2 de março de 2015

PALAVRAS TRUNCADAS

(Amandine-Van-Ray)

                                          
                      Quis o verso nascer
                      Mas as palavras não se encaixavam,
                      Quis o coração arder
                      Mas a paixão não se instalou,
                      Quis o sonho se impor
                      Mas o coração não se abriu

                      A boca permaneceu fechada
                      Sem permitir o desenho do sorriso,
                      Os olhos permaneceram frios
                      Sem deixar que as emoções fluíssem,
                      E as asas até se movimentaram
                      Mas os pés se recusaram a deixar o chão

                      Na complexidade das tramas 
                      Por nós mesmos criadas
                      E nas quais nos prendemos,
                      Movo-me, lentamente ...
                      Ainda presa aos fios
                      Sinto o chamado dos desafios
                      Que aguardam, ansiosos,
                      Minha liberdade de movimentos

                      Tramas insanas !
                      Desconexos são os desenhos,
                      Embora rompíveis as teias.
                      Tortura-me a falta de beleza
                      Dos mosaicos, de seus sons,
                      De suas cores ... e os omito,
                      Cortando a permissão
                      Para que das palavras nasça
                      Uma indiferente canção

                      Silencio ...
                      Estou a cortar os fios
                      Que me separam dos versos


                                                     Marilene




40 comentários:

  1. Que versos tão belos tecidos em santo silêncio! abraços

    ResponderExcluir
  2. Pois, a inspiração nem sempre vem como diz a 1ª estrofe. Mas, a sua está maravilhosa. Gostei.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Teus versos nunca se separam de ti.Estão em ti... Lindo aqui! bjs,chica

    ResponderExcluir
  4. Profundamente lindo, Marilene!
    Acho que os poemas jamais deixam quem os aceita como eles são.
    grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Marilene: Bela Inspiração amei muito ler belo
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  6. Lindo demais Marilene.
    A inspiração não está truncada e sim aberta para escrever versos
    tão delicados.
    Parabéns Marilene.
    Bjs e um ótimo inicio de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  7. Conexões que permitem o SER alçar voos e se expressar.Mas com vc fluem de forma leve e bela.bjs

    ResponderExcluir
  8. Às vezes pagamos mais pelas palavras que não dissemos, as que calamos, do que pelas que emitimos, mais pela omissão do que pela ação, pelo não se permitir do que se atrever . Muito bom seu texto. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Eloigos mais uma vez minha bela poetiza
    eu adoro ler cada palavrinha que agrada nossa alma

    Bjusss
    Rita

    ResponderExcluir
  10. Marilene
    que belo momento de poesia, seu poema é magnifico.
    uma boa semana.
    um beijo
    :)

    ResponderExcluir
  11. Entrar dentro do coração para encontrar o silêncio, para recuperar a voz... E o poema acontece... com beleza...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. Que bom que você voltou querida Marilene.
    A poesia é você, cada verso é uma extensão do seu coração.
    Amei.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  13. Me deu prazer a leitura destes seus versos que mostram bastante habilidade no uso as palavras, habilidade esta que já conheço e aprecio não é de hoje.

    ResponderExcluir
  14. E os versos nasceram lindamente.
    Que beleza de poema, mana.
    A poesia nasceu com você e ainda que se retraia, às vezes, nunca deixará de fluir.
    Belo momento poético.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  15. Tão lindo!!. Há momentos assim em que o poeta parece estagnar na sua criação. Mas é só o que parece, veja estes seus versos, Uma obra prima.
    Um abraço Marilene.

    ResponderExcluir
  16. Marilene, você nasceu para a poesia como o sol nasceu para iluminar a Terra!
    Incrível como os versos, vindos de ti, despontam suavemente...

    Eu sinto que você não faz esforço nenhum para que a poesia se componha: ela simplesmente flui, mais natural do que as águas correndo para o mar...
    Simplesmente perfeito!!!

    Obrigada por nos abrilhantar com mais esta obra literária esplêndida!!
    Beijinhos e uma semana muito linda para você!! ♥

    ResponderExcluir
  17. Aiga Marilene,

    Quando estiver liberta desses fios que a prendem, nem o céu será o seu limite.

    Belíssimo e intenso este seu poema.

    Beijinho

    ResponderExcluir
  18. Amiga Marilene!

    Um poema imensamente profundo e belo. Parabéns!
    Fico Feliz com seu regresso.
    Algumas vezes temos que fazer uma pausa, eu já fiz tantas querida amiga. O importante é saber que vc está escrevendo lindamente. Isto vale a voz do coração e do dom.

    Um abraçao. Beijos no seu coração.
    Nati

    http://umaalmapoetica.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. INMENSO POEMA!!!! UN CIERRE ABRUMADOR. EXCELENTE!!!
    BESOS

    ResponderExcluir
  20. O poeta sempre encontra jeito de romper o impasse.
    Então o poema nasce.
    E este nasceu dessa ousadia! Belo poema, Marilene!
    Meu bjo :)

    ResponderExcluir
  21. A vontade e o desejo de soltar as amarras fazem milagres.
    E também o talento. Adorei este seu poema. Já sentia
    a sua falta.

    Bjs

    Olinda

    ResponderExcluir
  22. Que lindo, Marilene! penso que todos passamos por fases assim, de querer ir em frente e se sentir estagnado, querer dar asas aos sonhos e se sentir preso a uma fria realidade. No silêncio possibilitamos o reencontro conosco e conseguimos enxergar o que é precioso na vida e nos faz feliz. E assim a teia começa a se romper e voltar a voar é só uma questão de tempo. Abraços, linda semana!

    ResponderExcluir
  23. Magnífico poema, Marilene!!
    A dualidade expressada do sentir em asas de liberdade e a lúcida razão
    analítica na composição dos espaços sobre a concreta "realidade".
    Dita com uma beleza poética avassaladora, a romper o silêncio e
    a sentir o todo poesia.
    A imagem é linda,perfeita para a imensidão do poema.
    Adorei! Beijinhos.

    ResponderExcluir
  24. Um poema singular que prenuncia um desatar da teia de amarras que no limitam e, por vezes, nos imobilizam.
    Gostei de ler!
    Um feliz Dia da Mulher!
    Jorge

    ResponderExcluir
  25. Amiga Marilene, hoje é o seu dia,
    tinha que vir aqui deixar uma palavra
    hoje e sempre, seja muito feliz, sorria
    de dor não deixa cair dos olhos nenhuma lágrima,
    de alegria deixa elas correrem pelas faces à vontade
    para você no pensamento envio uma flor
    em sua companhia tenha a felicidade
    sempre com carinho e muito amor!

    Tenha um bom dia de domingo
    e tudo mais o que desejar, um beijinho.

    Para todas as mulheres desejo,
    hoje e sempre que sejam muito felizes.
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  26. Amiga,
    agradeço muito essa homenagem às mulheres,
    pois somos o equilíbrio do universo e da família!
    Lindo poema!
    tenho sentido sua falta no meu blog,amiga!
    bjus
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elyane, estive ausente dos meus espaços e sem tempo para visitas, as quais estou, aos poucos, retomando. Não fiz uma homenagem às mulheres (rss), embora todas o mereçam. Bjs.

      Excluir
  27. São momentos que os poema nascem mais belos.Lindamente escrito!
    Eu amo o trabalho de Amandine Van Ray.
    Desejo uma excelente semana, um preciosos mês de março!
    Deixo um abraço!

    ResponderExcluir
  28. Oi Marilene,
    Para quem possui inspiração,
    acho que não existem fios que os separem dos versos.
    Poema e imagem lindos!
    Bjs :)

    ResponderExcluir
  29. Mais um belo poema Marilene, já estava sentindo muito a sua falta!
    Bjs

    ResponderExcluir
  30. Olá, Marilene! Até que enfim te encontro de volta; creio que não é preciso dizer o quanto isso me agrada, não é? Fiquei feliz lendo mais uma bela criação tua.
    Beijo, e apareça.

    ResponderExcluir
  31. Que coisa mais linda e inspiradora o final.
    Coisa de Titã da poesia.
    Que a semana esteja a fluir bem Marilene com paz e alegria na familia.
    Carinhoso abraço amiga.
    Bjus

    ResponderExcluir
  32. Veja só, você está dando um tempo para voltar às crônicas; e fui para às fotos o qual gosto muito e achei linda a última postagem. Dei outra volta e cliquei nesse blog de poemas e olha só o que li hoje! Maravilha, é isso, a gente encontra caminhos... Mandou bem, lindo. Me vi , não faz muito, no terceiro verso! E dou um tempo para para que tudo se normalize.
    Beijo!!

    ResponderExcluir
  33. Boa noite, Marilene.
    Belo poema.
    Amei o final.
    Nada pode separar-te dos versos, nem os desenhos desconexos, os momentos sem movimentos, nada, é tudo tão puro dentro de ti, que tais situações só permitem que a poesia cresça mais e mais de uma forma generosa no coração ansioso verbalizada através da voz que não permite-se calar.
    Parabéns.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  34. Lindo poema, Marilene! Bom vê-la de volta. Beijão e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  35. Beleza de poema.
    Nem tudo é felicidade na vida, por vezes a tristeza vem e com muita força.
    É no silêncio que quase sempre encontramos as palavras certas.
    Parabéns.
    Beijinho
    Alice

    ResponderExcluir
  36. Muitas vezes o silêncio é necessário para que algo aconteça!!! Lindo poema!!

    Tenha uma abençoada semana. Bjs

    ResponderExcluir
  37. O silêncio fala tão alto que dói aos nossos ouvidos. Entende quem quer entender!... AbraçO

    ResponderExcluir
  38. Na complexidade do eu-lírico ele vive a alteridade, o sequestro da subjetividade transladada em silêncio, ternura e complacência. Tudo para ele é mutação! Catarse.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...