6 de maio de 2013

OURO FALSO

(Taras Loboda)





                   
                                                             
                                 Esconde o fel
                                 Pra que outros cheguem
                                 Destemidos,
                                 E iludidos
                                 Por seu doce olhar

                                 Esconde as unhas
                                 Pra que outros cheguem
                                 Desarmados,
                                 E encantados
                                 Por falsas carícias

                                 Esconde a mágoa
                                 Pra que outros cheguem
                                 Com esperanças,
                                 Pensando estar
                                 Diante do paraíso,
                                 Sem temer o infortúnio
                                 De uma entrega
                                 Que os vai levar
                                 À sorrateira ausência

                                 Esconde tudo
                                 Pra ocultar o nada
                                 Que abriga nas entranhas,
                                 E com suas treinadas
                                 Artimanhas
                                 Coleciona troféus,
                                 Os tolos seres
                                 Cujo olhar se fixa
                                 Em sua máscara,
                                 Sem ver que dentro dela
                                 Há malícia,
                                 Capaz de aliciar incautos
                                 Com sua ilusória aparência

                                 Seu nome é fama,
                                 Tem brilho e faz promessas,
                                 Mas quem por lá passou
                                 Sabe ser ela,
                                 A tela falsa
                                 Que ornamenta a sala,
                                 De quem no espelho
                                 Ainda procura, em vão,
                                 A sua tão sonhada
                                 Compensação

                                                                        Marilene

45 comentários:

  1. Belo poema, repleto de verdades nua e crua, muito reflexivo. Um bju

    => Gritos da alma
    => Meus contos
    => Só quadras

    ResponderExcluir
  2. e hj em dia é o que todo mundo quer.

    bjos...

    ResponderExcluir
  3. BOM DIA QUERIDA !
    DESEJOS DE UMA LINDA SEMANA E GRANDES INSPIRAÇÕES...
    FIZESTES DE UM TEXTO INTELIGENTE UM GRANDE POEMA,COM AS VERDADES QUE NEM CRESCER EM PODER CHEGARÁ O FALSO A SER VERDADEIRO.
    ASSIM DENTRO DE VERDADES TEM-SE UMA BOA REFLEXÃO...
    BJSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  4. O estrelato por ser efêmero, ilude aqueles que o tem. Um poema repleto de verdade. Bjos, Marilene.

    ResponderExcluir
  5. As vezes o doce sabor de quem a conhece so dura "15 minutos", o tao famoso quinze minutos de fama ou a fama breve, passageira... mas o gosto amargo e a procura por ela novamente pode ficar para o resto da vida...
    Beijos...

    ResponderExcluir
  6. A espelho é tão profundo, capaz de dar compreensão ao coração! abraços

    ResponderExcluir
  7. Olá, querida Marilene!
    Lindo poema! Forte e bem reflexivo.
    Beijos e uma semana de muita inspiração pra você!
    Lis

    ResponderExcluir
  8. Claro que ficou bonito... É o retrato poético "dela" trabalhado com esmero. Isso é Lene.

    ResponderExcluir
  9. Não gosto de telas falsas a ornamentar as salas...

    Lembras-te? Eu vendi os quadros....

    ResponderExcluir
  10. Que tesouro!
    Teu texto Mari é a mais pura realidade.
    Beijinho amada.

    ResponderExcluir
  11. Olá Marilene
    Essa senhora realmente é perigosa, quem não consegue administrá-la, acaba se perdendo em seus falsos encantos.
    Bjux

    ResponderExcluir
  12. Fama:De onde provêm rara compensação, pois nem tudo é verdadeiro!

    Muito reflexivo o seu poema, Mari. Alias como sempre!

    Beijos e uma linda semana.

    ResponderExcluir
  13. UAU, ste poema mexe e re(mexe) entranhas de tão intenso.

    E aproveitando a deixa NEM TUDO QUE RELUZ É OURO!

    Amo ler-te Mari!

    Bacios cara mia e boa semana
    \O/

    ResponderExcluir
  14. Amiga Marilene

    A fama, realmente, pode revestir-se de falsidade, escudada no aforismo, "uma mentira dita muitas vezes torna-se verdade". A verdadeira fama só é alcançada com a prova de tempo de trabalho apurado.
    O poema consiste numa boa visão da fama.
    Beijos de amizade

    ResponderExcluir
  15. Gostei deste seu poema. Dá para reflectir.
    Desejo que esteja bem.
    Boa semana.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  16. Olá, querida amiga Marilene
    Só escondendo tudo mesmo quando nada há por dentro de nós....
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  17. Oi Marilene!
    Que poema interessante...
    Além da fama ser tudo isso que vc descreveu,
    quem a possui,fica sem privacidade e mesmo assim se acha a criatura
    mais importante do mundo...que dó!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  18. Como sempre você arrasa nas imagens!
    A fama é uma faca de gumes afiados...é preciso todo o cuidado para não se deixar contaminar. Fora a privacidade que é sempre invadida...

    Uma ótima semana pra você e toda sua família!
    Bjussssssssss

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Marilene
    essa busca por uma posição de destaque, de superioridade, é um processo involutivo se contrastarmos com a inoperância e conformismo das pessoas frente aos problemas sociais da atualidade. E o mal da fama ,além da perda da privacidade, é quando encaram isto como meio único de serem felizes e realizados,o que acaba "amputando" valores verdadeiros.
    Obrigado
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Querida encantei-me com tua poesia carregada de sutileza e verdade.
    Quando se tem uma alma de poeta até da ilusão malévola se é capaz de poetar.
    Linda! Amei.
    Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  21. Que poema maravilhoso, Marilene. Descreveu a fama de uma forma 1005 verdadeira de uma forma poética. Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir

  22. Olá mana,

    A fama é a maior ilusão que existe. Ela envolve, vicia e é efêmera. Ela costuma levar aqueles que a perdem a um processo de desalento e depressão.
    A fama deveria resultar de grandes feitos; aí, sim, ela jamais se evaporaria. Por si só, a fama não traz o reconhecimento buscado.

    Lindíssimo o poema, assim como a imagem.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  23. Querida amiga

    Cada palavra
    que inspira
    nossa vida,
    acorda novos
    sentidos
    em nossa caminhada.

    Viver é acima de tudo,
    a arte de abraçar os sonhos.

    ResponderExcluir
  24. Oi amiga, adorei o post, muito lindo! Beijos e fica com Deus!

    ResponderExcluir
  25. Perde-se a essência da vida quando se vai em busca apenas da fama! Lindo poema-reflexivo.
    Bj. Célia.

    ResponderExcluir
  26. Pessoas se transformam em busca da fama, e mostram seu outro lado obscuro, quando a encontram.
    Legal seu poema. Ele combina muito com a musica do Ira! chamada "Poder, sorriso, fama", quando puder escuta ela no youtube.

    Um beijão minha amiga e tenha uma linda semana!

    ResponderExcluir
  27. E quantos por aí são até capazes de "vender a alma" para ter os seus cinco minutos de fama...
    Amei amiga!!!
    beijo

    ResponderExcluir
  28. Olá Marilene,ausente por algum tempo motivos pessoais inadiáveis .
    Estive lendo seus poemas o que muito me agrada,gostei.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  29. Oii Marilene, infelizmente o ser humano ainda atribui o seu sucesso a fama, seja nas minimas coisas, é nela que muitos vêem a recompensa do que fazem, esquecem de fazer por prazer e passam a fazer pela fama! bjooosss

    ResponderExcluir
  30. Muito boas palavras!

    A fama por si só é o que é. Está bem descrito em teu poema, nem vale a pena adicionar nada. Fantástico.

    Bjos

    ResponderExcluir
  31. Fascinante construção poética com uma supreendente revelação na última estrofe, Mar+ilene.

    Admiro teu talento.

    ResponderExcluir
  32. Oi Marilene
    Fantástico poema! A fama, na minha opinião, é isso mesmo! Senão os famosos não se matariam com tanta frequência!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  33. Cruel ilusão, ouro de tolo, brilho impermanente que ofusca os incautos presos em seus flashes enganadores.
    Que a tua poesia descerre a venda dos ingênuos, Mari.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
  34. Olá, querida Marilene!

    Como vai, minha boa amiga?

    Como sempre poemas muito bem estruturados e com mensagem.

    A fama se paga caro, ouvimos dizer e é verdade.

    As luzes da ribalta brilham muito, mas temporariamente. Depois, vêm as trevas e por fim, o abismo.


    Tenha uma noite de alegria e uma semana harmoniosa.
    Beijos da Luz, com estima.

    Luzes e Luares - novo post. Obrigada!

    ResponderExcluir
  35. O imediatismo. O sucesso a qualquer custo. A ilusão de que se ter é mais importante que ser. E assim caminha-se por um chão dourado... e efêmero.

    Adoro os seus suspiros poéticos e reflexivos.
    Beijo, Marilene.

    ResponderExcluir
  36. Boa noite, Marilene. Pensei que tratava-se de um outro tema, mas vi que não e digo que ficou excelente o poema.
    A fama é uma faca afiada escondida dentro de nós, tanto podemos usá-la para o bem como para o mal.
    Ambiguidade em cada estrofe.
    Tristes das pessoas que se encantam por seu brilho e permitem-se aos cortes afiados.
    Enquanto escondida, ela engana, faz o brilho no olhar crescer e a vaidade desmedida aparecer, muitas vezes como um país sem governo!
    Usada para o bem, creio não fazer mal, desde que a pessoa viva independentemente do efêmero!
    Beijos na alma e fique com Deus!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  37. Fama seja qual for é passageira, o que fica é o valor que cada um tem diante de si mesmo, diante de Deus e da humanidade.
    Belo e profundo poetar querida Marilene, como sempre é claro.
    Grande beijo em seu coração.

    ResponderExcluir
  38. Poderia ser chamado também de OURO DE TOLO ou até mesmo... LOBO EM PELE DE CORDEIRO. São as armadilhas humanas, querida amiga.Parabéns. Um grande texto. bjs

    ResponderExcluir


  39. Nunca estamos solos
    cuando sabemos
    que ocupamos
    un lugar, en el
    corazón del amigo.


    Quisiera que la belleza
    de esta tarde del miércoles,
    conquistará una sonrisa
    en las colinas del viento
    para ti!!


    Un abrazo de violetas
    y un beso de poetas.

    Atte.
    María Del Carmen



    ResponderExcluir
  40. A fama é passageira, mas teus versos mostram um talento permanente.
    ADOREI!

    Bjos, Marilene.

    ResponderExcluir
  41. Quando o ser se esconde de si próprio.
    Gostei muito, como sempre.

    Beijinho Marilene.
    cecilia

    ResponderExcluir
  42. Ilusões da fama! Às vezes, duram bastante!
    Beijooooooo!

    ResponderExcluir
  43. Belo poema, grandes verdades! A fama pode causar estragos irreparáveis. São muitos os exemplos. Ótimo domingo, Marilene. Bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...