30 de agosto de 2012

CASA VAZIA

(Nathalie Picoulet )


                                              


                                 

                    
                                 No escuro da noite
                                 Silêncio
                                 No frio da madrugada
                                 Ausência
                                 No coração palpitante
                                 Inquietude
                                 Nas lembranças embaralhadas
                                 Saudade

                                 Não chega o sono
                                 E não vem o dia,
                                 As sombras vagueiam
                                 E dançam
                                 Nas paredes frias,
                                 A casa, sem seu sorriso,
                                 Ficou vazia

                                 

                                                                 Marilene




59 comentários:

  1. Marilene, já estava com saudades de te ler.

    Como entendo desse vazio minha querida, por isso me perco sempre nas madrugadas.

    Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
  2. Marilene,
    tudo bem?
    Quando apenas as paredes são os testemunho de nossa solidão, a casa, não só está vazia, como pode virar ruínas. Apenas um novo sentimento, uma nova motivação poderá colocar mais uma mão de tinta nos metros quadrados das saudades, mesmo que no princípio apenas esconda o que havia na camada anterior, com o tempo atingirá o concreto, e a casa se renovará, mesmo que com as mesmas paredes.
    Muito lindo o poema!
    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir
  3. Amiga Marilene. Tus sencibilidades por las poesias,te hacen ver ver poesias
    en mis fotos
    Un fuerte abrazo

    ResponderExcluir
  4. A veces a los fotógrafos les pase igual que a los pintores,sus imaginaciones superan a las realidades.
    Un fuerte abrazo
    Tu ves poesia por todos tus sentidos

    ResponderExcluir
  5. Tu juventud,tu cultura,hacen que el transcurrir de tu visa sea apacible.
    Tu amas las artes,cosa olvidada en estos .
    Juan

    ResponderExcluir
  6. Às vezes nos encontramos rodeados de pessoas dentro de um imenso vazio.... Linda tua poesia, verdadeira, embora triste! Quinta e sexta-feiras iluminadas!
    Um abençoado e feliz final de semana!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

  7. Bom dia, Marilene

    No seu poema, retrata de forma muito real a solidão quando não temos junto a nós a pessoa que amamos. O vazio instala-se e tudo parece sem sentido. O que vale é a capacidade que temos de ultrapassar estes e outros estados de alma, procurando a beleza em outros aspectos da vida.

    Bjs

    Olinda

    ResponderExcluir
  8. Um poema bem curto... um poema bem bonito! Quanta sensibilidade! Quanto talento!

    Mais uma vez, parabéns, Marilene!

    ResponderExcluir
  9. Triste casa que ficou vazia, mas linda poesia!! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  10. E esse vazio se chama solidão,,,que enlouquece,,,que faz parecer tudo maior do que realmente é....beijos e um bom dia pra ti amiga.

    ResponderExcluir
  11. Que lindo Marilene.
    Parece que você estava descrevendo as minhas noites
    antes de ter encontrado o meu bem.
    Era assim que me sentia, sei bem como são as noites
    com a insonia chicoteando o coração.
    Um dia elas passam...beijinhos amiga linda.

    ResponderExcluir
  12. Si tu amas a la poesia,también tienes qque amar a la naturaleza,porque con ella sentirás atración y sentimientos
    Abrazos

    ResponderExcluir
  13. Como um simples sorriso pode encher uma vida, uma madrugada, uma casa inteira! ;))
    Muito LINDO Marilene, amei!
    Beijos e que venha um fim de semana muito feliz pra você.

    ResponderExcluir
  14. Ausências que gritam mais alto que palavras, pois falam de dentro do nosso coração.
    Mais uma bela cena poética, esta, que vc nos brinda,Mari.
    Mil bjinhos,
    Calu

    ResponderExcluir
  15. Numa noite escura
    A felicidade encontrei
    Em tua formosura
    Numa noite escura mirei!

    Bela a tinha imaginado
    No pensar não me enganei
    Foi um tesouro encontrado
    Que em noite escura apalpei!

    Quando acordei a seu lado
    Sem saber como lá fui parar
    Nos seus braços embrulhado
    Estava a penas a sonhar!

    Boa quinta-feira para você,
    minha amiga Marilene,
    um bjo
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  16. Singelo, belo e suave!
    Ler-te sempre me faz bem, moça poeta - minha migucha linda!
    :)

    bacios

    ResponderExcluir
  17. Olá Marilene!
    Bela poesia amiga!!
    No frio da madrugada,
    vem a inquietude, um pensamento de um amor, uma lembrança que reluz a cada instante.

    Marilene, um ótimo final de semana cheia de paz.Bjs

    ResponderExcluir
  18. Boa tarde, Marilene. E esse vazio é tão ruim, cobre a nossa mente de pensamentos que não deveriam existir, trazendo tristeza, apertando o nosso peito e fervilhando nosso sentimento.
    Sono assim não vem, de jeito algum.
    Quem suporta a ausência de quem se ama?
    Beijos na alma e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  19. Um sorriso de encher a casa deve ser um belo sorriso pra quem o vê assim!

    Lindo poema minha amiga!

    ResponderExcluir
  20. Assim...
    A saudade de um tal sorriso
    Criara inércia diante ao abismo
    Somos assim, dependentes do afago
    O amor singelo sem desagrado
    Um coração sem sentimento
    É feita casa vazia que fizera de seu sorriso seu próprio alento...

    Saudades daqui Marilene, estava divagando nos escritos, cai aqui para ler comentários. De uma parceria que já fizera ha tempo!

    Beijos H²K

    ResponderExcluir
  21. Oii Marilene que triste ausência essa, e quem não passa por isso não é mesmo! Lindo! Bjoooooss

    ResponderExcluir
  22. ✿✿
    Gostaria que situações como essas não existissem...
    existem e fazem parte da vida!....
    Amiga, beijinhos.
    Bom fim de semana!
    ✿✿✿

    ResponderExcluir
  23. Ui! Que tudo!!!
    Mari, você descreveu exatameente a minha saudade rsrsr.
    Lindo texto.

    Beijo

    ResponderExcluir
  24. E como ficou... como um poço mesmo que secou...
    Triste e bonito!

    Beijos Marilene

    ResponderExcluir

  25. Oi mana,

    Que belo poema!
    Singelo, suave, retratando tão melancolicamente uma triste e solitária saudade.
    Gostei demais.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  26. Oi Marilene,

    Tudo bem? Um poema intenso e com contorno para trazer a lembrança do que não existe mais no concreto, mas está no imaginário.Diria, além da casinha de sapé.

    Quando pensamos em casa vazia, podemos resgatar fantasmas ou se incomodar com o vazio. Talvez até se impressionar com o excesso de espaço. O que fazer nessas horas? Tentar preencher aos poucos e aí vem o recomeço. Talvez seja por isso que sempre é bom dispensar os discos antigos e procurar novos sons. Talvez um quadro a cada mês, um tapete para sonhar olhando as estrelas e, assim, encontrar uma nova razão. Uma nova pintura para atrair a felicidade e um novo tapete para os novos entrantes.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  27. Como uma noite pode ser longa quando a saudade remói dentro de nós...
    Poema suave e belo como é seu core!
    bjkas doces

    ResponderExcluir
  28. Marlene ..
    Lindo poema realmente a noite é longa quando o vazio toma conta
    dos nossos corações.
    Tudo quando chega a noite nos traz saudade
    dói o peito e a alma chora.
    Lindo final de semana doce amiga,Evanir.

    ResponderExcluir
  29. Bom dia,Marilene!!!

    Ah!Querida poetisa!!Nem imaginas o prazer que é chegar aqui e ler suas poesias!!!
    Este é mais um belíssimo poema, profundo, palavras perfeitas!
    Sempre me encanto e me emociono!
    Beijos,minha amiga!!!
    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  30. Querida amiga

    Peço desculpas pela minha ausência, mas não é por esquecimento, mas sim por conta de meu novo projeto, o qual me está retirando muito tempo.

    Ser esposa, mãe, amiga, dona de casa, e ainda aprendiz de escritora, não é tarefa muito fácil, requer de nós um grande equilíbrio.

    Queria muito agradecer por sua presença amiga lá no meu cantinho, presença que me alegra por demais meu coração e minha vida! Muito Obrigada!

    Me perdoe por alguma coisa.

    Um lindo dia para você.

    Abraço amigo

    Maria Alice

    ResponderExcluir
  31. Ah, poetisa, quem me dera
    Eu pudesse, em oração,
    Dividir nessa espera
    As dores do coração!
    A casa estava vazia;
    Encheste-a de poesia
    Partilhando a solidão...


    Somente anjos e poetas têm o dom de compartilhar a solidão e dividir o vazio.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  32. Saudade, saudade.. dói, machuca.. parece mesmo q falta um pedaço de nós..

    Linda postagem, Mari.

    Bjus

    ResponderExcluir
  33. Que poesia maravilhosa e comove por esse sorriso que se foi!Bjs e meu carinho,

    ResponderExcluir
  34. Apaixonante!! Alma e Sentidos ao mesmo tempo. Acho isso um dom peculiar seu...Beijão querida

    ResponderExcluir
  35. A pior casa vazia é a do coração...
    Magnífico poema. Gostei muito das tuas palavras.
    Marilene, minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
    Beijo.
    (voltando de férias... aos poucos...)

    ResponderExcluir
  36. Querida amiga

    E ainda mais vazio,
    o nosso coração...


    Que haja sempre em ti,
    o olhar da alegria.

    ResponderExcluir
  37. Belíssima!
    Gostei! Me vi em seu poema, acho que todos sentimos a ausência tão forte de alguém querido assim.
    Bom final de semana,
    Abraços.

    ResponderExcluir
  38. Um belo final de semana pra ti minha amiga querida,,,beijos e flores...

    ResponderExcluir
  39. Olá Marilene - Só há sombras onde há luz.:)!
    Belíssimo poema!
    Bjo

    ResponderExcluir
  40. nossa, era eu,rsrs já superei, mas tive estes momentos tão bem descritos em lindos versos. adorei! beijos

    ResponderExcluir
  41. Adorei! voce escreve magnifica!
    Bjo

    ResponderExcluir
  42. que testemunho das verdades do coração colega!
    parabéns!

    ResponderExcluir
  43. ♡✿彡╮

    Amiga, bom sábado!
    Bom fim de semana!
    Beijinhos.
    Brasil.
    •°♫¸.♪♫°

    ResponderExcluir
  44. Oi Marilene querida


    Quando você escreve sobre saudade, sinto uma verdade tão intensa em tuas palavras que chego a senti-la...
    Lindo demais.


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  45. Um bom sábado pra ti minha amiga,,,beijos.

    ResponderExcluir
  46. Esse título me fez ficar com um dos poemas mais impactantes na minha vida. Do meu conterrâneo, Alberto da Cunha Melo:

    CASA VAZIA

    Poema nenhum, nunca mais,
    será um acontecimento:
    escrevemos cada vez mais
    para um mundo cada vez menos,

    para esse público dos ermos
    compostos apenas de nós mesmos,

    uns joões batistas a pregar
    para as dobras de suas túnicas
    seu deserto particular,

    ou cães latindo, noite e dia,
    dentro de uma casa vazia.

    ResponderExcluir
  47. Gosto muito de poemas assim...simples, que tocam a alma,mesmo sendo tristes, porque a tristeza também faz parte da vida de todos, dos poetas muitas vezes é mais porque a sensibilidade é grande. Beijão, um maravilhoso fds

    ResponderExcluir
  48. E este vazio se torna imenso...
    Só quem sabe é quem sente.
    Um abraço e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  49. Oi Marilene
    Gostei do poema, sempre gosto de seus poemas, eles trazem sentimento, até quando são meio tristes como esse. Eu nunca senti isso, mas deve ser muito difícil!
    Bjão querida, e obrigada pelo carinho sempre no meu blog. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  50. Oi querida Marilene,

    Poema nostálgico, mas com muita serenidade.
    Quando ficamos vazias de amor, tudo parece cinzento e sem cor, diria mesmo.
    É normal e humano.
    O amor alimenta e dá cor à nossa existência.

    Beijos da Luz, com carinho e afeto.
    Amanhã, será a minha vez de "cantar" o amor.

    ResponderExcluir
  51. El amor es un largo camino que debemos de cultivar con mucho cariño y a veces sentimos la impotencia de ver como se esfuma.
    siempre un placer,
    que disfrutes el fin de semana.
    un abrazo.

    ResponderExcluir
  52. Querida que lindo poema.Fez-me pensar em minhas horas vazias e das madrugadas insones.Aprendi a viver e fiz da solidão um lugar bom de viver.
    Teu poema me deu asas para voar.Estive ausente por conta do Livro que finalmente foi lançado neste último dia 29 de agosto.Agora volto a postar e a visitar meus amigos (as) para ler e apreciar suas preciosidades.
    Lindo e ensolarado domingo.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  53. Lindo Marilene...

    Horas vazias nos levam a viajar nos pensamento em uma solidão que não se explica causando em nós tormentos que por vezes transformam se em dolorosas saudades ecoando na alma....

    Beijos e lindo final de semana pra ti...

    ResponderExcluir
  54. Marilene
    Poema triste, mas lindo.
    Quando se sente assim a solidão é interminável.
    Mas depois tudo vai-se acomodando. Ás vezes é necessário dar vazão solidão, para quando ela for embora a alegria se tornar plena

    Um lindo dia.
    Bjs

    ResponderExcluir
  55. Olá, Marilene.
    A solidão é triste, sem dúvida, mas felizmente ela é plenamente remediável.
    O que não podemos deixar é que ela se torne crônica, que aí se torna doença.
    Abraço, Marilene.

    ResponderExcluir
  56. Já encontrei noites longas feito esta, e voce a colocou em versos lindamente, com palavras bastante precisas. Uma cadencia que aquece o coraçao de quem a lê ... Até vendeu-me a falsa ideia de que seria bom sofrer numa noite dessas ... rs. Obra de poetisa !

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...