5 de julho de 2015

DIVIDIR, PARA MELHOR VIVER

(Surreal Art by Grigoriou panagiotis)
                                                               
                                         
                             Divida tudo pela metade,
                             A verdade
                             A realidade
                             E até o nada.
                             Abrace apenas uma das partes
                             E a outra se ponha a observar,
                             Com cautela,
                             Pois pode a primeira mudar
                             E o oceano do ilusório
                             Passar nela a habitar

                             Faça o mesmo
                             Com a aparente loucura
                             Que sobre alguém
                             O mundo lançar,
                             Pois não é absoluto o conhecimento.
                             O ser humano se disfarça
                             Para o ego polir
                             E um dos lados está sempre a pedir
                             Maior atenção,
                             Impondo que não se ouça apenas o coração

                             Divida tudo pela metade,
                             A desconfiança
                             A lembrança
                             E até a esperança.
                             Expectando menos de cada um
                             E também de si mesmo
                             Talvez possa encontrar,
                             Na parte que se tornar mais visível,
                             Uma pequena resposta
                             Para a metade dos segredos da vida ...
                             Ela não é um jogo,
                             Mas pede astúcia
                             E exige escolhas

                             Assim, mesmo sem possuir o tudo,
                             Ainda será um vencedor,
                             Eis que amparado pela sabedoria
                             Que distingue verso e anverso,
                             Dando a cada lado sua verdadeira cor


                                                           Marilene




38 comentários:

  1. Somos os dois lados em um so... trazemos em nos o verso e anverso... e assim vamos nos equilibrando nesse jogo chamado vida...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  2. Parabéns! Maravilha, Marilene. Sabedoria em tua poesia...Assim agindo, mesmo tendo menos, ganhamos mais, nos desiludiremos menos... Valeu! Adorei! bjs, chica e linda semana pr ti!

    ResponderExcluir
  3. Também é bom vivermos um pouco num mundo de fantasia. O segredo é saber equilibrar a imaginação com a realidade.
    Belíssimo poema.
    Bom domingo

    ResponderExcluir
  4. Lindo, perfeito, quando nos deixarmos verdadeiramente conhecer, com certeza seremos mais amplos no amar.
    Um abraço e linda semana querida Marilene.

    ResponderExcluir
  5. HAY QUE SABERNOS DESDOBLAR FRENTE A LAS CONDICIONES QUE LA VIDA NOS OFRECE. EXCELENTÍSIMO TEMA.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  6. nunca tinha pensado assim....

    até que faz algum sentido...

    a imagem também é muito bonita.

    boa semana.

    beijinho

    :)

    ResponderExcluir
  7. Querida Marilene primeiro te gradecendo pela força segundo novamente te sou grata...sem racionalidade não conseguimos sobreviver, mesmo inadvertidamente sem percebemos estamos nos apoiando entre verdade e realidade..é o que me tem sustentado. Amei o seu poema, pura certeza!

    ResponderExcluir
  8. Querida Marilene primeiro te gradecendo pela força segundo novamente te sou grata...sem racionalidade não conseguimos sobreviver, mesmo inadvertidamente sem percebemos estamos nos apoiando entre verdade e realidade..é o que me tem sustentado. Amei o seu poema, pura certeza!

    ResponderExcluir
  9. Querida Marilene primeiro te gradecendo pela força segundo novamente te sou grata...sem racionalidade não conseguimos sobreviver, mesmo inadvertidamente sem percebemos estamos nos apoiando entre verdade e realidade..é o que me tem sustentado. Amei o seu poema, pura certeza!

    ResponderExcluir
  10. Querida, li e reli e fiquei meditando...será que depois de anos e anos sempre vendo o todo, conseguiremos dividir tudo ao meio e quem sabe assim enxergarmos melhor?
    Te juro que vou tentar, pois além de linda e profunda, sua poesia me passou algo de tão bom, sei lá uma sensação inexplicável.
    Acho que veio de encontro ao meu momento, e fico feliz.
    Beijos de uma linda noite de domingo e de uma semana de paz.

    ResponderExcluir
  11. OI MARILENE!
    SERIA, DIVIDIR AS ALEGRIAS, MAS, QUANDO O SOFRIMENTO VIESSE, O SENTIRÍAMOS TAMBÉM PELA METADE, ENTÃO, PORQUE NÃO?
    UMA REFLEXÃO PRIMOROSA, AMIGA.
    ABRÇS
    -http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Querida Marilene: um poema perfeito! Desses que nos ensejam reflexões várias, que nos mostram que a dualidade é um processo que nos traz benefícios à medida que deixamos de ver apenas aquele lado que julgamos ser o certo, e passamos a observar o todo fracionado, com olhos atentos para as nuances que de certa forma havíamos ignorado. Uma sugestiva imagem, muito bem escolhida para ilustrar o teu poema.
    Mas confesso, amiga, que fiquei vidrada mesmo foi com o poema FANTASMAS.
    Soubeste bem, num belo e significativo poema, delinear os meandros de um sentimento quando deixa de existir o diálogo, quando aquele silêncio angustiante passa a ser a tônica de uma relação que se desgastou a ponto de não mais se encontrar palavras para romper a barreira que se forma entre duas pessoas antes tão entregues uma a outra. Os fantasmas começam mesmo a despertar... E quando despertos, não conseguimos nos livrar dos medos, dos assombros, e da sensação de angústia que o processo acarreta. E os fantasmas alimentados nesse constrangedor silêncio parecem roubar todas as palavras que gostaríamos de pronunciar, mas que ficamos esperando a outra parte tomar a iniciativa. Triste realidade hoje tão freqüente, infelizmente!
    Grata, meu anjo, pelas manifestações de carinho sempre que me visitas.
    Que nunca faltem sorrisos no teu olhar e estrelas para iluminar teus passos.
    Com carinho,
    Helena

    ResponderExcluir
  13. Esse equilíbrio almejado por todos , colocados em poesia.
    bjs

    ResponderExcluir
  14. Saber viver junto ao bom senso, ao equilíbrio é o que nos mostra a sensibilidade pelo viver em comunidade. Belo poema reflexivo! Parabéns!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  15. Oi mana,

    Poema fantástico. Gostei demais.
    Sem dúvida, a cautela e o bom senso sugerem que o nosso olhar não foque apenas o todo, que pode tirar do alcance dos olhos fragmentos importantes para qualquer avaliação. O coração ofusca a razão, podendo levar a julgamentos prematuros e inconsistentes.
    Por outro lado, o mesmo se aplica com relação aos nossos sentimentos e emoções, que não podem nos cegar diante dos fatos da vida, pois conforme bem versado e salientado, a" vida não é um jogo/Mas pede astúcia/E exige escolhas".

    Parabéns!

    Linda imagem.

    Beijo..

    ResponderExcluir
  16. Boa noite, Marilene.
    Fiquei pensando aqui em como funciona essa divisão.
    Fato é, concordo com você, que um lado será menos alimentado.
    Encontrar respostas é uma arte nessa divisão, pois os sentimentos ficam confusos tornando-se instáveis muitas vezes como em uma gangorra, uma balança .
    Que vida é essa?
    Cadê o equilíbrio?
    Sei não, tampouco qual metade seguir e observar.
    Amei.
    Tenha uma semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  17. Boa noite, Marilene.
    Fiquei pensando aqui em como funciona essa divisão.
    Fato é, concordo com você, que um lado será menos alimentado.
    Encontrar respostas é uma arte nessa divisão, pois os sentimentos ficam confusos tornando-se instáveis muitas vezes como em uma gangorra, uma balança .
    Que vida é essa?
    Cadê o equilíbrio?
    Sei não, tampouco qual metade seguir e observar.
    Amei.
    Tenha uma semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  18. Boa noite, Marilene.
    Fiquei pensando aqui em como funciona essa divisão.
    Fato é, concordo com você, que um lado será menos alimentado.
    Encontrar respostas é uma arte nessa divisão, pois os sentimentos ficam confusos tornando-se instáveis muitas vezes como em uma gangorra, uma balança .
    Que vida é essa?
    Cadê o equilíbrio?
    Sei não, tampouco qual metade seguir e observar.
    Amei.
    Tenha uma semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  19. Lendo esta beleza de inspiração eu fiquei aqui cutucando Ferreira Gullar em seu Traduzir-se. Lá uma parte se alegra e outra se espanta, Aqui buscamos deixar que elas se enquadrem em seu devido tempo, Seria mesmo uma questão de arte em que a poesia vem suplicar um acordo com o fiel de uma balança, que nem sempre estará aferida e aí vem solidão, desconforto, incômodos de almas.
    Que belo mergulho Marilene!!!
    Na linda semana que lhe desejo meu carinhoso abraço.
    Beijo de paz amiga.

    ResponderExcluir
  20. Bonito poema.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  21. Bonito poema.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  22. Bonito poema.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  23. Muito interessante esta abordagem do ser em matérias tão delicadas como são os valores, os sentimentos e a reflexão que ocorre perante eles mesmos.Esta conflitualidade entre o que se é e o que seria desejável ser, adensa as dores da alma, torna-nos inquietos e, quantas vezes, sofredores por antecipação. Contudo, afigura-se impossível ter a razão dominando a emoção. Mas, com o tempo, aprendem-se algumas técnicas...
    Gostei imenso, Marilene.
    BJO :)

    ResponderExcluir
  24. Olá Marilene ,
    Uma postagem para Reflexão onde a trama do Mundo real está presente ... adicionando o meu pensamento , eu diria que tudo está dependente das Escolhas que fazemos , e o mais salutar é não esperar nada de ninguém , e deixar a Vida rolar ...

    Um Abraço
    Luis Sousa

    ResponderExcluir
  25. Equilibrando a matéria e o espírito e levar a cada uma das partes o sentido da vida. O conhecimento nunca é absoluto, realmente. Nem sempre aquilo que vemos ou pensamos corresponde à realidade. Lembro-me do "Mito da Caverna" de Platão. Habituados a visualizar determinadas imagens e conceitos acabamos por perder a capacidade de discernir.

    Excelente tema num poema muito bem construído.

    Bj

    Olinda

    ResponderExcluir
  26. Que poema filosófico encantador...
    Repleto de sabedoria e beleza. Acredito na proposta do
    poema como processo de amadurecimento (crescimento).
    É importante esse distanciamento do observador para
    a compreensão das vivências e uma escolha na medida
    de cada um com a sabedoria que transcende e liberta.
    Adorei o poema e a imagem surpreendentes!
    Semana luminosa, Querida!
    Bjos.

    ResponderExcluir
  27. Encantadoramente filosófico esse seu poema!
    Um ponto de vista sensacional! Dividir pra não pesar...
    Dividir para melhor observar as partes!

    Um grande abraço amiga!

    ResponderExcluir
  28. Amiga Marilene:
    Além de nos brindar com um belíssimo poema ainda nos deu uma verdadeira lição de sabedoria e equilíbrio.
    E tanto que precisamos desse equilíbrio entre as duas partes.

    Um beijinho com admiração

    ResponderExcluir
  29. Marilene, que lindo!! As metades realmente têm uma função: se encontraram e se unirem.
    Tenha uma abençoada sexta-feira. Bjs

    ResponderExcluir
  30. Dividir não é fácil. Mas deixa de ser difícil a partir do momento que a divisão deixa de ser subtração para ser adição!...
    Tudo muito lindo por aqui...!
    AbraçO

    ResponderExcluir
  31. Uma ideia interessante expressa no poema. Os dois lados da mesma sensibilidade em diálogo.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  32. Un felice fine settimana per te...ciao.

    ResponderExcluir
  33. Un felice fine settimana per te...ciao.

    ResponderExcluir
  34. Acho que a sabedoria consiste nesse saber dividir,ver o que os dois lados querem nos mostrar.
    Belo poema.

    ResponderExcluir
  35. Que lição incrível, Marilene. É isso mesmo. Algumas pessoas,aliás,deveriam dar uma lida... Algumas não, muitas! bjs

    ResponderExcluir
  36. Olá, Marilene.
    Vim colocar um comentário neste poema/lição lindíssimo que já tinha lido. Cheguei e reli.
    Interessante sugestão para olhar sob outra perspectiva a nossa postura - a esta altura da vida, já tomada por tantos como amadurecida e inquestionável - diante das coisas da vida e da nossa própria atitude.
    Ver pela metade, até a esperança! Talvez aí resida o segredo ;)
    bjn amg

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...