5 de setembro de 2012

AQUELES OLHOS AZUIS

(by Amanda White)
                                               

                                     O azul da paz,
                                     Do mar, do céu,
                                     Perdeu lugar
                                     Naqueles olhos frios,
                                     Nem o sorriso
                                     Nem o carinho
                                     Fizeram deles
                                     O antigo ninho
                                     Da afeição

                                     O azul do afeto
                                     Abandonou o teto
                                     Da compreensão
                                     E tão gelado
                                     Não foi mais capaz
                                     De demonstrar
                                     A antiga transparência,
                                     Ora distante
                                     Ora sinal de ausência

                                     O azul do amor
                                     Perdeu o seu calor
                                     Na convivência


                                                                 Marilene

60 comentários:

  1. Que bonito, Marilene. A convivência às vezes é inimiga do amor. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Marilene, querida poeta!
    Tudo bem?
    Pois se a convivência, ao invés de unir, separou; creio que o azul deve ter se tornado cinza, sem brilho; ao contrário do céu e do oceano, sem poesia e sentimentos. Um risco do convívio.
    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir
  3. Marilene

    Nos poema sempre brilho, mesmo na condução deste, em que "o azul do amor perdeu o seu calor". Antes tinha "perdi o afecto".
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. It's so wonderful Marilene .... COMPLIMENTS !!

    Greetings, Joop

    ResponderExcluir
  5. Lindo e triste quando isso se perde...beijos,lindo dia!chica

    ResponderExcluir
  6. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
    PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

    ResponderExcluir
  7. Oii Marilene, belo poema, espero nunca me perder em olhos azuis rsr, eles são uma perdição mesmo, hipnotizam as pessoas, minha filha tem olhos bem azuis, e qdo os regala p mim com olhar de pedinte, eu nunca resisto srsrrs bjooosss

    ResponderExcluir
  8. Bom dia minha querida !!!!!
    Sabia que o azul nos traz remanso ?
    No poetar ele nos traz a graça do transformar na cor que queremos...assim vc fez do azul dos olhos o cinza do seus dias que transformou em distancias entre o azul do mar,da paz e do céu para virar um poema...
    bjssssssssssss

    ResponderExcluir
  9. Marilene querida, a perda é sempre muito triste, especialmente do amor. LInda poesia.
    Bjks e otima tarde

    ResponderExcluir
  10. Oi Marilene,

    O olhar é indiscreto, revela tudo o que sente, na alegria e na tristeza.
    Podem mentir os lábios, os olhos, esses não mentem.

    Beijos carinhosos da Luz.

    ResponderExcluir
  11. Que pena quando perdemos a candura, adorei o poema.

    ResponderExcluir
  12. mas podemos sempre re-nascer.

    e que ninguém me roube o azul.

    beij

    ResponderExcluir
  13. Oi Marilene!
    Que lindos versos e nos deixam uma grande mensagem. Cair na monotonia da convivência destrói o amor, embassa a limpidez dos sentimentos e emoções!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  14. Belo poema para reflexões, Marilene.
    A vida nos machuca mesmo quando tudo está mais lindo, no azul dos olhos ou no azul dos céus. Aí então é que conseguimos ver e sentir mais fundo, absorvendo a dor como página virada, incorporada em nosso ser que se fortalece.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  15. O azul da paz, do mar
    O castanho, a cor dos olhos
    De brincos verdes ao luar
    De saia rodada aos folhos!

    Nem sorriso, nem carinho
    Em alguém encontrar
    Vive triste coitadinho
    Um passarinho que não sabe voar!

    Já se está a transformar
    Suas asas vão crescendo
    Para aquele ninho deixar
    Quando a voar aprendendo!

    Lá no ar está vendo
    Do céu azul do mar
    Com a ajuda do vento
    Ele está a planar!

    Boa noite para você,
    amiga Marilene, e obrigado
    pela sua sempre amável visita.
    Um bjo
    Eduardo.


    ResponderExcluir
  16. E na beleza do azul o amor desbotou,,,perdeu a cor e o sentido...beijos amiga,,,bela noite pra ti e ótima quinta feira...

    ResponderExcluir
  17. Os olhos não mentem jamais.
    Eles são apenas o reflexo da alma.
    Amei seu poetar...beijinhos linda
    e doce Marilene!

    ResponderExcluir
  18. Oi Marilene
    É a convivência as vezes vai perdendo o brilho que brilhava tanto antes, temos que tomar cuidado. Lindo poema!
    Bjão. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  19. Mari, o azul sempre foi minha cor preferida e continua a ser.

    Miga, não deixe que o azul petrifique por ele perderá o tom e vc tem uma escala poética flutuante em notas musicais e coloridas.

    Beijos pra ti, lindeza e boa noite!

    ResponderExcluir
  20. Ai que triste Marilene!
    Eu senti toda essa tristeza, até na tristeza você conduz com maestria, um grande abraço, bjs

    ResponderExcluir
  21. Quando chega essa hora é muito difícil... triste!!

    Beijos querida!!

    ResponderExcluir
  22. Tão profunda tua poesia Mari.
    Mas cheia de beleza.

    Beijão querida.

    ResponderExcluir
  23. belos e comovedores versos. quão longe estamos de aprender a amar que deixamos que a convivência e a rotina acabem com um amor.
    mas são as transformações da vida que é dinâmica, então vamos encarar os desafios...beijos

    ResponderExcluir
  24. A convivência não é o mal maior e sim a rotina... Essa mata qualquer relacionamento!

    Belo texro minha amiga!

    ResponderExcluir
  25. been to keep missed friend
    blog and good article
    I nenyukainya
    exquisite
    thank you

    ResponderExcluir
  26. Mari passando pra te dar um beijo e agradcer pelo carinho do elogio feito à minha nova foto lá do perfil. Pooxa, menina eu já devia ter agradecido o carinho, mas passou... Mas eu lembrei e vim correndo aqui! hehehe!

    megabeijo lindeza!
    bom feriado

    :)

    ResponderExcluir
  27. Poxa, como sempre, muito bonito, mas bem triste, extremamente triste, eu penso. No entanto, é uma realidade, realidade de alguns, a minha realidade também, pois me lembrei de alguém(rimou, hein?). O azul se tornou cinza; na convivência tudo se desvaneceu, tudo perdeu a graça, nada será como antes.

    Bom feriado, Marilene!

    ResponderExcluir
  28. Conviver é partilhar
    A própria vida, menina!
    É surpreender, encantar,
    Com tudo o que nos fascina;
    É compor a cada dia
    Uma nova poesia,
    Não é cair na rotina!


    É isso que você faz...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. A beleza de uma mulher deve ser em seus olhos, porque essa é a porta do seu coração, o lugar onde o amor reside.

    beijos

    ResponderExcluir
  31. Oi Marilene,lindo poema,este toca-me profundamente pq já tive uns olhos azuis na minha vida...
    Adoro passar por aqui...

    Um grande abraço e uma boa semana
    Bjs

    ResponderExcluir
  32. OLÁ AMADA !!! TUDO NA PAZ!!! SAUDADES DE VC!!!
    O OLHAR É REVELADOR RSRSR ABRAÇO BEM FORTE DEUS TE ABENÇOE

    ResponderExcluir
  33. Uma bela noite pra ti minha amiga e um bom feriado...beijos e flores...

    ResponderExcluir
  34. Oi Marilene,

    Tudo bem? Lindo texto! Os dias cinzas sempre nos entediam e, assim, quando o mar recua, existe a dúvida do mergulho. As vezes é uma ressaca que logo vai embora, mas pode ser que exista a possibilidade de um tsunami e aí o mar por mais que se resigne, não haverá segurança na triste coloração cinzenta.


    Bom feriado e beijos.

    ResponderExcluir
  35. Quando a convivência deixa de vivenciar e comemorar o amor a cada dia, nos deparamos com a ausência, mesmo na presença.
    Adorei seu poema.
    Um ótimo final de semana, Marilene.bjs

    ResponderExcluir
  36. Gli occhi di una donna sono la porta del suo cuore!! buona giornata e felice fine settimana a te...ciao

    ResponderExcluir
  37. Bom dia,Marilene!!

    É triste quando acaba...mas o amor também precisa ser regado, e quando não ocorre...
    Versos lindo,queirda poetisa!!
    Beijos e meu carinho!

    ResponderExcluir
  38. Um belo dia pra ti minha amiga,,,,bom final de semana em verde e amarelo....beijos e beijos...

    ResponderExcluir
  39. Mari, lindeza, passando eu pra deixar um beijo neste 7 de setembro, hasteando a bandeira de nossa amizade!

    xau queridona e ótimo feriado!
    :)

    ResponderExcluir
  40. Maravilhos Tom de azul, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  41. Lindo demais!:)
    ...por vezes a convivência desgasta os relacionamentos.
    Talvez seja hora de reformas interiores, pintar o que perdeu a cor, o que desbotou com o tempo.
    Abraços querida e um fim de semana cheio de coisas novas na sua vida e muito tempo pra ser feliz :)))
    Beijaoooo

    ResponderExcluir
  42. É triste quando o encantamento perde-se com o tempo... que os olhos cristalinos venham iluminar novamente, acendendo o amor, todos os dias! feliz Feriado... bjks

    ResponderExcluir
  43. Querida Marilene
    Muito obrigada pelo seu cuidado e seu carinho.
    Eu vou lutando todos os dias para me adaptar à nova realidade.
    É uma luta muito difícil... mas espero, com a ajuda de Deus e de todos que me rodeiam (inclusive no campo virtual) sair vitoriosa.
    Deus sabe o que faz, e se entendeu por bem deixar-me cá sozinha... tenho que aceitar e tentar resignar-me. Mas custa tanto!

    O azul é uma das minhas cores preferidas. Neste seu poema, lindo, toma aspectos muito precisos, reais, mas que acabam por ser tristes...

    Um fim de semana iluminado.
    Beijinho GRANDE

    ResponderExcluir

  44. Olá mana,

    Mas que poema lindo de ler! Bela construção.
    Triste, mas uma convivência mal construída ou mal regada pode levar o encantamento do amor ou até destruí-lo.

    Linda a imagem.

    Beijão


    ResponderExcluir
  45. Uma das grandes bênções da vida
    é a experiência que os anos vividos nos concebem.
    Aniversariar é uma amostra das oportunidades que temos de aprender a contar os nossos dias.
    mais uma janela e abre diante dos meus olhos,
    mais um espinho foi retirado da flor,
    restando somente a beleza de tão bela data.
    Com fé, na esperança e no empenho por ser melhor a cada dia.
    Seguindo pelos caminhos da verdade e do amor.
    Um dia encontrarei o mais belo jardim, o jardim que representará a realização
    dos meus maiores sonhos.
    Com saudades .
    desejo um feliz final de semana
    venha curtir meu aniversário.
    Beijos na sua Alma,Evanir.


    ResponderExcluir
  46. Olá, Marilene. Lindo! O encantamento deveria ser para sempre. Triste amiga! Más descreve com perfeição. Beijo grande nesse final de feriado e um bom fim de semana com todo carinho pra ti.

    ResponderExcluir
  47. 彡♡` Olá, amiga!
    Eu queria que todas as histórias de amor tivessem um final feliz...
    Linda noite!
    Bom fim de semana!
    Beijinhos.♡彡.
    ¸.•°`♥✿⊱╮

    ResponderExcluir
  48. O amor é como uma flor, se não for cuidada e amada, definha e morre.... Poesia, profunda e triste.... mas linda! Desculpe a demora em responder!....
    Um abençoado e feliz final de semana!
    Abraço carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  49. Um belo sábado pra ti minha amiga,,,beijos e flores...

    ResponderExcluir
  50. Olá Marilena, como vai?

    A blogosfera é carente de blogs que tenham informações relevantes, e você está contribuindo para que ela se torne cada vez mais rica em conhecimentos. Você faz a diferença! Parabéns pelos textos.
    Obrigado por fazer parte deste universo virtual, por compartilhar um pouco do que sabe e contribuir para o aprendizado de muitos.
    Permita-me deixar o link para o blog Marquecomx, obrigado:

    http://www.marquecomx.com.br/

    Educadora, convido você para conhecer o Projeto Educadores Multiplicadores. Você será muito bem recebido em nossa família de Multiplicadores, para saber mais, deixo o link:

    http://www.educadoresmultiplicadores.com.br/

    Abraços, fiquemos na Paz de Deus e até breve.

    ResponderExcluir
  51. O amor é sempre azul... mas de vários tons...
    Magnífico poema, gostei muito, querida amiga.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  52. Lindo poema, acho que ele descreve um problema tão comum em muitos relacionamentos, o esfriamento. Há poucos dias eu estava conversando sobre isso com uma amigo, achei interessante o ponto de vista dela, ela disse que o problema maior é que queremos sustentar um relacionamento com paixão, ao invés de amor, quando paixão é sentimento e amor é decisão. É natural que a paixão esfrie em determinadas circunstâncias, o que acontece na maioria dos casos em relativamente pouco tempo, é neste ponto que o amor deveria entrar em ação, um amor que seja compassivo e tolerante, que permita entender o lado do outro e suas limitações...

    http://sublimeirrealidade.blogspot.com/2012/09/in-treatment.html

    ResponderExcluir
  53. É isso que a convivência,a rotina,pode fazer com todo o brilho amoroso nos olhos de alguém...Infelizmente.Mas quando se ama de verdade o brilho pode retornar em ternura,pelo menos.Um beijo!

    ResponderExcluir
  54. Oi, Marilene. Sou suspeita a falar do seu poema, já que tenho olhos azuis...sei que não pela cor, mas meus olhos são como os do texto, perdem o brilho e a alegria quando sou magoada, e quando sou muito magoada, traduzem uma frieza difícil de reverter. Os olhos são danados, falam muito, talvez por isso algumas pessoas preferem escondê-los. Um abraço!

    ResponderExcluir
  55. Mineiramente aqui refletindo ver aquilo azul,
    foi como ver o mar.
    Puro encantamento Marilene.
    Cada vez mais interessante seu lindo poetar.Diria impar.
    Meu abraço mineiro amiga.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  56. Marilene

    Triste, mas lindo poema fez o azul da paz, do afeto e amor do céu fenecer.
    Mas que a cor desse céu reverta logo para o azul dos olhos sorrir.

    Um lindo dia para você.
    Bjs

    ResponderExcluir
  57. Olá, Marilene.
    Creio que devemos sempre evoluirmos como pessoa, para que, desta forma, não venhamos a fazer de nossa vida (e da pessoa amada) uma rotina, o que pode desgastar um relacionamento.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  58. Quanta inspiração, amiga!!!
    Fico boquiaberta!
    Lindoooooo!
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  59. Boquiaberta estou eu, Sônia ! Voce parece que escreve como quem respira, Doutora ! ! ! Seu blog é digno de uma leitura na íntegra, porque cheio de poemas que acalentam o coraçao ...
    Um beijo, meus parabens ! Que bom que encontrei uma poetisa de alma maior. :)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...