31 de outubro de 2012

LEITURA HUMANA

(tela de Vino Morais)

                                           

                              Passa com pés descalços.
                              Não tem sapatos, dirão.
                              Os olhos não sabem ler
                              Uma real motivação.
                              Passa com pés descalços.
                              Fez do ato uma opção,
                              Queria sentir no corpo
                              Os gritos que vêm do chão

                              Passa com grande sorriso
                              Dançando calmo no rosto.
                              Incomoda os apressados,
                              Magoados, inconformados,
                              Por ver alguém tão feliz.
                              Os olhos não sabem ler
                              A verdade de cada momento

                              Passa com segurança,
                              Levando pra passear,
                              A esperança.
                              E aqueles que vão ao lado
                              Têm pena das ilusões
                              Que acalenta.
                              Os olhos não sabem ler
                              O que ainda não foi escrito,
                              O que de fato alimenta
                              Aquilo que não foi dito

                              Corações batem sozinhos.
                              E almas são portas fechadas
                              Para quem não as sabe olhar


                                                             Marilene

51 comentários:

  1. MARILENE, sorver o seu poema é um estado de espírito. Eu comento exatamente o que sinto e o que você escreve me é muito claro. Digo isso porque na minha ignorante falta de sensibilidade me deparo com poemas que não consigo enxergar o porque daquilo. Me dá a impressão que foi feita uma rima com palavras aleatórias. Completamente sem sentido. O sentido já não importa. O moderno e atual é sem sentido. Então eu fujo de comentar "essas coisas" para não ser indelicado e por não entender mesmo.
    Nos seus escritos eu "viajo". Sinto a sequência do conteúdo.
    Neste poema, por exemplo, me chama a atenção o trecho:
    "Passa com segurança Levando pra passear, A esperança."
    Quem tem fé na esperança só pode "desfilar" com muita segurança. E por aí vai...
    Enfim, não é "jogação"de confete não. Seu modo de escrever é muito legal. Sinto ter saido do ar o seu outro blog. Gostava muito dele, mas nada melhor que você para ter as suas razões de tirá-lo, não é?
    Bem, isso já está começando a concorrer com Os Lusíadas, de tão grande. Não é postagem. É comentário, rs...rs.
    Bjs
    Manoel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu lhe sou muito grata pelo comentário. Escrevo sem qualquer preocupação com estilo ou expectativas literárias. E quando entendem o que meu coração impôs às mãos, fico feliz. Bjs.

      Excluir
  2. "Sentir no corpo os gritos que vêm do chão!" Melhor que esse verso só "Almas são portas fechadas para quem não as sabe olhar!" Adorei, Marilene! Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Olá amigo
    boa tarde
    Eu berkunjug e ler suas mensagens
    muito bom
    Eu gostei
    obrigado

    ResponderExcluir
  4. Tantas coisas passam pelos nossos olhos e só vemos quando conseguimos ver com a alma, aí percebemos! LINDA! beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Marilene, só tenho duas coisas a citar e uma a dizer:
    Citar: "Gritos que vêm do chão" e "Levando pra passear, a esperança"
    A dizer: fantástico!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Olá. Linda poesia! Um olhar raro e requintado! abraços

    ResponderExcluir
  7. Porque falta sensibilidade pra captar o que alguns tem pra esbanjar. Olham e não leem com a alma por já estarem frios e inertes como se andassem a vaguear e ainda descrentes. Do seu poema belo expressar, linhas intensas que acabam de me chegar. Lindo. bjos.

    ResponderExcluir
  8. Oii amiga, lindo demais, faço minhas as palavras do amigo Sérgio, versos perfeitos, quero estar entre as pessoas que sabem olhar a alma! Bjooss

    ResponderExcluir
  9. Que lindo! É essa mania que temos de tentar padronizar a felicidade... cada um é feliz a sua maneira, e existem milhões delas.

    ResponderExcluir
  10. Marilene, a insensibilidade é uma das características da vida moderna, não enxergamos o outro, não sentimos os outros e devido a isso, só percebemos a nós na superfície, pois o q é profundo está vazio. Lindo e significante poema. Bjos.

    ResponderExcluir
  11. Fiquei imaginando uma mocinha com cabelos esvoaçantes, vestidinho de chita, pés descalços,sem maquiagem, desnuda de glamour...
    Sai, levando consigo SONHOS pequenos...mas, grandes para ela.
    Sem FAMA...Português falado com o coração...roupas assinadas pela costureira e vizinha, Claudete.
    Unhas bem limpas...naturais...cabelo com cheiro de sabonete.
    É levada para a cidade GRANDE...iria DESCOBRIR um mundo NOVO.
    Deslumbra-se com o amontoado de prédios...carros velozes...pessoas andando como se fosse correndo.
    ELA...não via a hora de pisar no CHÃO.
    Desce do veículo, que pela primeira vez a conduz, e...
    Ao pisar no chão...os pés não sentem o TOQUE da TERRA...congela.
    Não é TERRA!...é PEDRA!

    Vou terminar no meu blog, esta ficando enorme esse comentário...rsrs

    Sonhei com tua poesia...encanto.
    Beijos...tenha um lindo dia.
    FICA COM DEUS...sempre.

    ResponderExcluir
  12. Fantástico, Marilene! Esta vida pós-moderna tem feito muitos corações de pedra a ponto de não enxergamos o nosso próprio vizinho. Infelizmente isto tem sido constantemente presente. Lutemos para que a insensibilidade não se torne uma prática geral.
    Abração.

    ResponderExcluir
  13. Lembrei-me da Gabriela, cravo e canela :-)
    Beijo, Marilene

    ResponderExcluir
  14. Oi Marlene
    Parabéns vc escreve com a alma. Lindo.
    Amiga. Feliz DIA DAS BRUXAS.
    Pó de estrelas,
    gotas de orvalho,
    um raio de luar
    e algumas colheradas de carinho
    Coloquei tudo para ferver
    num enorme caldeirão.
    Depois lentamente
    coloquei um sorriso meu,
    juntei essência de flores do campo
    e algumas letrinhas,
    roubadas claro, de uma antiga poesia.
    Misturei tudo lentamente
    e por fim coloquei dois ingredientes mágicos
    uma porção de amor,
    e duas doses enormes de amizade.
    Enviei pra vc numa nuvem de sonho
    e derramei no seu coração.
    Pronto! Enfeiticei você!
    Sua amizade será minha pra sempre.
    e não existe antídoto pra essa magia.
    Um beijinho.
    Ana

    ResponderExcluir
  15. Querida que bela esta tua Leitura Humana.Nem todos conseguem ver ou aceitar estados emocionais tão intensos.Mas sabemos nós que junto á estes momentos vem a felicidade.Maravilhosa esta tua sensibilidade poética.Amei!
    Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  16. Olá. Estive aqui dando uma olhada. Muito legal. Apareça por lá. Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Oi querida Marilene,

    São várias as interpretações, que podemos dar ao seu poema.
    A leitura, que fazemos da criatura/alma humana, não é nada fácil.
    Cada qual observa o outro, na sua própria perspetiva.
    Será que a sociedade fica incomadada, quando vê os outros felizes, e não de pés descalços?

    Resto de boa semana.
    Beijos da Luz, com carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os pés descalços podem até provocar solidariedade, mas isso não acontece com a felicidade. Bjs.

      Excluir
  18. Sempre haverá um olhar de alma a desvendar os encantos da vida....beijos amiga e uma bela noite pra ti.

    ResponderExcluir
  19. Pés nus dançam com alegria, mas é preciso sentir a alma da dançarina - é preciso olhá-la com olhos igualmente despidos de preconceitos.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Era como deveríamos estar sempre, Marilene...Com os pés descalços.
    Como podemos perceber a verdade de cada momento com os pés calçados, protegidos?
    Não creio que seja possível...
    Lindo poema! Lindo demais!

    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Olá, amiga. Belo sentir Marilene, e vc como ninguém sabe retratar em versos. Meu carinho pra vc e ótimos dias! Obrigada, pois é sempre com alegria que recebo vc etodos os amigos. Beijo grande! Bons sonhos flor.

    ResponderExcluir
  22. Uma bela quinta feira pra ti minha amiga e um maravilhoso feriadão...beijos flores e poemas sempre...

    ResponderExcluir

  23. Mana,

    Seu poema é lindo, tanto em seu conteúdo quanto nas expressões poéticas que usou.
    Olhar com os olhos da alma e enxergar com o coração tem sido raro, posto que muitos andam apressados pela vida e ainda com o olhar carregado de preconceitos, inveja e pré-julgamentos. Assim, seus olhos ficam turvos para as verdades que ressaltam das atitudes e sentimentos alheios. Já se perdeu a sensibilidade e a capacidade de fazer uma leitura humana coerente e justa.
    O último verso resumiu tudo: " E almas são portas fechadas para quem não as sabe olhar".
    A tela do Vino é bem interessante.

    Parabéns pela bela inspiração.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  24. os pés até podem estar "descalços" mas todo o resto está completo.

    belíssimo poema.

    beijos

    ResponderExcluir


  25. Palabras e ideas que brotan del techado como un susurro, siendo tan dulces que se asemejan a un beso...

    El que te emvío en este instante, para felicitarte el fin de semana y seguir cultivando en armonía la semilla de la cordialidad, que se alimenta del rocío de las estrellas…

    Atte.
    María Del Carmen





    ResponderExcluir
  26. É preciso muita sensibilidade para ouvir aquilo que não foi dito, para ler aquilo que não foi escrito... São poucos que podem se dar a este luxo!

    Beijos e bom feriado!

    ResponderExcluir
  27. Hummm que bonito! Compartilhei!

    Querida amiga,

    Estou meio ausente, muito assoberbada. Mas cheia de saudades.

    Voltarei logo para prestigiar como voce merece!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  28. Marlene, lendo seu escrito fiquei pensando em quantas pessoas caminham por aí com olhos cegos de alma....que não compreendem o quanto um caminhar descalço pode trazer felicidade e que sempre procuram um "defeito" onde há alegria pura e simples. Lindo poema, um abraço!

    ResponderExcluir
  29. Marilene, não tem como dizer qual poesia tua é mais linda, mais completa em teor, mas confesso que essa é algo de sublime.
    Resumo em saber ver com os olhos da alma.

    Linda!
    Meus parabéns por tanta sensibilidade.

    Meu carinho, sempre.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  30. Belíssimos e encantadores versos,Poetisa.
    Me lembrou aquilo que já escreveu uma vez,Anais Nin.
    "Não vemos as coisas como são,vemos as coisas como somos"
    Bjosss...

    ResponderExcluir
  31. Bom dia,Marilene!!!

    Saber olhar,faz toda a diferença!!Quanta beleza nos salta aos olhos!!!
    Maravilhosa poesia,minha amiga!!Sempre com sensibilidade e muita profundidade!
    Beijos e meu carinho!

    ResponderExcluir
  32. Um belo feriado pra ti minha amiga e um bom final de semana ....beijos e flores...

    ResponderExcluir
  33. obrigada
    um bom feriado e um óptimo fim de semana.
    um beijo

    ResponderExcluir
  34. Oi querida amiga,

    Tudo bem? Sabe o que senti com o seu texto? Qualquer postura que adotamos, sempre seremos analisados, refutados, descartados, aprovados ou criticados. Já fui amena com as palavras e recebia críticas por não falar o que sentia. Já falei o que sentia e fui colocada como alguém que coloca o carro na frente dos bois. Procuro entender os atos de quem quer que seja para evitar juízo de valor ou mesmo não realizar uma leitura errada da alma. Não sou a perfeita, e não valorizo a perfeição. Aprendo também com erros alheios.

    Bom feriado lindona.

    ResponderExcluir
  35. Olá Marilene, e que tudo permaneça bem contigo!


    São tantos que não usam tantos sentidos assim.
    Muitos aprenderam a somente ver a aparência externa, e nunca se deram ao trabalho de olhar para dentro de si mesmo, e assim jamais saberão olhar dentro do próximo, são seres que preferem viver na superficialidade!
    Parabéns por tão intenso e sensível escrito, e pelas imagens também, são sempre escolhas de muito bom gosto, deveras acertadas!

    E eu grato por tua amizade e visitas desejo que tenha em teu viver a felicidade intensa, grande abraço e até mais!

    ResponderExcluir
  36. Oi Marilene,
    Nem sempre nos olham ou olhamos como deveríamos,não são todos os olhares que conversam,mas quando isso acontece é maravilhoso.
    um ótimo final de semana,abraço,=)

    ResponderExcluir
  37. Querida amiga, estou mais uma vez aqui para desejar um bom fim de semana. E relendo seu lindo texto. Beijão flor e obrigada!

    ResponderExcluir
  38. Oi Marilene!Pois é,nem sempre olhar é ver,
    ver bem é ver o que os outros não percebem!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  39. Amiga-poeta! "...O essencial é invisível aos olhos..." Adorei a poesia, triste, mas linda! Um abençoado e feliz fim de semana de semana!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  40. Um belo sábado pra ti minha amiga,,,beijos e flores...

    ResponderExcluir
  41. Gostei muito dessa primeira estrofe.

    ResponderExcluir
  42. Marilene

    Acreditas? Pondo de parte o saber ler, confesso que me revi no belíssimo poema. Por o achar bastande adequado, me emocionei bastante.
    Beijos de parabéns

    ResponderExcluir
  43. São mudas as neblinas nesta ilha
    É de pobreza o pão que alimenta o meu sentir
    Oiço o mar com os meus próprios dedos
    Parti do desencontro dos meus derradeiros medos

    Parti e deixei no cais mil dúvidas
    Lembrei tempos que corri feliz pelas amoras
    Nesses dias bebi sofregamente a vida
    Nesses dias a minha alegria era incontida

    Um radioso fim de semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  44. Olá Marilene..passando para conhecer seu blog e já li umas 3 vezes seu poste refletindo como algumas frases se assemelham comigo e o momento que estou passando. Parabéns pelo blog e já estou te seguindo. Abraços. Sandra

    ResponderExcluir
  45. Bela madrugada!!!!!
    Refletindo nas palavras escritas com tanta maestria,me faz ver a imaginação voando de encontro as tuas palavras...
    bjs de dia de domingo !!!!!!!

    ResponderExcluir
  46. Olá, Marilene.
    Belíssima leitura da humanidade tão misteriosa e paradoxal de cada um de nós.
    Infelizmente, muitas pessoas optam por não enxergarem aqueles que estão próximos a elas, por medo ou preconceito.
    Não somos perfeitos, mas podemos sempre sermos melhores.
    Abraço, Marilene.

    ResponderExcluir
  47. Geralmente a leveza de quem sabe ser, incomoda quem só sabe ter.
    Beijos sempre me seu sábio coração.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...