9 de outubro de 2013

O FIM

                                           
((Dimitar Voinov Junior) 



                                                   Ferida, revidou
                                         E em fera se transformou.
                                         Mas voltou sobre os mesmos passos
                                         Até encontrar espaço
                                         Pra se acalmar,
                                         Reviu as garras certeiras
                                         Que a arranharam
                                         As palavras duras e frias
                                         Que a fizeram desabar,
                                         Sentiu, então, ainda mais forte,
                                         A dor da chaga aberta,
                                         Vendo-se frente à descoberta
                                         Da finitude do amor

                                                                                   Marilene



44 comentários:

  1. Quem nunca quis revidar um amor desfeito, contudo, decepções todos superam. Bjos.

    ResponderExcluir
  2. Quando se fala da finitude do amor as garras são mais certeiras e as chagas mais abertas...

    Beijinho

    ResponderExcluir
  3. Bom dia

    Lindo,,quem nunca sofreu por amor?

    Deixo cumprimentos
    **************************************
    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  4. Olá, amiga. Quantas verdades!! As feridas fecham com o tempo, más as marcam ficam. Adorei!! Bjos flor, e todo carinho hoje, sempre. Bom dia!

    ResponderExcluir
  5. E com o tempo sentimos essa finitude de amor, que pode renascem em jardins desconhecidos! abraços

    ResponderExcluir
  6. Linda poesia, intenso e dolorido sentimento...beijos,chica

    ResponderExcluir
  7. Sinceramente, parece até a LL falando pra mim; e tudo, realmente, chegou ao fim(rimou, hein?) It's all over!

    Gostei muito da foto, muito mesmo!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. É necessário por vezes parar para sentir verdadeiramente. E, mesmo doendo, colocar um fim.

    Um prazer lê-la Marilene.
    bj

    ResponderExcluir
  9. Bom dia Marilene,
    Certero e sensible poema! ♥
    Beijos, tenha um lindo dia.

    ResponderExcluir
  10. Um poema sentido, forte, escrito com o coração.Parabéns.

    ResponderExcluir
  11. É... mais ou menos isso... palavras, atos... e o fim...

    ResponderExcluir
  12. Querida destes as palavras o tom e o sobre tom das dores para definir o fim de um sonho .
    Encantei-me.Brisas e flores para você.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  13. Oi Marilene,
    Essas finitudes infelizmente acontecem...
    só nos resta impedir que a amargura da decepção ou do desânimo tome conta de nós,
    afinal a vida segue!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  14. Oi mana,

    É um momento difícil e doído, contra o qual não adiante se rebelar.
    A constatação do fim há de ser aceita para que o coração não demore a se reerguer para um novo amor.

    Muito lindo, assim como a imagem escolhida.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Quantas vezes a revolta não é pelo FIM, mas sim por mais um FIM, entre tantos outros...momentos de ira talvez contra situações....lindissimo poema....sou sua fã desde muito....bjos....

    ResponderExcluir
  16. pungente....

    o fim magoa sempre, até quando já é esperado.

    um beijo

    :)

    ResponderExcluir
  17. Bom dia, Marilene. De nada adianta revoltar-se contra o inevitável. Lindo poema! tenha um ótimo dia!

    ResponderExcluir
  18. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.


    ResponderExcluir
  19. E não há nada a fazer contra isso. É aceitar a dor e seguir em frente com as cicatrizes, que de muita valia serão...

    bjos

    ResponderExcluir
  20. Tudo o que tem um fim faz sofrer mas ficam as alegrias do tempo que durou...
    Beijo amiga
    anacosta

    ResponderExcluir
  21. Marilene

    Apetece dizer: bravo! Olhando a beleza do poema e o confrontando com a ilustração. Coisas da imaginação de uma poeta como tu.
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Olá Marilene! Vim conhecer o seu espaço e retribuir a gentileza e a simpatia de sua visita e comentário em meu blog.
    Delicio-me quando entro num blog, ainda desconhecido, e me deparo com criações fantásticas como seus poemas. Li vários deles e percebi que procura imprimir sua marca, produto de uma verve realmente criadora.
    A finitude do amor é o que menos se espera, mas, muitas vezes, as pessoas se acomodam numa situação que precisa ser sempre cuidada, alimentada, elogiada e até paparicada. O amor é como uma plantinha de jardim que, se bem cuidada, floresce e nos enche os olhos de encanto.
    Um grande abraço e tenha bons dias!

    ResponderExcluir
  23. Oi Marilene!Puxa vida,é realmente uma dor daquelas o fim de um relacionamento,
    mas faz parte da vida...Lindos versos!Beijos!

    ResponderExcluir
  24. Minha querida

    Um poema dorido como é o fim de algo que nos marcou. Lindo sempre e profundo.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  25. Passando para deixar um grande abraço e desejar que sua sexta feira seja cheia de alegria.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  26. Olá Amiga!
    Quando termina um amor... a dor e a raiva por vezes deixam-nos exaustos! Um belo poema, muito bem estruturado. Bom fim de semana.
    M. Emília

    ResponderExcluir
  27. Um poema que reflete a dor profunda de um ser. Forte e verdadeiro. Muito bom, Marilene. Bjs

    ResponderExcluir
  28. SE SIENTE MUCHA DETERMINACIÓN EN TUS LETRAS.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  29. lâminas raspadas sobre os caminhos e suas não-direções: há sempre um tanto de finito em cada absoluto.

    beijinho, marilene!

    ResponderExcluir
  30. Sentimentos de mudanças, beijo Lisette,

    ResponderExcluir
  31. Olá Marilene!

    São sentimentos de mudança, parece facas afiadas cortando o coração,com o final de um amor partindo o coração.

    Um ótimo Feriado Para Você.

    Bjs

    ResponderExcluir
  32. Muito bom o seu poema Marilene! Me fez lembrar de uma musica linda da Ana Carolina:
    "Tudo que sofri
    Me fez mais forte, eu sei
    Pronta pra sofrer de novo..."
    So que nunca estamos!rs

    PS: Respondi teu comnetario no Asas...E tem noticias de mamis!

    Beijos e feliz dia da criança pra ti com teus sobrinhos!

    ResponderExcluir
  33. Bom dia Marilene!

    Reli de novo seu lindo poema.

    Desejo-te um feliz feriado. Feliz dia das Crianças, as que estão perto de você.

    É a melhor idade, ser criança é tudo de bom.

    Abraços

    ResponderExcluir
  34. Lindo e profundo! sempre bons seus poemas Marilene.
    Bjs

    ResponderExcluir
  35. Você que recorda com saudades
    Os tempos de criança
    Com desejos de muitas felicidades
    Para você com fé e esperança.

    Fé, e muitas esperanças
    Para todas eu pretendo
    Hoje é dia das crianças
    Dia 12, mês de Outubro.

    Todas tenham o que desejam
    Paz, muito amor e carinho
    Longe da miséria estejam
    Felizes em seu cantinho.

    Para crescerem à vontade
    Livre espaço precisam ter
    Brincarem em liberdade
    Sem a maldade as interromper.

    Os direitos que as crianças têm
    Para todas um abraço e um beijo
    Que ninguém os recuse também
    Muitas felicidades para todas desejo!

    Bom fim de semana e um beijo
    para você amiga Marilene
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  36. BOA NOITE !!!!!!!!!!
    ABSORVENDO DAS PALAVRAS QUE FEZ ESSE LINDO POEMA DEIXO DITO.TEM A BELEZA QUE ENALTECE O POETA ...VOCÊ SEMPRE ME SURPREENDENDO ...
    A CRIANÇA QUE EXISTE EM MIM SAÚDA A CRIANÇA QUE EXISTE DENTRO DE VOCÊ...
    FELIZ DIA DAS CRIANÇAS !!!!!!!

    ResponderExcluir
  37. Uma benção estes versos!
    Um lindo e emocionante domingo!

    Bjussssssssss

    ResponderExcluir
  38. Marilene, sempre leio seus poemas sinto a sensibilidade em cada verso. O amor, em qualquer circunstâncias nos deixa marcas, às vezes indeléveis e outras nem tanto. Versos maravilhosos que formam tão instigante poema. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  39. O bonito é tirar da dor motivo de poesia!
    :D

    ResponderExcluir
  40. Marilene,
    não cabe muito dizer sobre obra tão realista quanto bela!
    A obra é concisa e impactadora, direta e sêca.
    Me parece ter sido escrita pela garra de uma fera ferida. Ainda assim bela!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  41. Lindo. Marlene
    Nem sempre um amor desfeito é motivo para revidar.
    O amor é infindável. Adorei.

    ResponderExcluir
  42. Que poema doído e triste, porém maravilhoso, como todos que você sente no coração.
    Um abraço querida Marilene.

    ResponderExcluir
  43. Marilene,
    quero pensar que o amor é eterno quando o sentimento é real, Abrem-se possibilidades para mudanças e transformações, mas na essência, sentimento real torna tudo real, portanto eterno, pequenas eternidades "enquanto dure" :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  44. É sempre um imenso prazer, sob uma enxurrada de emoção, vir à tua página, Marilene!

    Beijos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...