluir
  25. Achei seu blog na blogosfera.
    E adoreii!

    Já estou te seguindo..
    Me visite tbm
    http://lidiepaulo.blogspot.com.br

    Beijocas
    Ótima Noite \º/

    ResponderExcluir
  26. Uma poesia reflexiva e ao mesmo tempo linda.
    A loucura, em quantidades amenas, se faz necessário ao meu ver.

    Obrigada querida, pelo carinho de sempre para comigo.
    Beijos de uma deliciosa noite e um amanhecer de muito sol.

    ResponderExcluir
  27. Marilene, tudo bem?
    Talvez a verdadeira sabedoria seja entregar-se a 'insanidade' sem deixar que ela nos domine. Se tudo é relativo de fato, o que pode ser insano, talvez seja apenas ousadia, o diferente, o desafio aceito. Dessa forma é melhor ser um sábio louco que um louco que pensa ser sábio.
    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir
  28. Um belo dia pra ti minha amiga...beijos e flores...

    ResponderExcluir
  29. A voz do Povo diz que: "De sábio e louco, todos temos um pouco".
    Para se harmonizar a Vida temos de flutuar entre a fantasia e a realidade.
    Será isto insanidade?

    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  30. Marilene

    De tão assisado o tem magniSfico poema, deixou um gostinho a quero mais.
    Aproveito a informar que o TOP SECRET OLAVO, tem novo capitulo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Lindo, Marilene

    Fugir da realidade com um pouco de insanidade e fantasia acho que é a essencia da poesia.

    Um lindo dia para você.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  32. Oi Marilene,

    Tudo bem? Em primeiro lugar, agradeço o seu comentário e análise lá no Navegando no Cotidiano.

    Em segundo, te falar que estarei acompanhando os seus textos pela lucidez, percepção e sabedoria que encontrei por aqui.

    Em terceiro, destacar que a Cissa, Csssinha, além da grande companheira que tem sido nos meus escritos, tem sempre me proporcionado a oportunidade de conhecer escritores como você, que transmite grande maturidade.

    Por fim, falar um pouco do seu texto que revela um conclusão com um taco de pelica.Penso que a loucura é tão próxima a normalidade, mas o que define a percepção de um ou de outra é o equilíbrio. Há loucos que são equilibrados e normais que são desequilibrados.E aí, o outro não entende ou confunde posicionamento com loucura ou silêncio como normalidade. Penso que a linha é ténue.

    Beijos,

    Lu

    ResponderExcluir
  33. Escrever poesia não é o meu forte, talvez por isso admire tanto quem assim escreve! belissímo amiga.
    Bjs

    ResponderExcluir
  34. Marilene teu texto é incrivel,uma loucura!

    O gênio, o crime e a loucura, provêm, por igual, de uma anormalidade; representam, de diferentes maneiras, uma inadaptabilidade ao meio.
    Fernando Pessoa

    ResponderExcluir
  35. Eu opto por ser louca, antes que a razão me consuma; opto pelo bem estar ao poder, pois a vida e curta e não levamos poder ou riquezas materiais para o outro lado; opto por sabedoria à vida desregrada. Opto por viver plenamente essa vida que é tão preciosa.
    Lindos e sábios versos querida Marilene.

    ResponderExcluir
  36. Um excelente final de semana pra ti minha amiga...paz e poesias sempre....beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  37. Olá,Marilene!!

    Nossa,poetisa! Cai fundo na alma esta poesia!
    Quantas verdades nestes versos!A sabedoria transcende no que conhecemos por loucura ou sanidade...ainda mais nos dias de hoje em que os valores estão distorcidos...e o que realmente importa é relegado aos esquecimento.
    Encantadora a sua poesia!!!Beijos,minha amiga!

    ResponderExcluir
  38. Aplausossss Marilene! Que poema mais bem escrito...um verdadeiro convite à reflexão.
    Bom final de semana amiga, beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir
  39. Olá, boa noite!
    Problemas vários fazem com que só agora esteja a regressar aos blogs.
    Vou ver se a partir de agora sou mais assíduo.
    Bom fim de semana para si!

    *** Sim. Por vezes melhor teria sido nascer-se louco!

    ResponderExcluir
  40. Que discorrer perfeito, em versos claros onde a razão e a loucura se espelham num jogo de dúvidas e certezas.Maravilhosa poesia, Mari.Vc se supera a cada criação.
    Parabéns!!!
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
  41. A ambiguidade humana procurando seu sentido.
    Beijo, linda.
    Em divina amizade.
    Sonia Guzzi

    ResponderExcluir
  42. Minha amiga! Obrigada pela visita carinhosa! É sempre um prazer te visitar! Excelente final de semana! Abraço carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  43. Muito bonito!


    ¸❤✿•.¸
    ♥ Bom fim de semana!
    ♡ Beijinhos.

    ResponderExcluir
  44. Um belo sábado pra ti minha amiga....beijos.

    ResponderExcluir
  45. As loucuras que mais me arrependo na vida são que não foram confirmado quando teve a oportunidade...

    um beijo

    ResponderExcluir
  46. Beleza ver a pura filosofia sob a forma de poesia!
    Um grande abraço do seu admirador!

    ResponderExcluir
  47. Ter vc comigo é maravilhoso! Obrigada pelo carinho e sua amizade.
    Obrigada por reservar um cantinho em sua vida para abrigar o meu amor e carinho.
    obrigada por partilhar comigo momentos tão sublimes nesta troca gratuita de amizade!
    Que Deus te proteja hoje e sempre.
    Obrigada também por estar sempre comigo
    em todos os momentos da minha vida.
    E através dessa magica telinha que encontrei
    alegria de viver e lutar sempre .
    Aqui tenho amigos reais por isso
    sempre digo.
    Amigos para Sempre.
    Um feliz e abençoado final de semana.
    Beijos no coração,Evanir.
    Não se esqueça que ..
    Estou seguindo -te e te amando.

    ResponderExcluir
  48. Boa noite, Marilene. Antes de qualquer coisa deixo registrado que tenho uma grande admiração pela sua arte, e que esse poema poderia muito bem ser desmembrado devido a sua riqueza.
    Bem, creio que a a sanidade é tão relativa, e que ninguém é normal no que diz respeito aos conceitos.
    O que é normal para mim, pode não ser para você e assim por diante.
    Existem valores que são morais e que segue um padrão na sociedade, no comportamento psicológico, quando foge desesperadamente a isso, é um caso patológico, mas se não fere ninguém, se tem um mundo próprio, e esse é feliz, que venham então os insanos ensinar algo de produtivo aos ditos sãos.
    Quanto aos que aprendem, seguem com quietude sua vida produzindo riquezas internas têm a ensinar aos que sem cerimônia seguem uma vida frívola, que com certeza sofrerão mais tarde.
    Saber calar e ouvir mais, é sempre melhor sem com isso deixar de emitir a sua opinião ficando sempre na nulidade.
    Com você, é filosofia pura. Tem de desmembrar, rs.
    Beijos na alma, e fique na paz!

    ResponderExcluir
  49. UAU, li tudo num fôlego só... puf puf...

    Mais que um poema, um Ensaio sobre a Sanidade. Já parou pra pensar que poderia desmembrar o poema? Pano pra manga não falta!

    Tá lindo isso, moça. Um dos melhores de tua safra.

    bacios querideza
    :)

    ResponderExcluir
  50. Olá, Marilene.
    Belíssimo poema, parabéns.
    Também acho que o equilíbrio entre sanidade e razão deve ser mantido e calculado a todo tempo, já que perdemos muita coisa por sermos racionais demais, ao mesmo tempo em que existem ocasiões em que somente esta nos serve.
    Medio tutissumis ibis (o caminho mais correto é pelo meio).
    Abraço, Marilene.

    ResponderExcluir
  51. Olá, Marilene!

    Voltei para ler mais alguns poemas seus. Este é um sábio e louco poema!
    Beijinho!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...