23 de setembro de 2012

TALVEZ !

(by Brad Lou Tennant)
                                                     
                                                                      
                            Talvez na esquina
                            Talvez em outra rua
                            Talvez em outro dia
                            Talvez em outro momento

                            Porque no além,
                            Na dúvida,
                            E não no próprio tempo?
                            Porque no sonho,
                            No devaneio,
                            E não na realidade?

                           Porque se empurra a vida
                           Se atropela o sentir
                           Se joga com o tempo
                           E se trapaceia ?

                           Porque se silencia
                           Se guarda
                           Se acovarda,
                           Seguindo
                           Em corda bamba
                           A multidão?

                          Talvez ! Talvez!
                          Talvez por medo
                          De um enredo
                          Que não se queira ler ,
                          Ou pela insegurança,
                          Do próprio, 
                          Escrever

                                                              (Marilene)

49 comentários:

  1. Oi Marilene,

    Tudo bem? Excelente o texto! Sempre usei o "talvez" em diferentes situações, não por significar o em cima do muro, mas por zelo em relação ao determinismo. Procuro em limitar a uma visão mais sistêmica sobre possibilidades que ainda posso não enxergar. Todavia, sei que o mundo exige o sim sim e o não não, na maioria das decisões.

    Bom domingo para você e sua família.

    ResponderExcluir
  2. Marilene, querida!
    Tudo bem com vocês?

    O 'talvez' sempre me dá a ideia de 'quase', de algo que quase aconteceu, quase foi, quase se conseguiu... uma hipótese encerrada no 'se'... 'se eu fosse feliz', ou 'talvez eu fosse feliz'... E como saberemos o que é possível ou não, o que vale ou não apena? Arriscando, tão somente, para saber se o talvez é um quase mesmo, ou um sempre!

    Beijos e ótimo domingo para vocês!

    ResponderExcluir
  3. Olá, linda poesia de fazer refletir não? As vezes a vida requer mergulho, sem o talvez! abraços

    ResponderExcluir
  4. Linda e são tantos "talvez" em nossas vidas... beijos,ótima primavera!chica

    ResponderExcluir
  5. LINDA PRIMAVERA PRA TI!!!!!!
    VENHO MAIS UMA VEZ FALAR DE SAUDADES,SAUDADES SIM!
    SAUDADES DE LER POEMAS REQUINTADOS COM SABOR DE UMA BOA LITERATURA...ASSIM SÃO OS SEUS,QUE SEMPRE GANHA DESTAQUE...
    BJS COM SABOR DE PRIMAVERA!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. A foto escolhida reflete muito bem seu poema, pois eu também o senti como o semblante da menina da foto; as experiências vividas nos causa por vezes insegurança e tristeza, assim começam os talvez, e assim deixamos de viver muitas coisas que poderiam ser bacanas em nossas vidas.
    Um poema que nos faz refletir, muito bonito! Um ótimo domingo, feliz PRIMAVERA!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Marilene hermosa poesía.
    Saludos desde Abstracción texto y Reflexión

    ResponderExcluir
  8. A última estrofe é mais que reveladora.
    Talvez você seja a poeta mais talentosa da blogosfera, Marilene. rs

    Bom domingo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você nunca perde a gentileza e é sempre bem recebido. Abraços.

      Excluir
  9. A realidade também é obtida a partir dos sonhos.
    Por isso, é preciso sonhar...
    Belo poema, gostei.
    Marilene, minha querida amiga, tem um bom domingo e uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Possibilidades abertas é sempre matéria de poesia.

    ResponderExcluir
  11. Sempre senti que se não houvesse o 'talvez' eu por certo seria como a Carolina do Chico Buarque, olhando a vida passar pela janela, mas tive muitos 'talvezes'...que bom...seu talento é incomparável...beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Marilene

    Talvez,,, Talvez... Talvez!... A revelação das dúvidas de qualquer poeta. Quanto maior for a sua capacidade de pensar, é o caso. Mais duvida (talvez), das ingratidões que o cercam!
    Beijos

    http://daniemilagre.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  13. Na rua ou na esquina
    Ela está em qualquer lugar
    No corpo de uma menina
    A beleza sempre estar!

    O que pensa ela talvez
    Onde poderá encontrar
    Ao amor mal não vez
    Dentro do seu peito morar!

    A duvida, no silêncio guarda
    Enquanto na insegurança
    Porquanto não for encontrada
    No caminho da fé e da esperança!

    Bom domingo para você,
    amiga Marilene,
    um bjo
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  14. Bom dia, Marilene. Amiga, o hd queimou, por isso estou sumida do face e do blog, infelizmente até resolver essa situação, é uma lástima, você deve imaginar como estou me sentindo.
    Estou no not da minha sobrinha rapidinho pra dizer que não morri, e nem esqueci de ninguém.
    Creio que atropelamos a vida com medo de vivenciá-la, de sentir os seus propósitos no nosso destino.
    A insegurança é uma barreira que faz com que deixemos para depois e depois o que poderíamos agir agora, tomando as rédeas do nosso viver.
    O medo de fracassar chega a ser maior do que a vontade de tentar!
    Tenha um lindo domingo e beujo grande!

    ResponderExcluir
  15. Muito bonito! "Porque se empurra a vida, se atropela o sentir"?
    São perguntas sobre as quais devíamos reflectir.

    Gostei muito

    beijinhos

    ResponderExcluir
  16. Marilene, seu poema me remete a um tema que venho remoendo há tempos: a auto-sabotagem. Muitas pessoas a praticam sem nem sequer se dar conta. O medo é o principal gatilho para que se esconda de si mesmo. Um abraço!

    ResponderExcluir
  17. E o talvez que deixa duvidas mas também deixa esperanças...beijos amiga e uma bela semana pra ti.

    ResponderExcluir
  18. Amiga vou fazer minhas as palavras do nosso amigo Ives, a vida precisa de mergulhos de corpo e alma, sem o talvez, o talvez é vago demais incerto demais e improvável demais! Adorei! Bjoooossss

    ResponderExcluir
  19. Querida Mari, o talvez sempre deixa dúvidas, mas ele precisa existir para dar-nos esperança.

    Vim deixar meu afeto, meu beijo e desejar um lindo domingo com ótima semana!

    bacios cara mia!!
    :P

    ResponderExcluir
  20. Talvez por sermos humanos...
    Beijinhos, minha querida

    ResponderExcluir
  21. são muitos talvez..
    a sensibilidade dos teus versos me levaram longe..
    beijos Mari.

    ResponderExcluir
  22. Ao acontecer um talvez,soa internamente um alarme que precisará da ação direta para seu desligamento.Apenas um atalho nas escolhas.
    Òtima semana, Mari.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  23. Talvez... quem sabe?

    Beijos amiga e bom domingo!!

    ResponderExcluir
  24. Olá, Marilene.
    É por medo que o "talvez" causa que muitas vezes a vida de algumas pessoas torna-se uma certeza tediosa e sem a menor graça.
    Sem a coragem de ousar, não se consegue conquistar nada.
    Abraço, Marilene.

    ResponderExcluir
  25. Marilene vc expressou muito bem os "talvez" de muitas vidas! Adoro o seu estilo de escrever.
    Bj Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  26. Recomendo aos namorados
    Para evitar o "talvez"
    Em prazos bem calculados
    Um teste de gravidez...


    Beijos.

    ResponderExcluir
  27. A vida é feita de algumas seguranças, um tanto razoável de certezas e considerável número de talvez...vai-se driblando, se superando e, ao fim, ao cabo, tudo vai se ajustando, numa certa medida...É bom, viver!!!

    Beijos, Marilene!

    ResponderExcluir
  28. E a tal vez...
    quando chega?

    Boa semana para si!

    Bjsss

    ResponderExcluir
  29. Porque e talvez acabam sendo bem próximos um do outro! A vida nunca nos dá respostas e nos cada vez vamos tendo mais perguntas. Adorei, Marilene. Beijos.

    ResponderExcluir
  30. Hi!
    I'm looking for mutual followers.

    http://shoppingepisodes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  31. Uauuuuu, MARAVILHOSO querida Marilene.
    Como eu vivo de talvez, e assim a vida vai correndo e eu vou ficando perdida no talvez.

    Parabéns, escreves lindamente!

    Beijo enorme.
    Linda semana.

    ResponderExcluir

  32. Oi MANA,

    Por quê?... Talvez.... São indagações e dúvidas que nos perseguem em nosso caminhar, mas creio que a resposta TALVEZ esteja em seus últimos versos:
    "Talvez por medo
    De um enredo
    Que não se queira ler,
    Ou pela insegurança,
    Do próprio,
    Escrever".
    E assim, deixamos (covardemente) de fazer escolhas que poderão nos levar
    a caminhos mais felizes.

    Muito sensível e lindo.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  33. E nesse perder-se nos tantos 'talvez' da vida, nos perdemos de nós, nos prendemos nos medos e deixamos de viver uma vida de verdade, com intensidade.
    Belo, forte seu poema, de uma significância imensa!
    Beijos e boa semana amiga,
    Valéria

    ResponderExcluir
  34. Uma bela noite pra ti minha amiga e uma excelente terça feira entre poemas e flores...beijos....

    ResponderExcluir
  35. Temos tanta impaciência que
    tentamos dar uma mãozinha para Deus e neste momento
    acabamos é atrasando ainda mais.Deus tem o motivo
    certo na hora certa para cuidar de nós e nos entregar
    aquilo que necessitamos.
    Ele não nos da tudo que queremos mas sim tudo que
    necessitamos a cada dia.
    Viver cada dia é um desafio e tanto para nós que estamos
    sempre querendo tudo tão depressa,
    mas quando aceitamos a situação
    começamos a prender mais sobre os mistérios de Deus.
    Eu não sei quanto tempo vou aguentar fazer minhas visitas mesmo
    levando cola infelizmente muitas pessoas deixaram
    de me visitar por esse motivo mesmo sabendo do
    difícil momento ,que estou passando.
    Para complicar minha situação
    minhas vistas estão me deixando
    meia maluca de tanta dor.
    Meu médico já trocou inumeros colirios,
    mais glaucoma é realmente difícil
    acertar a medicação quando pressão
    dos olhos sobe muito a dor é intensa.
    Por favor procure me enteder nada esta sendo facil para mim,
    principalmente ter ,que levar a publico minha
    vida particular.
    DE madrugada quando o sono se vai estou escrevendo
    meu segundo livro no ano que vem se Deus quiser
    será publicado.
    O livro A Viagem não pretendo
    fazer mais fiz o bastante para não ter segunda edição.
    Eu pretendo sim fazer alguns exemplares em Espanhol.
    Sua amizade é muito importante ficarei feliz
    em poder continuar recebendo seu carinho.
    Fique com Deus e tenha uma semana abençoada!
    Beijos na sua alma,Evanir.
    Perdão Pelo Longo Comentário.

    ResponderExcluir
  36. As dúvidas e os questionamentos permeiam a nossa caminhada, pois se assim não fosse, talvez (olha ele aí...)não buscássemos respostas, caminhos, renovar-se.... Lindo, profundo e ótimo para refletirmos sobre nós mesmos... Um início de semana iluminado!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  37. "Talvez", denuncia a possibilidade, a dúvida...
    Porque a única certeza da vida é a morte, o resto é incerteza, é 'talvez'...

    Fantástico, Marilene!!! Amei!

    Beijão,

    Nel

    ResponderExcluir
  38. Talvez porque nos sonhos podemos mascarar a realidade.
    Belíssimo, Marilene.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  39. O medo faz do ser humano, com ele vem sempre as
    dúvidas e a insegurança. Talvez sim, talvez não...
    Mas chega uma hora em que temos que tomar uma decisão.

    Bjussssssssss

    ResponderExcluir
  40. Uma linda noite e ótima quarta feira pra ti minha amiga querida,,,beijos e flores...

    ResponderExcluir
  41. Querida amiga

    Quantas dúvidas,
    quantas perguntas...

    Somente o coração
    de quem as sente
    sabe a resposta correta...


    Que haja sempre um sonho
    a te habitar o entardecer do dia.

    Aluísio Cavalcante Jr.

    ResponderExcluir
  42. Oi Marilene

    O medo é o principal sentimento que nós seres humanos enfrentamos.
    Amei seus questionamentos em versos. Talvez.....

    Uma linda semana para você.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  43. Minha querida

    Talvez por medo de arriscar o nada que temos, mas que é o que é palpável.
    Como sempre escreves a alma em cada poema e eu adoro ler essa alma.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  44. Perde-se muito tempo no talvez.
    Como dizia Guimarães, a vida
    quer é ação e movimento.
    Belo trabalho nesta falta de ação.
    Sempre uma rara criação.
    Abraços com admiração.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  45. Bah! Teve um tempo que era bem assim pra mim...e estes "talvez" me deixava maluquinha...rs
    Belíssima poesia e imagem!!!
    Beijos,minha amiga tão querida!!!!!
    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  46. Como eu gosto do que você escreve ... Suas poesias me enchem de emoção. Que obra bela, Marilene!

    ResponderExcluir
  47. Minha vida foi sempre de luta e muito "talvez", mas como sou insistente, me sinto realizada, graças a Deus e que venham mais 'talvez' e mais desafios...beijinhos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...