15 de julho de 2013

PESADELO

(Illustration by Andrew Ferez)


                                   
                           Quem mora naquela casa
                           Escura e mal acabada
                           Com paredes descascadas
                           Que nem parece , um dia,
                           Tiveram cor?

                           Quem habita aquele espaço
                           Com traços indefinidos
                           Apagados pelo tempo,
                           Galhos secos no jardim
                           Onde flores desistiram
                           De nascer?
                           Quem insiste em lá viver?

                           Fantasma de quem sorriu,
                           Amou, já se divertiu,
                           E hoje vaga pelos cantos
                           Sem querer se ausentar
                           Do que um dia foi seu lar,
                           Ainda espera que a luz
                           Volte ao brilho de outra era
                           Onde podia sonhar

                           Não optou pela prisão
                           E ainda alimenta a ilusão
                           De acordar de um pesadelo

                                                               Marilene



47 comentários:

  1. Oi, Marilene, como vai?
    conheço algumas pessoas assim, que passaram uma vida enraizadas em lugares ou situações que não lhe ofereciam mais possibilidade de vida feliz, de crescimento e satisfação pessoal. Pior que vivem tão reféns do pesadelo, que não se dão conta de que podem acordar a qualquer instante.
    Lindo escrito, ótima semana pra ti! Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Boa noite Marilene

    O teu poema tem, de certa maneira, a ver com sociologia. Como sempre, um magnifico poema a nos fazer refletir, num problema mais comum que devia.
    O TOP SECRET OLAVO, está com nova postagem.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. talvez nem nós mesmo sabemos da nossa velha morada, o corpo e deixamos de habitar. Bjos e boa semana.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia

    No oculto estão as mais belas histórias do imaginário

    Poema a merecer elevada reflexão... Gostei de ler e fiquei... pensativo

    Deixo abraço
    ****************
    Querendo...visitem-me

    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Eita Marilene... Que poema sombrio!!
    Deu medo.
    Porque será que as pessoas deixam isso acontecer em suas vidas? Né? Viver vagando, como um fantasma, e morar numa casa sem vida... Ruim isso... Muito ruim!

    Um beijão e tenha uma linda semana iluminada e com muita vida!

    ResponderExcluir
  6. As cores querem voltar e encontrar, o seu lar, nas linhas da memória divina, escondida, pelas cinzas...abração

    ResponderExcluir
  7. Oi Mari, poema bem distante de teu estilo, mas que tem aquele toque especial do teu lirismo - mesmo que melancólico e um tanto pesaroso.

    Gostei da imagem, e aquele rosto encravado na casa, representa uma alma aprisionada em porões. Porém você deixa uma lacuna de sol e esperança quando diz que (ainda espera a luz).

    QUE VOLTE A BRILHAR!

    Perfeito, lindo, intenso e pode-se dizer (ainda) frutífero. Exatamente pela esperança (que eu vi ali nas entrelinhas).
    bjs querida e tenha uma ótima semana
    :)

    ResponderExcluir

  8. Olá mana,

    Assim vivem os que abraçam a escuridão, acorrentam a alma e ficam à espera de quem os venha libertar.
    Interessante a metáfora da casa em ruínas para definir os que se perderam e para quem resta, apenas, a ilusão de reviver o passado.

    A imagem escolhida está em perfeita sintonia com o poema.

    Parabéns pela inspiração que nos remete a uma reflexão necessária para que nunca precisemos viver este tipo de pesadelo.

    Beijo.



    ResponderExcluir
  9. Interessante é que se vê uma situação assim no cotidiano. Mais interessante, ainda, é que há arte mesclada a sensibilidade neste trabalho intenso de Marilene. Também, né, é Marilene.

    ResponderExcluir
  10. Este poema muito bem concebido mas tem também motivos de grande REFLEXÃO...As próprias palavras do poema assim nos obrigam como que num exame de consciência...

    Fique bem e seja feliz...

    Saudações poéticas...

    do Porto-Portugal

    ZezinhoMota

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Marilene :)
    Pessoas que não conseguem sair da zona de conforto,
    vivem presas e com uma pseudo sensação de segurança,
    quando na verdade estão vivendo é um pesadelo...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Olá, Marilene.
    Lindo poema; por mais tragédias e percalços que surjam em nosso caminho, jamais devemos esmorecer e desistir de nosso sonhos e aspirações, pois são eles que nos mantém vivos e nos impedem de deixarmos de vermos as maravilhas que a vida nos apresenta todos os dias.
    Abraço, Marilene.

    ResponderExcluir
  13. por vezes não sabemos....

    são enigmas que ficam por desvendar.

    um beijo

    ;)

    ResponderExcluir
  14. Era um lar, havia jardim , flor , amor
    Implacável pelo tempo, pesadelos que não queremos vivenciar.
    Uma imagem surreal. Linda inspiração, Marilene

    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Marilene. Tudo bém! Incrivel sua imaginação e forma de expor um poema como pesadelo. È uma reflexção de um estado de alma! A imagem é perfeita. Adorei! Bjosssssssss. Boa semana!!

    ResponderExcluir
  16. Belíssimo poema,Marilene! Magistral idéia do pesadelo.E é!

    È o eterno recomeçar sem se ater a nada,sempre digo.


    Parabéns,minha amiga poeta!

    Obrigada pelas visitas e bela semana

    BEIJOS


    Donetzka

    ResponderExcluir
  17. Olá, querida Marilene
    Desculpe-me a ausência pois estive fora 12 dias...
    A realidade que nos mostra, poeticamente projetando, é muito íntima de mim...
    Há anos compreendo sofrimento do tipo que vc mostrou com tanta sensibilidade...
    Fique bem!!!
    Bjm de paz

    ResponderExcluir
  18. Marilene querida, tudo bem?
    Belo e reflexivo poema.
    Fiquei pensando que isso me parece bem mais frequente, infelizmente, do que poderia ser. Num dado momento da vida, as pessoas se confundirem com as dores do ambiente: memórias de outros tempos, de quem já se foi, ou de como foi bom quando era, quando se tinha. E o cenário relacionado a isso tudo. triste...

    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir
  19. Ás vezes é preciso acordar e ir embora. Pode não ser só um pesadelo. Estar preso entre paredes sufocantes... pode ser para sempre.

    bjos

    ResponderExcluir
  20. "Onde flores desistiram de nascer,

    Quem insiste em lá viver?"

    Acomodamos-nos à quase tudo...

    Por vezes,é imperioso sermos cegos,surdos e mudos.
    Bjosss...Marilene!!!

    ResponderExcluir
  21. Lembrou-me o soneto de Luiz Guimarães Júnior - "Como a ave que volta ao ninho antigo" - que aborda o mesmo tema, mas enfatizando a saudade de um tempo feliz... enquanto teu belo poema traduz a melancolia de uma alma presa a um passado que é visto como infrutífero. Muito bom.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Olá Marilene,
    a poesia 'densa' retrata de forma lírica a tragédia do cotidiano!
    Quem habita aquela casa?
    Parabéns por mais esse primororo trabalho!
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  23. Oi, Marilene.
    As prisões que buscamos devido ao nosso medo pelo desconhecido.
    Parabéns, linda!
    Beijo. Em divina amizade.

    ResponderExcluir
  24. Olá querida Marilene!

    Poesia profunda, acordar de um pesadelo é preciso, não podemos ficar aprisionados ao medo, e ao conformismo.

    Bjs e uma boa noite.

    ResponderExcluir
  25. Poema denso e uma foto extraordinária, Marilene! Muito bom! bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  26. Lindo poema!
    Marilene, muitos de nós temos esta casa dentro de nós nos assombrando, nos violentando por tantas vezes.
    Um beijo em seu coração querida amiga.

    ResponderExcluir
  27. Ola Mari,

    Uma casa que perdeu a cor, ha de ficar vazia ou ganhar novas cores pra nao virar pesadelo.E o importa mesmo, é nao transforma-la numa prisao perpétua.

    Gostei. Os seus poemas refletem a vida real.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Pois é amiga, acontece e eu creio.... Lindo, bjus.

    ResponderExcluir
  29. Um pesadelo é sempre que a pessoa não consegue livrar-se do passado, ou insiste em viver nele, em vez de encarar o futuro.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  30. Belo poema...Espectacular....
    O pesadelo era o descanso do desespero. Passava noites a sonhar e os dias a cismar.
    ~Victor Hugo
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  31. Que poema sensacional, Marilene. E como existe gente assim, vivendo sem vida, sem perspectiva, se anulando, se machucando, morrendo em vida.
    Achei maravilhosa a obra! Tudo em sintonia.

    Beijo, amiga.

    ResponderExcluir
  32. Fantástico poema. Parabéns amiga. Adorei.
    Bjs.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  33. Que belíssimo poema. Quando os sonhos mofam dão lugar aos pesadelos, temos que abrir janelas, optar pela liberdade que só os sonhos trazem.
    Bjs.minha amiga, Magnífica!!!
    em Um dos seus mais belos poemas.

    ResponderExcluir
  34. Lindo e profundo!

    Eu vi a casa de dentro de cada um de nós. Será que foi isso que voce quis dizer? Sempre fico curiosa pra saber se o que eu refleti foi realmente o que o autor quis passar.. rsrs

    Bjs

    Leila

    ResponderExcluir
  35. Olá Mari! Tudo bem?
    Quantos de nós vivemos trancados em uma casa assim, esperando que os sonhos se renovem e esquecemos de abrir janelas e portas para deixar a casa arejada para que entrem novos ares, nova vida, novos amores...Retrato fiel da vida...Parabéns minha amiga pelo lindo poema!
    Beijos com carinho e tenha um doce e abençoado final de semana.
    Marilene

    ResponderExcluir
  36. Oii!! Que possamos sempre acordar de nossos pesadelos. Bjsss

    ResponderExcluir
  37. Ali, nas entranhas das sombras
    Onde a luz não alcança
    Persiste por entre as brumas
    A tão conhecida esperança

    Beijos

    ResponderExcluir
  38. Nunca podemos pensar que a vida é um pesadelo,temos sempre que ter pensamento positivo e desejar que tudo corra bem. Fica com deus amiga e tem um excelente fim-de-semana!! http://mafaldinhaarte.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  39. Oi, querida Marilene!

    Uma vida "fechada", por vontade própria ou não, nos destrói. Nada é para sempre, graças a Deus.

    Feliz DIA DO AMIGO. Tinha de estar com você, hoje.

    Bom fim semana.

    Beijos com carinho da Luz.

    ResponderExcluir
  40. Boa tarde Marilene
    Viver não pesadelo. Podemos até passar por percalços durante a caminhada mas a felicidade nos aguarda no próximo acontecimento.
    A verdadeira amizade deixa marcas positivas que o tempo jamais poderá apagar. Um FELIZ DIA DO AMIGO. Desejo que a felicidade venha em profusão para alegrar o teu sábado.
    Beijos com carinho e minha sincera amizade
    Gracita

    ResponderExcluir
  41. Boa tarde Mari.
    "Esqueça a parte da expressão que diz “mora longe”. Gente bacana mora dentro. Tem lugar cativo no peito, único e exclusivamente reservado, independentemente de distância. Quem cativa nunca é ausente. Entra sem pedir licença e não “arreda” o pé. Não dá um passo sem pegar carona em nosso pensamento."
    (Fernanda Gaona)..."UM LINDO E FELIZ DIA DO AMIGO"
    Beijos com todo meu carinho ღ˘◡˘ღ
    Marilene

    ResponderExcluir
  42. Querida Marilene!

    Pesadelo, uma palavra que define o momento que não abrimos as portas, e trancamos tb a janela, que é mais sombrio, quando trancamos dentro de nós mesmos.

    Bom poema amiga. FELIZ DIA DO AMIGO! VC É ESPECIAL PARA MIM.

    Bjs e um belo final de semana.

    ResponderExcluir
  43. Olá amiga, é sempre hora de acordar do pesadelo. Lindo o seu poema. Beijos com carinho

    ResponderExcluir
  44. Oi Marilene!Fiquei pensando naquelas casas de filmes de suspense/terror...Mas acho que você quis passar pra nós uma outra idéia,talvez a de que quando a vida fica estagnada é hora de tomar uma decisão radical e sair do pesadelo.Um abraço!

    ResponderExcluir
  45. Pesadelos é algo que também me tem atormentado mas, é hora de deles nos libertarmos...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  46. Marilene,

    desilusões são pesadelos que nos prendem a sonhos desfeitos, a passados descontruídos, mas há a esperança de se acordar.

    Beijos e otima semana.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...