4 de maio de 2015

FORA DO PALCO

( Stunning visions of Kassandra)

                                                 
                                         
                       Coração à deriva
                       Opção por não lançar âncora
                    
                       Amor ao movimento
                       Das águas,
                       Ao celestial azul do céu
                       Inalcançável e infinito.
                       Busca de autoconhecimento
                       Na beleza indiscutível
                       Da natureza solitária,
                       Que não compartilha sentimentos

                       Escorregadios e variados são os caminhos.
                       Há conivência com pássaros sem ninhos
                       Que se alegram no voo despretensioso
                       Fundado na sobrevivência.
                       Há observação de horizontes largos e indefinidos
                       Que aguardam passos ...
                       E há um canto com o vento, em duo,
                       Pois como ele, passageira sou,
                       No descampado do existir

                       Abro-me a mim
                       Como o grande exterior se me mostra,
                       Mas dele colho apenas a simplicidade
                       Para encontrar a própria verdade



                                                       (Marilene)




45 comentários:

  1. Uma opção de vida mesmo que por um instante.
    beijogrande

    ResponderExcluir
  2. Espero que encontre um porto seguro.
    Lindo poema.
    Boa semana, Marilene.

    ResponderExcluir
  3. Um belo poema com coração à deriva.
    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  4. Lindo e a simplicidade parece mesmo ajudar a tudo melhor ver! beijos, linda semana,chica

    ResponderExcluir
  5. E assim encontramos a própria verdade,dentro da simplicidade da noss'alma.
    Lindo Marilene.
    Bjs e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  6. fora do palco somos só
    personagem que procura
    na solidão o caminho
    na simplicidade a verdade
    na liberdade o amor

    belo o teu poema de procura da liberdade de poder se ser,

    ResponderExcluir
  7. Que lindo poema! E realmente, é na simplicidade que tudo é esclarecido.
    Beijos, e linda semana!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  8. mesmo com o coração à deriva um poema que nos deixa um pouco de serenidade que a autora assim transmite.
    gosto muito da imagem escolhida da kasandra.
    boa semana.
    beijo
    :)

    ResponderExcluir
  9. Momentos de encontro interior, são fundamentais para o nosso próprio conhecimento.
    Bjux

    ResponderExcluir
  10. Que poema brilhante...deliciaste-me, Marilene.

    ResponderExcluir
  11. Bonita navegação. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  12. Olhando para a bela imagem adivinho que o poema será magnífico.
    Não me enganei, essa busca, à deriva, encontra na simplicidade a resposta que procura.

    Um momento mágico amiga Marilene.

    Um beijinho e boa semana


    ResponderExcluir
  13. Quem elege "a simplicidade" como padrão de sua existência, é sábio!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  14. Olá Marilene , aqui cheguei vindo da casa de uma Amiga , e gostei muito deste seu Lugar replete de Sentidos e Palavras preenchidas de aromas ... fantastic poema cheio de sentido e profundidade , e tem toda a razão ... na Simplicidade Encontramos a Essência da nossa verdadeira Existência ...

    Um Abraço e voltarei mais vezes :)

    ResponderExcluir
  15. Oi mana,

    Mais um belíssimo poema, E linda a imagem que o ilustra.
    É através do recolhimento e na simplicidade que nos deparamos com o melhor de nós e do mundo exterior. De quando em vez, é bom deixar o coração à deriva, que é a maneira mais lúcida de se aportar seguramente.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  16. Coraçao a deriva... talvez seja mesmo a melhor opçao...

    Imagem maravilhosa...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  17. Boa noite, Marilene.
    E sem a tal simplicidade nada tem a mesma essência.
    O vento pode trazer tantas oferendas para nós, ao menos, poderemos sentir a brisa suave que nos envolve em cada proporção bendita.
    Tenha uma semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  18. Maravilhoso navegar... Adorei!

    Beijinhos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  19. Oi Marilene que maravilhoso poema digno de um Estandarte à poesia. A liberdade de poder ser o que realmente somos, presos apenas a nossa própria identidade. Interior de nós. Gostei muito ."Há convivência com pássaros sem ninho"
    Belo!!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  20. A opção é sempre a simplicidade...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  21. Muito lindo Marilene, adorei a foto que colocou no seu perfil, está linda! Bjossss

    ResponderExcluir
  22. Oi, Marilene!
    Belos versos.
    vamos pelos horizontes novos, que aguardam passos...

    ResponderExcluir
  23. Great blog♥

    How about follow each other?
    I follow your blog. Waiting for you♥
    My Blog: http://juliemcqueen.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Fora desse palco da vida, permitimos que a mascara da conveniência caia e ai temos um encontro íntimo com nosso eu, criamos nesse momento o direito de estarmos face a face com o que somos realmente e as vontades, desejos, sonhos correm frouxos, sem conveniências... À deriva é a liberdade que temos o privilégio gozar fora do palco!
    bjkas doces

    ResponderExcluir
  25. Fora do palco, podemos interpretar os nossos papéis, vestir as nossas personagens, criar as nossas peças.
    Na vida, temos de nos colocar no lugar do espectador, e observar-nos como atores. Esta dicotomia, bem expressa no seu poema faz meditar. A imagem muito bonita. Abraço

    ResponderExcluir
  26. Olá, Marilene.
    fora do palco: a comunhão com a natureza e com a simplicidade. Linda forma de viver.
    Bela imagem que escolheu.
    bj amg

    ResponderExcluir
  27. GRAN TEXTO Y REFLEXIÓN!!!!!!!!!
    ABRAZOS

    ResponderExcluir

  28. Olá Marilene,
    Há períodos na vida que é bom e necessário deixar
    o coração à deriva e acreditar que
    o próximo porto nos aguarda cheios de surpresas, emoções e novidades...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  29. Olá Marilene,

    Passando , relendo , e desejando um ótimo fim de semana :)
    Abraço
    Luis Sousa

    ResponderExcluir
  30. Querida amiga Marilene

    Às vezes é preciso abrir
    as portas da nossa vida,
    para reaprendermos a ver
    o que nos fazia feliz,
    e que muitas vezes esquecemos
    pelos caminhos...


    ___________________________________


    Gostaria de convidá-la a visitar o meu outro blog
    www.semvoceeunaoseria.blogspot.com.br

    Nele estou publicando textos inspirados em músicas.
    Projeto de um livro para acordar sentimentos.

    Se puder, escute a música, leia o poema
    e deixe sua valiosa opinião.
    Amigos sabem ler nossas entrelinhas,
    e muitas vezes nos veem melhor do que
    realmente somos.

    Aluísio Cavalcante Jr.

    ResponderExcluir
  31. Maravilhoso poema.
    A simplicidade é um excelente lema para tudo na vida.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  32. Boa tarde, Marilene
    belíssimo poema. Quem sabe valha a pena deixarmos nossos sentimentos um pouco à deriva
    para quem sabe mais tarde nos encontramos no caminho certo. Tenha um lindo final de semana. Feliz dia das mães!

    ResponderExcluir
  33. Com certeza ocupa o melhor palco, no voo ao encontro da própria verdade, a essência.

    Um voo poético luminoso de profundidade...

    Belo poema acompanhado da imagem encantadora!

    Desejo um domingo de paz neste dia das Mães...

    Bjos, Marilene.

    ResponderExcluir
  34. É certo que na simplicidade mora uma verdade,
    a que nós buscamos e que nos revela.
    Beleza de inspiração amiga.
    Abraços de muita paz e luz.
    Bjs

    ResponderExcluir
  35. Olá, querida Marilene
    Quem encontrou a simplicidade, um tesouro tem em si...
    Seja feliz e abençoada!!!
    Bjm fraternal

    ResponderExcluir
  36. Olá, querida Marilene
    Quem encontrou a simplicidade, um tesouro tem em si...
    Seja feliz e abençoada!!!
    Bjm fraternal

    ResponderExcluir
  37. En esa Verdad Sebcilla naciente de nuestro nido interior se abren las alas de todos los Sueños.


    Un Abrazo.
    Gracias.

    ResponderExcluir
  38. Voar em direção a si próprio e encontrar a simplicidade é estar em conjugação com a natureza. bjs

    ResponderExcluir
  39. Que belíssima reflexão, Marilene. Até li duas vezes.

    ResponderExcluir
  40. Um poema para se meditar e ver de verdade onde estamos, lindo demais Marilene querida.
    Um abraço carinhoso.

    ResponderExcluir
  41. É preciso mesmo procurar o palco do eu para que a nossa "personagem" identitária, se atreva a enfrentar as personagens que nos rodeiam sem que isso nos causa transtorno emocional. Sem clarividência, não somos donos de nós próprios...
    Gostei imenso, querida Marilene!
    BJO :)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...