17 de setembro de 2015

E OS DIAS SEGUEM IGUAIS ...

(arquivo pessoal)


                                             
                        Preso nas garras de um mundo
                        Insano e profundo,
                        Sem teto
                        Sem sonhos
                        Sem capacidade para lutar,
                        Com fome
                        Com sede
                        Com raiva
                        Sem nada a perder
                        Sem nada para obter
                        Senão sofrer,
                        Sem respostas aos "porquês",
                        Famigerado
                        Maltratado
                        Desprezado
                        Invisível ...
                        Que mundo danado!
                        Que rumo, que nada,
                        Que vida sofrida
                        Que miséria
                        Que falta de afeto
                        Que falta do teto
                        Que fome de ser
                        Um ser, gente, pessoa, cidadão
                        Onde só existe indiferença
                        Descrença 
                        Ambição ...



                                                                    Marilene
                                                                (13/05/2003)



31 comentários:

  1. Vi a data dessa poesia e infelizmente tudo segue mesmo igual! Pena! poesia sim é linda! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Situação dramática a de muitos nossos irmãos.Este mundo parece estar louco porque matou a suma razão de viver - O amor, a partilha,o poder viver e acreditar.
    O tema cantado em poesia dá-lhe mais força.

    ResponderExcluir
  3. É mesmo. Nada muda. Espero que esse rapaz tenha encontrado um novo rumo, pelo menos ele...

    ResponderExcluir
  4. É mesmo muito triste Marilene, ver nossos irmãos à deriva da vida.
    Enquanto uns tem tanto, e outros tão pouco, até para o básico.
    E muitos roubando dos que nada tem!
    E o sofrimento é contínuo, as portas sempre se fechando ...
    Levam ao desespero!
    Muito atual tua tão inspirada poesia.
    Beijos!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  5. Olá Marilene,
    O poema e a imagem, retratam
    com exatidão, a situação da miséria
    em que muitas pessoas estão a viver.
    Essa triste cena, infelizmente é comum,
    na maioria das cidades...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. É, amiga. A vida não anda valendo muito nesse planeta... e ainda querem habitar Marte. Parabéns pelo belo desabafo em poema. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. O Mundo não é danado,
    aqueles que o governam é que são
    porque o povo é enganado e explorado
    por quem não tem alma nem coração.

    Passa fome e dorme no chão,
    quem trabalha, os seus direitos reclama
    leva porrada se para comer pede pão
    dorme no chão por que não tem cama.

    Tenha amiga Marilene um bom dia, um abraço.
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  8. Olá, querida Marilene
    Sinto o mesmo quando vejo uma 'cena' assim... é degradante demais... me sinto impotente...
    Bjm fraterno

    ResponderExcluir
  9. Marilene, belíssimo poema de intervenção, lido ao ritmo que atribuíste e em coro, faria sensação. Ainda assim, é bem apreciável, Quando crescer, gostaria da escrever poesia deste jeito.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde Marilene,

    Que poema doído: é discrepância social, o roubo dos "coronéis"e o descaso para a população mais carente. É o desemprego que faz o pai bom roubar. Em 1981, houve uma crise terrível de desemprego e eu vi um homem de terno, bem apessoado se jogar'uma passarela, numa metrópole, desmaiei.
    Desculpa ter invadido o seu blog
    Adorei
    Abç
    minicontista

    ResponderExcluir
  11. Oi mana,

    Um poema tocante, ilustrado por uma imagem desoladora.
    Os versos traduzem o lado feio do mundo, que, infelizmente, insiste em persistir.
    Quem dera todos tivessem a oportunidade de caminhar por este mundo com mais dignidade.
    O poema data de 2003, o que mostra que se algo mudou de lá para cá foi para pior, já que a cada dia aumenta o número de pessoas que vivem nas ruas, sem moradia e emprego. Nossos governantes só pensam em locupletar-se com o dinheiro público, retirando ainda mais as possibilidades dos mais carentes.

    Excelente!

    Beijão.

    ResponderExcluir
  12. Bom dia,Marilene. Os anos passam e infelizmente o seu poema crítico-social continua falando de uma grande verdade que assola milhões de pessoas e não só no Brasil.
    A desigualdade social é imensa e nem creio que um dia ela irá acabar, pois quem deveria cuidar para que isso ocorresse só quer saber de seus próprios interesses que são a classe política.
    Os que querem mudar algo,tem de mudar de discurso para não serem assassinados.
    É o caos instalado.
    Parabéns!
    Tenha um fim de semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  13. Um poema e uma imagem muito tocantes. Os dias passam e o drama aumenta. Por onde anda a compaixão?
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  14. Um pensamento surgiu depois de dar uma volta
    no tempo.
    Aquela volta de cento e oitenta grau que
    em dado momento da vida temos que dar uma pausa e pensar.
    Eu com certeza tenho o DNA do amor
    pulsando no meu coração.
    Por isso meu carinho é gratuito e sincero
    chego sentir uma saudade que dói mesmo sem conhecer
    a amizade além da minha telinha.
    A diferença não é o contato fisico,
    mas sim aquilo que tenho de mais sublime amar
    sem conhecer a cor dos olhos ou da pele .
    A religião então ..essa para mim tem somente
    um quisito ter fé e acreditar num superior a
    tudo com um nome lindo ...Jesus isso me basta.
    Um abençoado final de semana.
    Eu só vim te dar um abraço é
    tudo que posso fazer quando no coração
    a saudade vem bater.
    Beijos e meu eterno carinho.
    Evanir.
    Amiga poema sem palavras eu sempre amei seus poemas
    sinto saudades.

    ResponderExcluir
  15. O mundo está cada vez mais cruel.
    E este poema, que é magnífico, retrata isso muito bem.
    Marilene, tenha um excelente fim de semana.
    Abraço amigo.

    ResponderExcluir
  16. Marilene, fico triste quando vejo alguém nessa situação. Seja por ter feito escolhas erradas, seja por ser uma vítima social, compaixão e oportunidade são duas palavras magníficas a serem colocadas em prática em relação ao ser humano. Abraços!

    ResponderExcluir
  17. E nada mais haverá a dizer , pois o seu Poema já disse tudo !
    Um Abraço
    Luis Sousa

    ResponderExcluir
  18. Que bonito, Marilene, embora triste. Intenso, absurdamente atual e verdadeiro. A nós resta, sempre, a esperança.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. A veces la vida es tan cruel. Saludos!

    ResponderExcluir
  20. OI MARILENE!
    QUE PENA!
    TALVEZ SEJA A INDIFERENÇA O PIOR DOS CASTIGOS.
    PRIMOROSO TEU POEMA.
    ABRÇS
    -http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Triste e, infelizmente, nunca fica desatualizado. Bjs e boa semana.

    ResponderExcluir
  22. Como diz no poema,
    Que mundo danado,
    e é realmente um mundo danado muito bem ilustrado fotograficamente.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderExcluir
  23. Amiga Marilene, a foto e o poema tocaram-me muito.
    Uma realidade cada vez mais comum, tão comum que vira banalidade, e quando assim acontece está tudo perdido.
    A indiferença é o lado mais desumano e cruel desta triste realidade.

    Um beijinho grato e emocionado

    ResponderExcluir
  24. Uma realidade que provoca dor,
    fere bem na alma, conviver com tamanha
    desigualdade e abandono total...
    Um grito poético tão humano, sensível, Querida Marilene!
    A foto com o poema aciona a emoção da dor do mundo...
    Beijo e um abraço de paz na alma.

    ResponderExcluir
  25. Ai, Marilene, quanto dói a realidade de que o teu emotivo poema fala!
    E temos que gerir nossas emoções para mantermos a nossa sanidade mental!
    Bjo na tua alma :)

    ResponderExcluir
  26. E saber que nada mudou, nada muda.
    Os invisíveis surgem de todos os lados e são depositados nos cantos da cidade.
    Os sem os sem sonhos, os ninguém para os olhos dos humanos(sic)
    Hoje foi meu dia de ler belas(estranho né?) poesias do cotidiano, do social.
    Bravo Marilene!
    Meu abraço e admiração da sensibilidade.
    Beijo de paz e que o amanhã seja diferente.

    ResponderExcluir
  27. Triste realidade do descaso das autoridades e da sociedade claro.
    Se cada um de nós fizesse uma pequena parte, o mundo com certeza seria muito melhor.
    Um abraço Marilene e bom final de semana..

    ResponderExcluir
  28. Voltei para ver as novidades.
    Mas gostei de reler o seu magnífico poema.
    Amiga Marilene, tenha um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  29. tocante o poema a que a foto faz jus.
    tempos tristes e desumanos.
    e magoa muito....
    :)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...